Ryo Miyaichi: prodígio nipônico

 

Por Marcus Vinicius Garcia

Que o futebol japonês vem crescendo nos últimos anos, todos nós sabemos. O atual campeão da Copa da Ásia teve uma ótima participação no último Mundial, chegando até as oitavas-de-final com gratas revelações individuais como o meia-atacante Keisuke Honda do CSKA da Rússia. Mas existe um outro jogador que promete. Seu nome: Ryo Miyaichi.

Nascido na cidade de Okazaki, na província de Aichi (localizado na ilha principal do Japão, a 310 Km de Tóquio), Nyo é filho de Tatsuya Miyaichi, o qual jogava beisebol profissionalmente no clube da Toyota Motors. Após a carreira profissional, dirigiu o time de Toyota City na mesma província de Aichi. O pequeno Ryo optou por outro esporte e começou a jogar futebol na escola – e, consequentemente, a se destacar.

Na adolescência, Ryo começou a jogar futebol pela equipe do Sylphid FC, na cidade de Nagoya. Mais tarde, aos 16 anos, passou a jogar na Chukyodai Chuyko High School. Em 2008, já integrava as seleções de base do Japão, jogando o Mundial Sub-17 na Nigéria. Em 2010, além de integrar a seleção Sub-20 do Japão, Ryo se destacou no All Japan High School Soccer Tournament, o maior torneio de futebol amador organizado pela Associação Japonesa de Futebol. O Chukyodai não foi bem no torneio, eliminado na primeira fase. Mas o torneio foi importante para o jovem Ryo Miyaichi e sua carreira deu um salto. Tudo porque neste torneio havia um observador mais do que especial: Arsène Wenger, técnico do Arsenal.

Importância inglesa

Técnico do Nagoya Grampus Eight nos anos de 1995 e 1996, Wenger é idolatrado pelos japoneses. Conhecido como “milagreiro”, ganhou a Copa do Imperador (1995) e a Supercopa Japonesa (1996), ele ficou impressionado com o talento do garoto – dono de uma técnica apurada, toques e dribles rápidos e uma velocidade espetacular (Ryo atingiu neste torneio os incríveis 100 metros em 10,84 segundos, pouco abaixo da marca atingida por um atacante do próprio Arsenal, Theo Walcott, que fez em 10,30 segundos).

Conhecido por ser um visionário no futebol – por preferir trabalhar com jovens talentos para desenvolvê-los, moldá-los no seu estilo de esquema de jogo, a trabalhar com renomados jogadores – Wenger (que já revelou no futebol talentos como o espanhol Césc Fabregas, o holandês Robin Van Persie, o marfinense Koló Touré, o inglês Theo Walcott e o dinamarquês Nicolas Bendtner) viu grande potencial no garoto japonês. Tanto que o “manager” dos Gunners convidou o garoto, então com 17 anos, a fazer alguns testes no clube inglês durante o verão de 2010. Miyaichi atuou na pré-temporada contra o Boreham Madeira e o AFC Wimbledon, agradando ao treinador francês. Sua habilidade também havia chamado a atenção de outros clubes europeus como Milan e Ajax, mas os ingleses chegaram na frente e trataram de contratá-lo.

Ryo assinou seu primeiro contrato profissional com o Arsenal em 31 de janeiro de 2011, aos 18 anos, num compromisso até o ano de 2014. O young gunner nem chegou a entrar em campo pelo clube: para adquirir experiência, foi emprestado para o Feyenoord da Holanda.

Miyaichi estreou profissionalmente no dia 5 de fevereiro de 2011, num empate de 1×1 contra o Vitesse pelo Campeonato Holandês. O time de Roterdã (que é o terceiro maior campeão na Holanda, depois do Ajax e o PSV) estava nas últimas posições, tinha levado uma histórica (e humilhante) goleada de 10×0 do PSV Eindhoven e estava afetado emocionalmente pelas saídas dos ídolos Roy Makaay e Giovanni Van Bronckhorst, que se aposentaram. Ryo chegou como um alento ao time. Até porque em sua segunda partida, diante da torcida, o meia japonês brilhou. Contra o Heracles, Miyaichi marcou o primeiro gol da vitória de 2×1, em uma atuação brilhante.

Nova fase

Depois dessa grande apresentação, Ryo Miyaichi tornou-se novo ídolo da torcida. Tanto que ganhou o apelido de “Ryodinho” – uma referência ao Ronaldo Fenômeno, jogador que se destacou no PSV Eindhoven, também com 18 anos.

Desde que Ryo entrou em campo com a camisa alvi-rubra, o Feyenoord não perdeu mais. Foram 14 pontos conquistados em 18 possíveis, subiu para a 11° posição e deixou de ser ameaçado pelo rebaixamento. A fase do japonês no Feyenoord é tão boa que o técnico do time Mário Been já confia numa campanha melhor na Liga Europa.

Agora os olhos da mídia estarão voltados ao jovem japonês, que ao final da temporada holandesa voltará ao Arsenal. Muitos apostam na convocação de Miyaichi para a seleção principal do Japão nesta Copa América, que será disputada em 2011 na Argentina.
Se vai ser convocado para a seleção principal ainda não sabemos, mas que o garoto tem talento de sobra para confirmar a aposta, isso sabemos muito bem.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo