África

Sedes da CAN 2012: o Gabão é o grande

O Brasil inteiro pôde ver. Em novembro, a Seleção fez um amistoso no Gabão, inaugurando o estádio de Libreville. Ficou evidente a falta de estrutura adequada, com falta de luz antes da partida, gramado que se transformou em um pântano e até um perigoso degrau entre a pista de atletismo e o campo de jogo. E é nesse estádio que a Copa Africana 2012 fará sua final, em 12 de fevereiro. E o curioso é que, com todos os problemas, ainda faz mais sentido a decisão ficar na capital gabonesa, ao invés de ir para a Guiné Equatorial, país que também sediará a competição.

O Gabão, que conta com aproximadamente 1,5 milhão de habitantes, tem um nível de desenvolvimento comparativamente maior. Independente da França desde 1960 e 77º colocado no Ranking Fifa, o país já disputou quatro Copas da África (1994, 1996, 2000 e 2010). A melhor participação foi em 1996, quando chegou às quartas de final e foi eliminado nos pênaltis após empate por 1 a 1 com a Tunísia. Nas outras oportunidades, a equipe ficou na primeira fase e não deu tanto trabalho assim aos adversários.

O Campeonato Gabonense, também conhecido como Championat National D1, foi criado em 1968 e é dominado pelas equipes da capital, Libreville, que foram campeões em 27 das 44 edições, seguidos pela cidade litorânea de Port-Gentil, no oeste do país, com nove conquistas. O maior campeão do país é o FC 105, que levantou a taça em 11 oportunidades, mas no momento vive uma crise e ocupa apenas a 13ª colocação na temporada 2011/12, correndo o risco de rebaixamento.

O atual líder do campeonato é o Mangasport, da cidade de Monada, no leste do país e cedeu três jogadores para a seleção que disputará a Copa Africana: o goleiro Yann Bidonga, o defensor Edmond Mouele e o jovem meio-campista Cédric Boussougou. Ao todo, os clubes gabonenses cederam 11 dos 23 jogadores que disputarão a Copa Africana, mas alguns deles retornaram ao futebol local apenas para ganhar uns minutos de jogo, como Daniel Cousin e Stéphane N’Guéma. O país também dispõe da mão de obra de jogadores nascidos na França e descendentes de gabonenses, como Pierre-Emerick Aubameyang e Lloyd Palun. Eles, no entanto, são minoria.

Em Guiné Equatorial, o estágio de desenvolvimento é menos avançado. O país, emancipado da Espanha em 1968 (curiosamente, tem o português como uma das línguas oficiais, esforço do governo para entrar na Comunidade Lusófona) e com uma população ainda menor que a do Gabão – 676 mil habitantes, segundo os dados do governo, que são contestados -, ocupa apenas a 150ª colocação no Ranking Fifa e faz a sua estreia na Copa Africana de Nações em 2012. Nas edições anteriores do torneio, a seleção nacional geralmente se despedia das eliminatórias prematuramente.

O Campeonato Guineense também não figura entre os mais fortes da África. Criado em 1979, serviu para unificar as duas ligas que aconteciam paralelamente no país, a Europeia e a Indígena, que mantinham a separação entre colonizadores e colonizados. O Sony de Elá Nguema, atual campeão, é o maior vencedor, com 13 conquistas, e cedeu dois jogadores para o grupo que disputará a Copa Africana de Nações.

O número poderia ser maior, não fossem as naturalizações que ocorreram em cima da hora somadas com as que já haviam acontecido em anos anteriores. Ao todo, 21 dos 23 jogadores que defenderão Guiné Equatorial na CAN não nasceram no país, alguns deles espanhóis descendentes de guineenses, como Rodolfo Bodipo e Iván Bolado. Outros, como o goleiro brasileiro Danilo, fizeram a carreira toda em seus países, e não possuem vínculo nenhum com o país africano.

AS CIDADES-SEDE

GABÃO

Libreville
População: 578.176 habitantes
Estádio: D'Angondjé (40 mil lugares)
Principais times: FC 105, Missiles, O´Mbila Mzami e Sapins

Franceville
População:
22 mil habitantes
Estádio: De Franceville (35 mil lugares)
Principais times: nenhum

GUINÉ EQUATORIAL

Malabo
População:
155.953 habitantes
Estádio: Nuevo Estadio de Malabo (15.250 lugares)
Principais times: Sony de Elá Nguema, Renacimiento e Atlético Malabo

Bata
População:
173.046 habitantes
Estádio: De Bata (37.500 lugares)
Principais times: Akonangui e Dragón

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo