Paulo Ferreira: Um estranho no ninho

No início do ano, a UEFA anunciou a seleção dos melhores jogadores do futebol europeu eleitos pelos torcedores em seu site. Na equipe de 2003, há de grandes astros como Beckham, Zidane e Henry. Entretanto, em meio a todos esses craques consagrados, houve espaço para a presença de uma grata surpresa. Estamos falando do lateral direito do Porto Paulo Ferreira.

O atleta português recebeu 38% dos votos para sua posição, desbancando Thuram, Míchel Salgado e Javier Zanetti. Além desse prêmio, Paulo Ferreira ainda conseguiu faturar três títulos em sua primeira temporada com os Dragões. A aposta do treinador José Mourinho, também premiado na eleição, não poderia ter um melhor começo no clube.

Antes de chegar ao Porto, o lateral direito atuou em duas outras equipes portuguesas. Sua carreira começou no Estoril, onde surgiu como meia. Após conseguir um certo prestígio dentro da equipe, Ferreira começou a sofrer com constantes ausências nas partidas em virtude do cumprimento do serviço militar. Porém, isso não foi empecilho para que ele se transferisse para o Vitória Setúbal.

Em sua nova equipe, após algumas partidas, Paulo começou a ser utilizado na lateral direita, posição na qual ele atuava nas seleções inferiores portuguesas. Assim como no time nacional, ele se firmou e tornou-se dono da vaga. Algum tempo depois, graças ao sucesso da mudança, o interesse das grandes equipes tornava-se cada vez mais freqüente. O Sporting chegou a sondar sua contratação, mas não aceitou os valores pedidos pelo time de Setúbal.

À medida em que suas atuações ganhavam destaque na seleção sub-21, novos clubes sondavam sua aquisição. Até que num confronto contra o Leça, representantes do Porto estiveram no estádio o observando e recomendaram sua compra. Não demorou muito, e o Vitória Setúbal anunciou a venda de Paulo Ferreira aos Dragões, por US$ 2,5 milhões.

Excelente preparo físico

Sem sombra de dúvidas, a condição física de Paulo Ferreira é sua principal virtude como jogador. Essa característica é ainda mais importante na posição em que atua, a lateral direita – um setor que requer muito do atleta, pois as idas e vindas do ataque são muito desgastantes.

Aliás, esse ótimo preparo faz com que Paulo Ferreira raramente fique ausente de uma partida por causa de alguma lesão. O lateral portista possui a incrível marca de ter atuado consecutivamente em 77 partidas. Esse dado ainda serve para demonstrar o grau de confiança dos treinadores no trabalho dele. Afinal, nenhum técnico manteria um jogador como titular por tanto tempo se não confiasse no próprio.

Entretanto, para atuar em tantas partidas, não é necessário apenas ter um bom condicionamento físico, mas também uma boa disciplina dentro de campo. Paulo Ferreira é um jogador extremamente disciplinado, que raramente se envolve em discussões com os árbitros. Para que o leitor possa ter uma idéia do que estou falando, basta dizer que num período que compreende duas temporadas e meia, ele recebeu apenas quatro cartões amarelos e nenhum vermelho.

Tudo isso é muito bom, mas fica ainda melhor quando aliado ao talento que o lateral direito dos Dragões tem. Além de defender muito bem, sempre evitando as faltas, ele sobe sempre que pode ao ataque, fazendo cruzamentos precisos ou entrando em diagonal, assim como fazia nos tempos de meia. Apesar de ter abandonado essa posição no início da carreira, o português ainda é utilizado nesse setor em algumas oportunidades.

Mesmo sendo considerado um dos grandes laterais da atualidade, Paulo Ferreira terá sempre de estar em intensa melhora para manter sua titularidade na equipe de Felipão, pois o rival do Benfica, Miguel, sempre estará de olho em sua vaga. Por não ser um atleta com muita velocidade, ele precisa ainda saber dosar o número de subidas ao ataque para não deixar o lado direito da defesa permeável a investidas dos adversários.

Um grande investimento

Ao assistir as atuações de Paulo Ferreira pelos Dragões, os dirigentes do Sporting devem se lamentar de ter perdido a oportunidade de contar com o futebol do lateral. Não é para menos. Ao investir em sua contratação, José Mourinho não fazia idéia do quão fundamental ele iria se tornar em sua equipe. Mesmo com sua nítida timidez, Ferreira não se assustou ao chegar ao clube e encostou o veterano Carlos Secretário.

Após a aposentadoria de João Pinto, um ídolo dos Dragões, ele foi o primeiro jogador que conseguiu substituí-lo bem. Antes dele, haviam passado pelo mesmo setor nomes como Ibarra, do Monaco, e outros tantos que não conseguiram sucesso na posição. Definitivamente, sua condição de indispensável no esquema do Porto derruba aquelas máximas que dizem que boas contratações resumem-se a atacantes.

Como Ferreira possui um prestígio semelhante ao de Deco no elenco da equipe, os torcedores portistas começam a se preocupar com sua possível venda para alguma grande equipe européia. Motivos para isso não faltam, pois o treinador do Manchester United, Alex Ferguson, ordenou sua observação após as atuações dele nas oitavas-de-final contra os próprios Red Devils.

Ademais, não seria nada utópico pensar que Paulo Ferreira ainda possa continuar entre os Dragões por mais algumas temporadas, pois, com o sucesso na atual Liga dos Campeões, a equipe terá de dinheiro para mantê-lo entre seu quadro de jogadores. Como o próprio lateral direito diz, ele não está interessando em se transferir agora, limitando-se somente a ajudar o clube na conquista de uma incrível Tríplice Coroa.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo