Real Madrid: prova de fogo para os “ex-galácticos”

por Henrique Barbosa de Souza

O Real Madrid vem para esta temporada com pretensões de que esta seja bem mais tranquila que a anterior. Muito criticado, o italiano Fabio Capello deixou o comando do clube merengue mesmo conquistando o título espanhol. Para o seu lugar, o alemão Schuster veio do Getafe, mas o ex-jogador ainda é um tanto quanto inexperiente, sobretudo para um clube da grandeza do Real Madrid, do qual sempre são esperados títulos.

Além da troca de técnico, o Real adotou uma postura diferente nas suas contratações para essa temporada. Ao invés de reforços desnecessários para o ataque e para o meio, a prioridade dos espanhóis foi o seu setor mais carente, a defesa. Outra mudança significativa foi o fato do clube não ter contratado nenhum “super-craque” ou galáctico.

Jogadores como Dudek, Pepe, Metzelder e Drenthe chegaram para reforçar e muito a antes frágil defesa espanhola. Nomes como esse farão o setor defensivo do Real melhorar bastante. Outras contratações são o ótimo Sneijder, que pode ser a solução para o meio-campo merengue e o argentino Saviola, sempre interessante, são boas opções para se variar o esquema tático dos merengues.

Mesmo assim, o clube deve passar por um período delicado, sobretudo nesse início de temporada. Será um período de afirmação tanto para os novos jogadores quanto para o técnico. Schuster vai precisar de tempo para implantar seu esquema tático e para conhecer melhor seus jogadores. Já os novos contratados podem sentir a pressão ao jogar em um clube grande como o Real, mas se souberem lidar com as constantes cobranças, têm tudo para dar certo. Se os jogadores e o técnico conseguirem manter a harmonia no elenco, o Real Madrid pode muito bem bater de frente com o reforçado (e estrelado) Barcelona.

Com a saída de Beckham para o Los Angeles Galaxy, encerrou-se um ciclo da história do Real Madrid. Teve fim a era dos “galácticos”, e jogadores como Ronaldo, Figo, Zidane e Beckham escreveram seu nome na história do Real Madrid apesar das oscilações vividas nesse período. A época conturbada, com títulos e ao mesmo tempo desentendimentos no clube fará agora parte do glorioso passado dos merengues.

Resta ver se as apostas no trabalho de Schuster e no futebol de jovens como Drenthe e Sneijder, e no talento de Saviola, Pepe e Metzelder renderão bons frutos para o Real Madrid. Uma coisa é certa: talento o time tem de sobra. Além disso, tem tradição e pode conquistar todos os títulos que disputar. Com o fim da “era galáctica” no Real e o início do período após Capello, o torcedor merengue espera que essa seja uma época repleta de títulos para os espanhóis, que com certeza têm capacidade para isso.

Com a perda da Supercopa Espanhola para o Sevilla, o que se viu do Real Madrid foi uma equipe desarrumada e, vale destacar, a atuação sofrível de Pepe. O novo contratado do Real Madrid cometeu um penâlti aos 36 do primeiro tempo, convertido por Kanouté, e foi expulso na segunda etapa. Após uma derrota como essa, é preciso acender o sinal de alerta em Madrid e se perguntar se o novo Real conseguirá dar à sua exigente torcida o que ela tanto deseja, ou seja, títulos.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo