Portillo: Um novo clube, uma nova chance

Apesar dos cofres abarrotados, negócios bem sucedidos e administração de primeira linha, sempre é possível fazer críticas aos clubes ´top´ do futebol mundial. E uma que sempre aparece é que esses clubes, justamente por terem dinheiro para trazer o craque que quiserem, não dão tanto valor aos jogadores revelados em sua própria base, o que não deixa de ter um fundo de verdade. Nessas condições, muitos jogadores têm que deixar o time onde se profissionalizaram para fazer sucesso em outro elenco menos ´estrelado´. Esse é o caso de Javier Portillo, que joga em 2004/5 sua primeira temporada longe do Real Madrid, time que o revelou.

O novo clube do jovem atacante espanhol é a Fiorentina. Talvez não houvesse destino melhor para que Portillo mostrasse seu futebol: um jogador novo, procurando novos ares e oportunidades, em uma equipe que volta a ser grande a partir desta temporada. Um casamento que começa dando certo.

Início promissor, mas…

Mesmo que as equipes européias não aproveitem muito os jogadores revelados na base, seria incorreto dizer que elas não cuidam das categorias inferiores. Lá, os jogadores têm estrutura de primeira e podem pegar ritmo atuando nas equipes B que os clubes montam para disputar as divisões inferiores. E foi jogando na base e no time B do Real que Portillo se destacou. De 1994 a 2001 (quando se profissionalizou), Portillo fez 709 gols pelas equipes inferiores do Real Madrid, além de ser campeão europeu sub-16 e sub-19 com a seleção espanhola. Tais números fizeram com que se acreditasse que o garoto chegaria ao time profissional do Real como estrela, justificando todas as apostas feitas nele. E é aí que os problemas começaram a aparecer.

Como ser titular em uma equipe como o Real, que ano por ano faz uma contratação ´bombástica´? Da profissionalização pra cá, Portillo viu chegarem aos Merengues os craques Figo, Zidane, Ronaldo, Beckham, Owen e ainda por cima a consagração dos sempre eficientes (e ídolos da torcida) Raul e Morientes. Mesmo com a saída deste último por empréstimo ao Monaco na temporada passada, o máximo que Portillo conseguiu foi ser o reserva imediato do ´Fenômeno´ Ronaldo. Nem mesmo sendo o artilheiro máximo da Copa do Rei na temporada 2002/3 o atacante obteve a seqüência de jogos que tanto esperava para deslanchar de vez como craque do Real Madrid.

Nova casa

Com o retorno de Morientes e a chegada de Owen no começo da atual temporada, a situação de Portillo nos Merengues ficou mais difícil ainda. Mais uma vez, o atacante se veria obrigado a esperar que os astros do ataque o dessem uma chance para ser titular o Real, o que parecia cada vez mais improvável. Foi a chance definitiva para fazer o que sempre era comentado, mas nunca ocorria: jogar em outro clube. Depois de ser cogitado pelo pequeno Levante e pelo Monaco, Portillo fechou com a Fiorentina. Assim como Morientes, sai por empréstimo. E assim como Morientes, espera retornar ao Real Madrid como uma esperança.

Afinal, sua contratação foi muito recebida pelos torcedores da Viola. Trazer uma jovem revelação do poderoso Real Madrid, ainda que um reserva, é coisa de ´time grande´, algo que a Fiorentina faz questão de provar que é na atual temporada, depois do inferno da quarta divisão. Portillo é chamado carinhosamente de ´Il Ragazzino´ (o rapazinho) por Emiliano Mondonico, o técnico da Fiorentina, que aposta muito em seu futebol. Agora é com você, Portillo. Essa é a hora de provar que você é craque e não mais uma das ´eternas promessas´ que o futebol tanto cria.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo