Nunca vão aprender

Portuguesa e Campinense na Paraíba, pouco mais de 30 minutos do segundo tempo, jogo empatado em 2 a 2. Joguinho ruim, chutão pra lá, chutão pra cá. Em um lance, a bola é lançada dentro da área da Lusa, o atacante chuta, o goleiro dá rebote. E o jogador da Lusa que devia estar marcando, está caído no chão esperando o juiz dar uma falta.

Como ele não está marcando e o j uiz não dá a falta, a bola sobra para o jogador do Campinense. Quando percebe, o jogador da Portuguesa levanta lépido, e tenta se lançar à frente da bola, sem nenhum sinal da contusão que o fizera ficar no chão! Mas não dá tempo, e o jogador do time paribano acerta um belo chute e desempata o jogo.

Já falamos sobre isso aqui várias vezes: por que o jogador brasileiro, entre tentar seguir na jogada ou tentar cavar uma falta, quase sempre tenta cavar a falta? Culpa da nossa cultura futebolística, e da arbitragem, que quase sempre dá as desejadas faltas.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo