Africa

Quase cinco anos depois, Nigéria e Camarões voltam a se enfrentar nas oitavas da CAN

Em circunstâncias bem diferentes, mas com alguns personagens repetidos, Nigéria e Camarões se encontram nas oitavas de final da Copa Africana de Nações e reeditam o duelo de cinco gols em 2019

As oitavas de final da Copa Africana de Nações 2023 começam neste sábado (27). Pouco depois de Angola e Namíbia abrirem o mata-mata do torneio, Nigéria e Camarões se enfrentam às 17h (de Brasília) no Estádio Félix Houphouët-Boigny, em Abidjã, na Costa do Marfim. O embate já seria especial por ser entre duas das grandes forças históricas do futebol africano, que juntas possuem oito títulos da competição, mas será ainda mais interessante por ser a reedição do grande jogo das oitavas na edição de 2019 do torneio.

Há menos de cinco anos atrás, em julho de 2019, os dois países também se enfrentaram nesta fase da CAN. Na ocasião, a seleção nigeriana levou a melhor com uma suada vitória por 3 a 2 que contou com duas viradas. Odion Ighalo abriu o placar ainda no início do primeiro tempo, mas Stéphane Bahoken e Clinton N’Jie colocaram Camarões em vantagem pouco antes do intervalo. Na segunda etapa, Ighalo marcou novamente e Alex Iwobi classificou as Super Águias.

Por mais que os oponentes sejam os mesmos, as circunstâncias da partida deste sábado são bem diferentes daquela em 2019. No duelo da penúltima edição da Copa Africana de Nações, no Egito, a Nigéria tentava reafirmar sua força no continente após ter vencido a edição de 2013 não ter se classificado para as de 2015 e 2017. Já Camarões era o atual campeão, mas vinha de uma campanha ruim nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

Desta vez, os nigerianos chegam com mais pompa. Apesar de não terem participado da Copa do Mundo de 2022 no Catar e terem sido eliminadas justamente nas oitavas de final na última Copa Africana de Nações, com uma derrota por 1 a 0 para a Tunísia, as Super Águias fizeram uma boa fase de grupos nesta edição e só não terminaram na liderança de um complicado Grupo A porque a Guiné Equatorial fez um saldo de gols melhor.

Se quiser, a Nigéria ainda pode se inspirar na campanha de 2019. O triunfo por 3 a 2 nas oitavas de final fez a derrota por 2 a 0 sobre Madagascar na última rodada da fase de grupos cair em esquecimento e foi fundamental para a seleção então comandada por Gernot Rohr terminar a competição em terceiro lugar, caindo para a eventual campeã Argélia nas semifinais.

Já Camarões não está nem perto de ter o mesmo status de quase cinco anos atrás, quando ainda era o atual campeão continental. Sob o comando de Rigobert Song, os Leões Indomáveis fizeram uma fase de grupos sofrível e só se classificaram na segunda posição do Grupo C porque derrotou a Gâmbia de virada por 3 a 2 na última rodada graças ao gol de Christopher Wooh nos acréscimos.

Os remanescentes de 2019

Apesar das muitas diferenças entre o confronto de quase cinco anos atrás e o marcado para este sábado, sejam elas nos contextos das equipes, nos elencos ou nas comissões técnicas, também existem semelhanças. A primeira e possivelmente mais irrelevante delas é que ambas as seleções se classificaram na segunda posição de seus grupos nas duas ocasiões. A Nigéria fez seis pontos na edição retrasada na Copa Africana de Nações e sete nesta, enquanto Camarões somou cinco em 2019 e quatro em 2024.

As outras similaridades, claro, são os jogadores presentes na eletrizante vitória nigeriana por 3 a 2 e que provavelmente participarão do novo confronto. Pelo lado camaronês, o goleiro André Onana e o atacante Clinton N’Jie foram titulares em 2019, enquanto Karl Toko Ekambi e André-Frank Zambo Anguissa entraram no segundo tempo. Destes quatro, o único que não deve começar jogando desta vez é N’Jie, justamente o autor do segundo gol na eliminação na penúltima CAN.

Já pelo lado da Nigéria, sobraram sete titulares do triunfo de 2019. Por incrível que pareça, os quatro jogadores que formaram a defesa naquela ocasião foram convocados: William Troost-Ekong (atualmente capitão da seleção), Kenneth Omeruo, Ola Aina e Chidozie Awaziem. Autor do gol da vitória, Alex Iwobi continua uma peça importante no meio-campo, enquanto os atacantes Ahmed Musa e Moses Simon agora tem papéis diferentes e costumam iniciar no banco de reservas. Samuel Chukwueze, que substituiu Simon naquela ocasião, hoje é titular.

Além daqueles que entraram em campo no duelo das oitavas de final da Copa Africana de Nações de 2019, outros três atletas presenciaram aquele duelo mas não foram utilizados. O nigeriano Francis Uzoho e o camaronês Fabrice Ondoa são goleiros e provavelmente ficaram no banco novamente. Por outro lado, Victor Osimhen agora é um atacante de destaque mundial, titular absoluto das Super Águias e certamente vai disputar esta oitavas de final.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo