Alemanha

Balanço do primeiro turno, parte II

A apenas uma semana do reinício da Bundesliga, a coluna apresenta o final do balanço do que fez cada um dos 18 clubes da primeira divisão da Alemanha. Se o poderio do Bayern de Munique indicava um domínio absoluto, o Werder Bremen, carregado por Diego, mostrou-se capaz de fazer frente e de aproveitar dos tropeços do rival. Confira uma análise do primeiro turno do Bremen e de outros oito clubes, e saiba o que esperar de cada um para o restante da temporada.

HANNOVER 96

Eis uma das gratas surpresas do primeiro turno. Sem fazer grande alarde no mercado de verão, o 96 montou uma equipe sólida, composta por diversos jogadores com passagem pela seleção alemã. Apesar de tropeçar em casa com freqüência, o Hannover conseguiu fazer 27 pontos e, em alguns momentos, chegou a ocupar a zona de classificação européia. O plano inicial do técnico Dieter Hecking era chegar a 40 pontos. Para isso, faltam 13. Nada impossível. A chegada de Ismael deve acertar o setor defensivo, que sofreu 28 gols em 17 jogos, o pior aproveitamento entre os times que ocupam a metade de cima da tabela – pior até que o do lanterna Duisburg. Se consertar a defesa e o ataque continuar bem, o time poderá sonhar até com algo mais que ser apenas um figurante.

Pretensão no início da temporada: meio da tabela
Pretensão no meio da temporada: metade de cima da tabela
Quem chegou: Valerien Ismael (D, Bayern de Munique, € 200 mil)
Quem saiu: Ninguém

HANSA ROSTOCK

O começo da temporada da volta do clube à Bundesliga foi desastroso. Cinco derrotas consecutivas, com 11 gols sofridos e apenas três marcados. Marca desastrosa que custou ao Rostock cinco rodadas na lanterna. Ao longo do primeiro turno, a equipe conseguiu melhorar um pouco e deixou a zona de rebaixamento. O panorama não é dos melhores para o time da região onde ficava a Alemanha Oriental. A defesa ganhou o retorno de Gledson, que se deu bem em sua primeira passagem pelo clube, mas o ataque – o segundo pior da Bundesliga – não ganhou novos nomes. O segredo da permanência do clube na primeira divisão passa justamente pela melhora no setor ofensivo. A grande esperança é que Sefan Beinlich tenha enfim se recuperado de seus problemas físicos e ajude o time, como se esperava desde o início do campeonato.

Pretensão no início da temporada: Evitar o rebaixamento
Pretensão no meio da temporada: Evitar o rebaixamento
Quem chegou: Gledson (Z, Stuttgart)
Quem saiu: Marcel Schied (A, Carl Zeiss Jena)

HERTHA BERLIM

O time da capital alemã começou a temporada sem cara e chega ao começo do segundo turno praticamente desfigurado. Se sofreu no começo do campeonato pela falta de entrosamento, causada pela saída de jogadores importantes como Bastürk e Boateng, apanhou ainda mais com a grave contusão de Lúcio, que corre até o risco de não jogar mais futebol. O processo de renovação iniciado por Lucien Favre tem se mostrado desastroso e o técnico, campeão suíço com o FC Zurique, não esconde seu arrependimento de ter aceitado o desafio. Para tentar convencê-lo do contrário, oDieter Hoeness fez o que pôde para atender os desejos do suíço e oferecer alternativas para o segundo turno. Nenhuma que inspire esperanças para o torcedor. O fato é que o cenário é nebuloso para o Hertha Berlim. Se o desempenho não melhorar, imaginar a Bundesliga sem um time da capital não será um panorama absurdo.

Pretensão no início da temporada: Meio da tabela
Pretensão no meio da temporada: Evitar o rebaixamento
Quem chegou: Raffael (A, FC Zurique/SUI, € 4,5 mi), Gojko Kacar (M, Novi Sad/SER, € 3 mi)
Quem saiu: Christian Müller (M, Energie Cottbus)

KARLSRUHE

Disparado, a grande surpresa da primeira metade da Bundesliga. Recém-promovido à primeira divisão, o KSC repete o que fez Alemannia Aachen e Mainz 05 em temporadas anteriores: figura entre os líderes e apresenta um futebol para lá de convincente. Chegou a ocupar a vice-liderança na nona rodada e só deixou a zona de classificação européia na 17ª rodada. Com 28 pontos, o time precisa de pouco – quatro vitórias para se considerar fora da área de risco de rebaixamento. O mais plausível é torcer para que o rendimento seja o mais próximo possível do que conseguiu até agora. Resta saber se a preparação física feita pela comissão técnica não previa um estouro maior apenas na primeira parte do ano. Pelo que fez no primeiro turno, é difícil acreditar que isso o time caia. Se conseguir qualquer vaga européia, a surpresa será ainda maior.

Pretensão no início da temporada: Evitar o rebaixamento
Pretensão no meio da temporada: Metade de cima da tabela
Quem chegou: Joshua Kennedy (A, Nuremberg, € 450 mil)
Quem saiu: Ninguém

NUREMBERG

Pela boa temporada que fez em 2006/07, esperava-se que o Clube entraria em 2007/08 com força para, no mínimo, fazer bonito. Ledo engano. Jogadores importantes do time, como Saenko, Vittek, Pinola, Engelhardt e Mnari foram mal e o time não correspondeu. Como resultado, passou boa parte do primeiro turno na zona de rebaixamento. Chegou a sair por algumas rodadas, mas voltou para a 15ª posição após a derrota para o Schalke 04 na última partida antes da pausa. Pelas contratações que fez, sobretudo a de Jan Koller, o Nuremberg dá mostras de que vai lutar pesado contra uma possível queda para a segundona. O segredo para que isso não aconteça passa pela boa forma dos jogadores. No ano passado, eles mostraram que podem render. Cabe ao técnico Hans Meyer conseguir fazer com que o time volte a funcionar como no primeiro semestre de 2007.

Pretensão no início da temporada: Vaga na Copa Uefa ou Intertoto
Pretensão no meio da temporada: Evitar o rebaixamento
Quem chegou: Jacques Abardonado (Z, Nice/FRA, € 200 mil), Jan Koller (A, Monaco/FRA, € 1 mi)
Quem saiu: Joshua Kennedy (A, Karlsruhe, € 450 mil), Chhunly Pagenburg (A, 1860 Munique, empréstimo)

SCHALKE 04

Único sobrevivente alemão na Liga dos Campeões, o time de Gelsenkirchen nunca escondeu que a competição européia era sua prioridade. Isso, obviamente, custou ao Schalke qualquer chance de brigar diretamente pela ponta da tabela. Mesmo assim, conseguiu terminar o primeiro turno numa boa posição – tirou o Karlsruhe da zona de classificação européia na última rodada. Se um dos problemas do time era a falta de alternativas para o setor ofensivo, os reforços vindos no inverno dão mostras de que Mirko Slomka pretende vôos mais altos na Bundesliga e, claro, ir além das oitavas-de-final da LC. Brigar pelo título parece difícil. Talvez até mesmo uma vaga na próxima LC, da quarta ou da quinta colocação, porém, é difícil que o tirem.

Pretensão no início da temporada: Título alemão
Pretensão no meio da temporada: Vaga na Copa Uefa
Quem chegou: Albert Streit (M, Eintracht Frankfurt, € 2,5), Zé Roberto (M, Botafogo, € 3 mi), Levan Kenia (A, Lokomotivi Tiflis/GEO), Vicente Sanchez (A, Toluca/MEX, € 1 mi)
Quem saiu: Mimoun Azaouagh (M, Bochum, empréstimo), Octavio Dario Rodríguez (D, Peñarol/URU)

STUTTGART

Que o atual campeão alemão não era favorito à conquista do bicampeonato, não havia muita dúvida. O que surpreendeu na campanha do VfB no primeiro turno da edição 2007/08 a queda tão grande de qualidade do time de um ano para o outro. O primeiro fator para tal queda foi o fato de o time disputar a LC em paralelo Bundesliga. Pior do que ter de se dividir em duas competições foi fazer feio no torneio internacional e se prejudicar na Bundesliga. O time só começou a melhorar quando Hitzlsperger melhorou sua condição física e voltou a jogar e quando o técnico Armin Veh concluiu que o Stuttgart não tinha mais chances na LC. Sonhar com uma vaga na próxima Liga dos Campeões parece um devaneio. Brigar por uma vaga na Copa Uefa parece mais ao alcance do time, mas a concorrência será pesada. Por se tratar do único clube que conseguiu vencer o Bayern de Munique, dá para acreditar que o segundo turno será melhor que o primeiro.

Pretensão no início da temporada: Vaga na Liga dos Campeões
Pretensão no meio da temporada: Vaga na Copa Uefa
Quem chegou: Sergiu Radu (A, Wolfsburg, empréstimo), Sven Ulreich (G, Schornbach)
Quem saiu: Michael Langer (G, Freiburg), Gledson (D, Hansa Rostock), Danijel Ljuboja (A, Wolfsburg, empréstimo)

WERDER BREMEN

Se a eliminação da Liga dos Campeões foi um baque para o Bremen, terminar o primeiro turno empatado com o todo-poderoso Bayern de Munique foi uma conquista que poucos julgavam ser capaz de acontecer. Se havia quem pensasse que o time sentiria falta de Miroslav Klose, os 42 gols marcados até a 17ª rodada provam o contrário. Como no último ano, Diego continuou o metrônomo do time. Quando o brasileiro joga bem, o time arrebenta. E ele tem jogado mais bem do que mal. Tanto que fez nove gols e sete assistências, números que o credenciaram a ser eleito mais uma vez o melhor jogador da Alemanha. Se o ataque continua produtivo, a defesa continua problemática: sofreu 24 gols, três vezes mais que o Bayern. Bala o Werder Bremen tem para se manter na briga e fazer frente à armada bávara. Resta saber se o time de Thomas Schaaf conseguirá manter o ritmo e se os boatos de transferências de Diego e de outros jogadores, além da já confirmada ida de Borowski para o Bayern, não repetirão o filme da desastrosa temporada passada.

Pretensão no início da temporada: Vaga na Liga dos Campeões
Pretensão no meio da temporada: Título alemão
Quem chegou: Ninguém
Quem saiu: Carlos Alberto (M, São Paulo, empréstimo), Leon Andreasen (M, Fulham, € 4 mi)

WOLFSBURG

Depois de Felix Magath promover uma profunda renovação no elenco dos Lobos, esperava-se que o time não fosse tão bem assim no primeiro turno. Dada a expectativa criada em cima do novo elenco, há quem afirme que o desempenho foi fraco. Não é para tanto. Ainda mais se levarmos em consideração a contusão de Ricardo Costa, que chegou para ser o capitão do time, pouco antes do começo da Bundesliga. Além disso, as principais contratações do Wolfsburg – Josué e Grafite – chegaram no final da pré-temporada e tiveram pouco tempo de adaptação. Com essa inter-temporada de inverno, espera-se que Magath consiga reverter esse quadro para o segundo turno, quando seus times tradicionalmente costumam melhorar de aproveitamento.

Pretensão no início da temporada: Metade de cima da tabela
Pretensão no meio da temporada: Metade de cima da tabela
Quem chegou: Diego Benaglio (G, Nacional Funchal/POR, € 1,5 mi), Daniel Ljuboja (A, Stuttgart, empréstimo), Makoto Hasebe (M, Urawa Red Diamonds)
Quem saiu: Isaac Boakye (A, Mainz 05), Sergiu Radu (A, Stuttgart, empréstimo)

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo