Alemanha

Até quando, Hamburg

Na última rodada, uma derrota contundente e a perda da liderança do Campeonato Alemão. O resultado, que não deixou de ser inesperado apesar da campanha surpreendente do Hoffenheim, evidenciou problemas que devem custar caro ao Hamburg na seqüência da competição: a carência de opções para seu setor defensivo e a apatia do time diante de um resultado adverso.

Mesmo realizando uma boa campanha, os três a zero do último final de semana pesaram. Em campo, o gol de Obasi, nas costas de Benjamin, aos sete minutos de partida foi avassalador. A vantagem logo no início desestabilizou tanto os comandados de Martin Jol que nem mesmo Jarolim, ou Trochowski, um dos melhores jogadores do campeonato, conseguiram ameaçar de alguma maneira a superioridade do adversário.

É fato que para conquistar um título, uma equipe precisa, pelo menos em alguns momentos, superar adversários diretos, algo que o time ainda não conseguiu convencer que pode fazer, como mostram os últimos resultados neste tipo de confronto. Até agora, derrotas para Wolfsburg e Hoffenheim, um empate contra o Schalke e apenas uma vitória, na virada, em casa, contra o Bayer Leverkusen.

Porém, contra a “sensação” Hoffenheim, o problema foi além da falta de poder de reação do time. Os desfalques de Marcell Jansen, Nigel de Jong, Thiago Neves e Thimothee Atouba fizeram mais falta ao time do que se imaginava e entre tantas ausências, uma delas foi decisiva para o resultado.

Atouba, que sofreu uma lesão no tendão de Aquiles na vitória por 2 a 1 contra o Zilina pela Uefa, vinha se destacando com atuações seguras na lateral esquerda, principalmente na proteção do sistema defensivo. E para superar a falta do camaronês, que ficará fora da equipe por mais de um mês, Martin Jol terá que pensar em uma alternativa diferente da do último jogo.

Para repor a falta de uma peça importante para o esquema do time, o técnico optou pela improvisação. O holandês decidiu escalar o zagueiro Mathijsen para a lateral esquerda, dando mais uma oportunidade para Alex Silva. Uma escolha que mostrou desde o início que seria desastrosa.

Além da falta de entrosamento do setor, Alex Silva teve uma atuação catastrófica, assim como contra o Wolfsburg. A falta de adaptação do zagueiro é comprovada pelos números: dos 15 gols sofridos até a nona rodada, seis aconteceram nas duas partidas em que Alex Silva entrou em campo entre os 11.

Não que a derrota para o atual líder da Bundesliga tenha sido decisiva para a equipe, mas geralmente são justamente alguns erros pontuais que definem quem estará na briga pelo título na reta final.

Alma lavada

Os gols marcados por Mario Gómez no último final de semana foram a deixa para que o atacante falasse sobre o mal estar entre ele e os torcedores do Stuttgart. O atacante foi autor dos gols da vitória do Stuttgart por 2 a 0 contra o Bochum, marcados no final da partida e que garantiram três pontos, mantendo a equipe entre os primeiros colocados.

Desde a temporada passada, quando Gómez não repetiu o desempenho que na do ano anterior, a relação entre atacante e torcida já não é mais a mesma. Logo depois de marcar o primeiro gesticulou para as arquibancadas mostrando toda sua insatisfação. As pazes entre torcida e artilheiro pode ser sinal de tempos melhores para Armin Veh.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo