Todo técnico brasileiro é interino

Nesse mundo capitalista e consumista todos buscam um emprego estável, de preferência com plano de carreira, numa empresa sólida e que propicie o crescimento pessoal e profissional, com salários justos, um cargo salubre em um ambiente favorável. A estabilidade financeira e a estabilidade na carreira são os pontos principais na hora de escolher em qual mercado de trabalho você vai se arriscar.

Por todos esses motivos é que eu nunca quis ser técnico de futebol!

Se é verdade a necessidade de uma estabilidade, o técnico de futebol vai na contramão, enquanto muitos se preocupam em planejar uma carreira sólida no mesmo emprego, o técnico não sabe se vai sobreviver à próxima rodada. Enquanto alguns priorizam um ambiente salutar, o técnico briga com os jogadores, recebe ameaças da torcida, conta com alguns opositores na direção e coloca toda a culpa da sua desgraça na imprensa.

Salários justos? Sim, aí eles são iguais a todos os outros trabalhadores. Os salários são muito altos em comparação a população brasileira, mas são justos, visto as dificuldades e os contratempos da profissão.

Se nós, pobres mortais queremos trabalhar numa empresa que propicie o crescimento, os técnicos só querem uma empresa que cumpra com a palavra, não importa o dia de amanhã, não importa o crescimento em longo prazo, pois todos os técnicos brasileiros são de curto prazo.

É isso que eu não entendo no futebol brasileiro e no futebol sul-americano. Aqui no nosso continente os técnicos de futebol são todos interinos, não importam se trabalhem num clube por um mês, seis meses, um ano ou mais do que isso, a cada rodada, a cada partida, a cada mal resultado sempre surge a possibilidade de uma demissão sumária, de uma “mudança de planejamento”, de uma nova “filosofia de trabalho”, e nessas mudanças são os técnicos os primeiros a saírem.

A maioria dos técnicos já assumiu essa postura de interino, não compram casa nos lugares onde vão trabalhar, não mudam com a família e não criam laços de amizades e afetivos, eles apenas cumprem seus deveres esperando o dia que vão embora, o dia em que o destino no futebol vai mostrar uma nova cidade para trabalhar.

Enquanto os trabalhadores buscam a estabilidade, todo técnico é interino.
 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo