ÁfricaCopa Africana de Nações

Uma pintura de Atsu ratificou a classificação categórica de Gana à semifinal da CAN

Presente nas últimas três Copas do Mundo, Gana sem dúvidas é uma das seleções mais fortes do futebol africano. Mas falta conquistar um título da Copa Africana de Nações que reitere esta força. Tetracampeões do torneio, os Estrelas Negras não levantam a taça desde 1982. E, apesar da primeira fase sem empolgar, a equipe conquistou uma vitória emblemática para se confirmar nas semifinais. Os ganeses bateram Guiné por 3 a 0 – a primeira vitória por três ou mais gols de diferença nesta CAN. Pintam como favoritos, sobretudo no duelo com a anfitriã Guiné Equatorial na próxima etapa.

A “goleada” de Gana se deu muito graças ao talento de sua linha de frente, que funcionou. André Ayew serviu Christian Atsu no primeiro tento, enquanto os ganeses ampliaram com Kwesi Appiah ainda no primeiro tempo. Já na etapa complementar, a maior pintura saiu outra vez dos pés de Atsu, em um chute da lateral do campo que encobriu o goleiro guineense. Para quem precisou suar demais para avançar na fase de grupos, nada mal. Empolga em um torneio carente de atuações um pouco mais técnica, ainda que o time de Avraam Grant privilegie mais a força e a velocidade.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo