Africa

Egito e Salah foram salvos por um pênalti nos acréscimos, que evitou um dia histórico para Moçambique

Moçambique vencia o Egito até os acréscimos, conquistando sua primeira vitória na história das Copas Africanas, mas Salah conseguiu empatar com um pênalti

Na estreia do Grupo B na Copa Africana de Nações, o maior campeão Egito recebeu Moçambique, que nunca tinha sequer vencido uma partida nas cinco edições da competição que participou anteriormente. A história estava sendo feita com os Mambas conquistando a vitória até os acréscimos, quando um pênalti (bem marcado) em favor dos egípcios deu a chance do empate nos pés de Mohamed Salah, que apesar da partida ruim, deixou o dele e garantiu pelo menos um ponto para seu país.

Apesar do empate frustrante no final, Moçambique tem a comemorar o resultado, já que era um dos grandes azarões, principalmente contra o Egito, um dos favoritos ao título. Os Mambas tem muito a se orgulhar pela partida que fizeram, tendo mostrado força ao virar o jogo. No grupo, as duas seleções somam um ponto e aguardam o duelo entre Cabo Verde e Gana para saber qual a configuração do grupo após o fim da primeira rodada.

Até quando Salah erra, ele acerta

Era esperado que o Egito começasse em cima e tentasse o gol cedo, e foi exatamente isso que aconteceu. Logo no primeiro minuto, a bola foi cruzada na área para Salah, que furou o chute, mas ele é tão craque que até quando erra, acerta, já que a bola sobrou para Mostafa Mohamed, que dominou e bateu no cantinho para abrir o placar. Minutos depois, o camisa 19 recebeu bola enfiada de Salah e soltou o pé para ampliar, mas parou em bela defesa de Hernâni.

Apesar de ter começado bem, o Egito foi se perdendo ao longo do primeiro tempo, deixando Moçambique sonhar. Aos 17 minutos, a primeira chegada dos Mambas, com Witi recebendo cruzamento e cabeceando todo torto, com a bola indo para cima. Ele mesmo pegou a própria sobra na área e bateu para o gol, mas mandou para fora, perdendo grande chance. Os egípcios até voltaram a assustar de novo, quase ampliando, mas Trezeguet parou na trave. Gostando do jogo, os moçambicanos ainda ameaçaram de novo, com um cruzamento da esquerda que Hamdy tentou cortar e mandou contra o próprio gol, sendo salvo pelo goleiro Elshenawy.

Virada histórica de Moçambique, mas Salah estava lá de novo …

O segundo tempo começou e Moçambique voltou gostando ainda mais do jogo, não à toa, buscou fazer história. Aos 10 minutos, Domingos cruzou na cabeça de Witi, que dessa vez acertou em cheio e bonito, mandando a bola no cantinho, sem chances para o goleiro, que ainda tocou na bola. Três minutos depois, os moçambicanos ousaram sonhar, quando Guima lançou Clésio, que ganhou na velocidade de Hegazy (deixando o adversário no chão) e invadiu a área para, cara a cara com Elshenawy bater no canto para virar o jogo.

O Egito demorou a responder com real perigo. Aos 31 minutos, Fathi recebeu cruzamento e deu um golpe bonito na bola, que tocou o travessão e ainda pegou no goleiro antes de ir para fora. Cinco minutos depois, Salah teve grande chance após a defesa cortar mal e deixa a bola no pé dele, mas o craque egípcio pegou mal e mandou para fora. Aos 45 minutos de jogo, Domingos tentou afastar uma bola na área e acabou acertando só Mostafa Mohamed. O árbitro foi ao VAR e marcou pênalti para o Egito. Na cobrança, Salah bateu firme e viu a bola ainda tocar na trave antes de entrar, para aumentar o drama ao empatar o jogo.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo