Vingancinha

Não é o mesmo contexto, não é uma vingança de fato pela derrota para o Manchester United na final da Liga dos Campeões de 1999, marcada de forma indelével na história do Bayern de Munique. De qualquer maneira, vencer de virada com um gol nos acréscimos tem sabor especial para o torcedor bávaro, que viu o time superar o baque inicial para se colocar em vantagem no confronto das quartas de final.

O Bayern levou o gol de Rooney, em falha grosseira de Demichelis, logo no segundo minuto de jogo. Depois disso, controlou a posse de bola, mas não conseguia furar a parede armada por Vidic e Ferdinand e concentrava suas tentativas em chutes de fora da área. O time da casa ainda se expunha aos contra-ataques, e não é exagero dizer que um pouco mais de eficiência nesse quesito poderia ter ajudado o United a matar o jogo ainda no primeiro tempo.

A segunda parte foi uma história totalmente diferente. Inspirado por Ribéry, o Bayern foi o único time disposto a jogar. Encurralado em seu campo, o Manchester United tinha uma saída lenta com o trio Fletcher-Carrick-Scholes. O empate só não saiu antes porque Van der Sar estava em noite de graça. Foi preciso o Bayern chutar treze vezes no alvo (contra seis do United) para marcar duas vezes. A última defesa do holandês, em um chute de Gómez, foi digna de entrar em uma coletânea dos melhores lances da competição.

O gol, com desvio em Rooney na barreira, premiou Ribéry como o melhor dos donos da casa. Mas o empate ainda não era satisfatório, e para garantir a vantagem do empate em Old Trafford o técnico Van Gaal mandou a campo um terceiro atacante, Klose. A virada vai para a conta de Evra, desarmado por Olic em plena área, mas faz justiça ao time que teve mais iniciativa ao longo dos 90 minutos.

A apreensão do torcedor do United, agora, fica por conta da condição física de Rooney, que sentiu o tornozelo e deixou o campo mancando. Desnecessário dizer que a ausência do camisa 10, autor de 34 gols na temporada, seria um duro golpe para quem precisará vencer, ainda que por 1 a 0, em Old Trafford. E para aumentar a importância do feito do Bayern, um dado: a última derrota do Manchester United como visitante na LC havia sido em 2007, na semifinal contra o Milan.

Enquanto isso, em Lyon, Lisandro López foi protagonista de uma vitória importante dos donos da casa por 3 a 1 sobre o Bordeaux. Um placar talvez exagerado pelo equilíbrio do confronto, e certamente pela decisão da arbitragem em marcar pênalti por um toque de mão não intencional de Chalmé na área.

A ausência de Lisandro, suspenso, será um pequeno alívio para o Bordeaux no jogo de volta, mas os girondinos vão depender muito da criatividade de Gourcuff e do faro de gol de Chamakh para ter chance de reverter o resultado. O gol fora de casa deixa alguma esperança.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo