África

O Brasileirão da África

No último fim de semana, a bola começou a rolar para a temporada 2012/13 da Premier Soccer League, o Campeonato Sul-Africano. À primeira vista, a comparação pode parecer esdrúxula (e talvez seja), mas a PSL pode ser considerada uma espécie de “Brasileirão da África”. Um campeonato nivelado, sempre com muitos candidatos ao título e definições somente nas últimas rodadas, além de movimentar uma quantia considerável de dinheiro (sobretudo pelo Banco Absa, que patrocina o torneio desde 2007 e renovou com a liga até 2016/17). Alguns problemas no futebol sul-africano também são semelhantes aos daqui, como as arquibancadas vazias e o nível técnico cada vez mais discutível.

O Orlando Pirates, pra variar, é candidatíssimo ao tricampeonato consecutivo (feito que apenas Mamelodi Sundowns e SuperSport United conseguiram até hoje). O peruano Augusto Palacios, que por muito tempo dirigiu equipes de base dos Buccaneers, agora é treinador do time principal. O elenco praticamente não mudou em relação à última temporada. Mpho Makola, meia que era do Free State Stars, foi o “maior” investimento. Jogadores que não agradaram, como Getúlio Vargas e Luis Boa Morte, foram dispensados. O bom volante Isaac Chansa, da seleção de Zâmbia e que havia virado reserva em 2012, foi para o futebol chinês.

Grande surpresa da última temporada, quando foi vice-campeão, o Moroka Swallows sofreu um duro golpe: Gordon Igesund, melhor treinador do futebol local, deixou o clube para dirigir a seleção sul-africana. O veterano atacante Siyabonga Nomvete, de 35 anos e artilheiro da última PSL com 20 gols, ainda é a principal esperança do time. Já o SuperSport United, que se recuperou de um péssimo 2010-11 ao terminar a última temporada em terceiro lugar, aposta suas fichas na dupla zambiana Mulenga e Nkausu. George Maluleka, volante da seleção sul-africana, foi a principal contratação.

Os olhos também estarão voltados para o Kaizer Chiefs, um dos maiores clubes do país, mas que decepcionou (pra variar) ao ficar em quinto na última PSL. Em busca de redenção, a equipe agora é comandada por Stuart Baxter, que já foi treinador da África do Sul e tem mais de 25 anos de carreira. O inglês terá bastante trabalho num clube ambicioso, porém com elenco limitado – ainda que o jogo de estreia nesta temporada, uma goleada por 6 a 0 sobre o AmaZulu fora de casa, tenha sido um bom presságio. Bernard Parker, autor de quatro gols, luta para finalmente fazer valer o investimento feito na sua contratação no último ano.

O último dos protagonistas é o Mamelodi Sundowns, do renomado atacante Katlego Mphela (que só marcou um mísero gol em todo o 2º turno da última PSL). A equipe investiu forte no mercado, tendo como destaque a contratação do promissor atacante Emmanuel Baffour, artilheiro do último Campeonato Ganês e que já foi convocado pela seleção local. Também foi trazido o experiente zagueiro Alje Schut, do Utrecht (Holanda), indicação do treinador compatriota Johan Neeskens. Correm por fora o Free State Stars, do goleiro-artilheiro Kennedy Mweene, de Zâmbia, e o Ajax Cape Town, reconhecido pela sua ótima estrutura de categorias de base.

O Bidvest Wits, mesmo não estando entre as grandes equipes do torneio, possivelmente foi quem promoveu a grande novidade da temporada: o retorno de Aaron Mokoena ao futebol local após 13 anos. Capitão da seleção sul-africana durante muitos anos e jogador com mais partidas pelos Bafana Bafana na história, o zagueiro aceitou o desafio de jogar pelo 12º colocado na última temporada.

O futebol sul-africano vive um momento particularmente ruim. A seleção anda mal das pernas, a média de público é baixa (pouco mais de 7 mil pessoas na última temporada) e, principalmente, muitos estádios que receberam a Copa em 2010 estão virando elefantes brancos. O Soccer City, por exemplo, que recebe mais de 90 mil pessoas, não é utilizado por nenhum clube e apenas o Dérbi de Soweto (Pirates x Chiefs) é “capaz” de enchê-lo. O Green Point, na Cidade do Cabo, também está às moscas e não receberá sequer a CAN 2013, a ser sediada pela África do Sul. O campeonato nacional, no entanto, é promessa de emoção pura. Alguém será capaz de quebrar a hegemonia do Pirates?

Curtas

– O brasileiro Jorvan Vieira, pouco conhecido no nosso futebol, foi anunciado como o novo treinador do Zamalek. Ele estava no Al Sharjah, dos Emirados Árabes, e tem como maior conquista na carreira a Copa da Ásia, em 2007, pela seleção do Iraque. Jorvan, que foi jogador do Botafogo e do Vasco na década de 70, fala sete línguas (incluindo o árabe) e se considera mais português do que brasileiro. Vem aí um novo Manuel José?

– Falando em Zamalek, o atacante Mido, que recentemente deixou o clube, desabafou pelo Twitter por conta de quatro meses de salários atrasados que ainda não foram quitados. Sem dinheiro no caixa, o Zamalek ainda perdeu na semana passada o atacante Amr Zaki, que foi para o Elazıgspor, da Turquia. Hassan Shehata, ex-treinador do clube, declarou no último sábado que Zaki já estava insatisfeito e que por muitas vezes fingia estar doente para não jogar.

– Após disputar seu primeiro amistoso internacional no último mês, o Sudão do Sul foi incluído pela primeira vez no ranking da Fifa. Os comandados do sérvio Zoran Djordjevic ocupam a 199ª posição entre 209 seleções. Os sul-sudaneses afiliaram-se à entidade em maio, após a aprovação em um congresso anual.

– O Espérance, que venceu o Etoile du Sahel por 1 a 0 na última rodada da Liga dos Campeões, estabeleceu um novo recorde: não perde pela competição continental desde abril de 2011, quando sofreu 2 a 0 do ASPAC Cotonou. Desde então, são 16 partidas de invencibilidade, com 36 gols marcados e só nove sofridos.

– Sabri Lamouchi convocou 24 jogadores para o amistoso da Costa do Marfim contra a Rússia, nesta quarta-feira. O meia Romaric, ausente na última Copa Africana de Nações, retorna à seleção. A novidade é a presença do volante Abdul Razak, do Manchester City, de apenas 19 anos.

– Gana terá quatro estreantes no amistoso contra a China. O mais conhecido deles é o atacante Richmond Boakye-Yiadom, de 18 anos, recém-contratado pela Juventus. Asamoah Gyan jogará sua primeira partida pelos Estrelas Negras após desistir da aposentadoria da seleção, enquanto John Mensah retorna após um longo tempo lesionado.

– A Tunísia, que enfrenta o Irã no próximo dia 15, na Turquia, também foi convocada. Darragi, que não veste a camisa da seleção desde março, está de volta. No Marrocos, que enfrenta Guiné no mesmo dia, os atacantes El Hamdaoui e Chamakh ganham uma nova oportunidade com o técnico Eric Gerets.

– Líder isolado (e invicto) do Girabola, agora com 11 pontos de vantagem, o Recreativo do Libolo empatou em 1 a 1 com o Interclube fora de casa. O Kabuscorp, de Rivaldo, venceu o Santos por 1 a 0 e ganhou o 3º lugar, que classifica para a Copa da Confederação Africana de 2013.

– Pelo Campeonato Camaronês, o Union Douala bateu o YOSA por 2 a 1 fora de casa e abriu sete pontos de folga na liderança. O Al Hilal está ainda mais disparado no Campeonato Sudanês: são nove pontos de vantagem para o arquirrival Al Merreikh, mas com um jogo a mais.

– O atacante Ezechiel Ndouassel, destaque do Club Africain (Tunísia) e nascido no Chade, acertou sua transferência para o Terek Grozny, da Rússia.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.