Africa

Angola fez história na CAN e nós te contamos como país-irmão do Brasil chegou a essa campanha histórica

Angolanos chegaram até as quartas de final da Copa das Nações Africanas e repetiram o feito de 2008 e 2010

A melhor campanha da história do futebol angolano talvez tenha sido a classificação da seleção para a Copa do Mundo da Alemanha em 2006, quando em três jogos, conquistaram dois empates e perderam em sua estreia para Portugal. Mas não há como negar que a brilhante campanha na Copa Africana de Nações em 2024 também teve muito destaque, não só pela chegada às quartas de final, mas pelo futebol apresentado, credenciando a equipe lusófona como uma das possíveis futuras potências do continente africano.

A trajetória de Angola não começou somente na fase de grupos da Copa Africana de Nações deste ano. É um trabalho que vem desde 2006, colhendo frutos interessantes e teve seu maior destaque na edição de 2024. Vamos relembrar boas campanhas da seleção angolana após 2006 e detalhar alguns destaques do elenco atual da equipe, que embora não tenha chegado a final da competição este ano, fez bonito, com um futebol alegre, ofensivo e com a cara e a ginga do esporte mais popular do Brasil.

Campanha de destaque nas Eliminatórias para a Copa Africana de Nações 2024

Angola esteve no Grupo E das Eliminatórias da Copa Africana de Nações de 2024, dividindo sua chave com Gana, República Centro Africana e Madagascar. Nas preliminares, uma classificação tranquila, com nove pontos somados em seis jogos, sendo duas vitórias, três empates e somente uma derrota. Na estreia da qualificatória, vitória sobre a República Centro Africana pelo placar de 2 x 1.

Em seguida, um empate fora de casa diante de Madagascar e derrota para a favorita Gana. No segundo turno da chave, empate diante dos ganeses por 1 x 1, nova vitória por 2 x 1 diante da República Centro Africana e empate sem gols frente à Madagascar, credenciando os Palancas Negras para a disputa da competição mais importante do continente africano.

Angola fez bonito e eliminou a favorita Argélia na Copa Africana de Nações

Este ano, Angola caiu no Grupo D da Copa Africana de Nações, junto da Mauritânia, Burkina Faso e da Argélia, considerada por muitos uma das principais favoritas ao título do torneio. Na estreia, empate por 1 x 1 diante da Argélia e vitórias sobre a Mauritânia por 3 x 2 e na última rodada da primeira fase, mais um triunfo, desta vez por 2 x 0 frente à Burkina Faso, segunda colocada do grupo.

Mais surpreendente que o bom desempenho de Angola foi a péssima campanha da Argélia, que ficou pelo caminho, com apenas um ponto somado, na última colocação da chave. Os grandes destaques da primeira fase foram Mabululo, jogador do Ittihad Alex, do Egito e Gelson, do Al-Warkah do Catar, que juntos marcaram quatro gols.

Gelson foi ainda mais decisivo nas oitavas de final, no show angolano para cima da Namíbia. O centro-avante marcou dois gols da vitória por 3 x 0 e Mabululo também deixou a sua marca. O resultado fez com que o time alcançasse a mesma fase de 2008 e 2010, quando Angola conseguiu chegar às quartas de final da Copa das Nações Africanas, ainda com parte da base que fez história ao se classificar para a Copa do Mundo de 2006.

Nas quartas de final, derrota para a Nigéria pelo placar de 1 x 0, mas um resultado vendido caro em um jogo disputadíssimo, decidido com um gol do atacante Lookman, aos 41 minutos do primeiro tempo. A derrota foi uma decepção para a equipe angolana, tendo em vista que apresentou um bom futebol durante a competição, mas mostrou que a seleção vem evoluindo e conquistando cada vez mais espaço dentro do cenário africano.

O feito deste ano foi ainda mais difícil do que em 2008 e 2010, quando alcançou as mesmas quartas de final da Copa das Nações Africanas, a diferença é que nas edições passadas, a competição continental era disputada em um número menor de seleções.

Talentos da Angola cada vez mais presentes nos grandes centros da Europa

Talento e competitividade são dois pontos necessários no sucesso de uma seleção. No caso de Angola, a presença de alguns jogadores em outros vários centros do futebol mundial ajudam a explicar o momento atual vivido pelas Palancas Negras. Dos 21 convocados para a Copa Africanas de Nações de 2024, 18 jogam fora de Angola. Os atacantes Zito Luvumbo, do Cagliari e N'Zola, da Fiorentina, são titulares em suas respectivas equipes na Itália, assim como os meio-campistas Fredy e Estrela, que atuam no futebol da Turquia.

Na zaga, Buatu-Mananga do Valenciennes da França e Gaspar, da Estrela da Amadora de Portugal, formaram uma dupla de zaga segura e no banco de reservas, o técnico Pedro Gonçalves, que está à frente da seleção angolana desde 2019 e veio das categorias de base do país montou um time muito ofensivo e que encantou a todos com sua disciplina tática e fino trato com a bola.

Campanhas de Angola na Copa Africana de Nações em 2008 e 2010

Dois anos após ser eliminada na fase de grupos da Copa do Mundo da Alemanha em 2006, Angola manteve a mesma base da seleção para a disputa da Copa das Nações Africanas de 2008, disputada em Gana. O time lusófono caiu no Grupo D, considerado um dos mais complicados, ao lado da Tunísia, África do Sul e Senegal.

Os angolanos passaram em segundo lugar na chave com cinco pontos. Na estreia empataram com a África do Sul por 1 x 1, bateram Senegal por 3 x 1 e na última rodada, ficaram no 0 x 0 diante da Tunísia. Nas quartas de final, derrota para o Egito pelo placar de 2 x 1. Os egípcios, de Aboutrika, Zidan e companhia, foram os campeões do torneio naquele ano.

Dois anos mais tarde, em 2010, a campanha de Angola também possibilitou ao time chegar às quartas de final. País sede daquela edição, os angolanos caíram no Grupo A, juntamente da Argélia, Mali e Malawi. A estreia diante de Mali é considerado até hoje um dos grandes jogos da história da Copa Africana de Nações. Angola abriu 4 x 0 no primeiro tempo com dois gols do lendário Flávio, ex-Al-Ahly do Egito, Manucho e Gilberto. No segundo tempo, entretanto, Mali conseguiu a remontada e empatou o confronto em 4 x 4.

Mesmo o empate na estreia não abalou os angolanos que bateram Malawi por 2 x 0 e depois ficaram no 0 x 0 diante da Argélia, passando em primeiro lugar na chave. Nas quartas de final, porém, mais uma eliminação, desta vez para Gana.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Existe um ditado que diz que o bom filho a casa retorna não é? Pois bem, sou Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia, de volta ao site após quatro anos, e agora redator do Trivela, um dos maiores portais de futebol do Brasil. Sou jornalista, especializado em Marketing digital e narrador do Portal Futebol Interior e também da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo