Vai que é suuuaaa…

Meu nome é Dudelange Neto, mas todo mundo me chama de Dude.

Eu gosto muito de futebol. Meu time favorito é o Clube Barsa. Não é barato ser torcedor.

O futebol tem sido tratado como negócio há um bom tempo. Hoje em dia, torcer também significa consumir. Sem falar dos jogadores locais que são vendidos para clubes estrangeiros. Mas aí é ouuutra história…

Cá entre nós, o que leva uma pessoa a torcer por certo clube? Gostar de futebol talvez seja uma das maiores paixões brasileiras.

Muitas vezes a opção pela equipe pelo qual se vai torcer se dá na infância. Comecei a me interessar por futebol com 5 anos. Meu pai me levou para assistir uma partida do Barsa quando o Pelleti ainda jogava pelo meu time do coração. Depois que vi Pelleti jogar virei Barsense roxo! Posso dizer que minha decisão de escolher o Barsa teve dois motivos: meu pai e o Pelleti. Dois caras que admiro.

Sou um torcedor quase fanático. Não vou para a arquibancada sem meu kit básico: camiseta oficial, boné, bandeirinha, corneta e o rosto pintado com as cores do Clube. Aliás, não abro mão de assistir aos jogos nos estádios.

Os viciados por futebol gastam bastante para ter alguns produtos oficiais e atuais do seu time. Por isso, falei que sou “quase fanático”. Minha camiseta não é um modelo novo. Já está bem antiga e tem até um furinho. Não posso comprar a deste ano, pois o preço não é menor do que R$150. Além é claro, do preço do ônibus que me leva até o local do jogo e o ingresso.

Tenho vários amigos que investem muito em nome da paixão pelo clube. Quando eles querem vão ao estádio vibrar, mas há jogos que eles preferem assistir no conforto de suas casas. Os gastos nesses casos seriam as bebidas consumidas e petiscos.
Bom, isso quando o jogo é transmitido pela TV aberta. Já outros colegas, são mais bam-bam-bans. São aqueles que podem e pagam pacotes das televisões a cabo. Esses têm acesso aos canais que passam jogos e campeonatos 24 horas por dia. Quer mais? Costumo dizer que somos “consumidores de lazer”. (risos). Cada um dentro de suas condições.

Acredito que essas “facilidades” até favorecem o torcedor, mas escondem muitos interesses comerciais.

A Internet, por exemplo, é um dos meios de comunicação que deve dar muitos lucros aos diretores dos clubes. Por quê? Ué…a maioria dos times possuem sites oficiais. Sabe o que reparei? Quase todos parecem mais um shopping virtual.
É possível comprar várias coisas do clube com apenas alguns clique. É verdade! Parafernálias que vão de meias, canetas, chaveiros, camisetas, bonés a roupinhas para bebês. Os times mais famosos oferecem centenas de produtos licenciados. Porém, há quem acredita que esses portais foram criados para aproximar o torcedor de sua equipe. Não sei não…

Acho que posso me considerar um torcedor “consumidor”. Afinal, comprei a camisa oficial do Barsa. Porém, tenho uma dúvida? Será que um torcedor que compra mercadorias de seu clube contribui financeiramente para o seu time? Ou será que o dinheiro vai para o seu patrocinador? Vixi, ainda tem mais… será que os dois ganham? Clube e patrocinador?! E o torcedor? Ao comprar algo pode exigir mais de sua equipe? Pode também querer um estádio legal e seguro?

Confesso que nunca havia pensado nisto. Sempre fui ver as partidas sem a menor preocupação. É até engraçado porque meus amigos e eu sempre tratamos o Barsa como “nosso”. Quando nos encontramos sempre falamos: Nosso Barsa joga hoje.

Como eu disse no início, torcer por um time pode custar muito caro. Será que o torcedor escolhe um determinado clube por influências na infância, pela história da equipe, por causa de certo jogador, por ser uma liga reconhecida pelas mídias…

Enfim, espero que o vínculo afetivo entre clube e torcedor um dia possa existir sinceramente. Sem interesses omitidos.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo