Micah Richards: inglês 'à brasileira'

A defesa do Manchester City mudou bastante com a chegada de Thaksin Shinawatra, o milionário que fez uma pequena revolução no clube, levando o técnico Sven Goran Eriksson, Elano e mais uma série de jogadores. Um nome ficou ali mesmo: Micah Richards.

O inglês é uma das esperanças da Inglaterra para dias melhores para a sua seleção. Forte e técnico, Micah não lembra em nada os zagueiros sólidos e pouco ágeis que a Inglaterra teve nos últimos anos. E parte da receita para moldar Micah é…brasileira!

Richards lapidou seu talento em uma das escolinhas de Simon Clifford, o inglês apaixonado pelo futebol brasileiro que fundou as ‘Brazilian Soccer Schools’ que se espalharam pelo Reino Unido. De Leeds, Micah conseguiu a vaga no Manchester City, na seleção e se espera que possa ir ainda mais longe.

As expectativas de Clifford para Richards não são pequenas: “Ele renderá melhor quando passar ao meio-campo, porque é muito técnico, além de ser forte e resistente. Na minha opinião, ele pode ser melhor do que Steven Gerrard”. Nada modesto.

Tirando Gary Neville da posição

Assim como Cafu foi durante muitos anos dono da lateral direita da Seleção Brasileira, Gary Neville foi na Inglaterra. Prestes a se aposentar da seleção inglesa, o jogador do Manchester United pode parar antes do que previa. Tudo porque Micah Richards, zagueiro do Manchester City, está numa ascensão impressionante e nos últimos dois jogos da seleção inglesa, foi considerado um dos melhores em campo, jogando de lateral-direito.

Natural de Birmingham, o atleta chegou ao City aos 14 anos, vindo do Oldham Athletic. Fez sua estréia como profissional em outubro de 2005, aos 17 anos, num jogo contra o Arsenal, válido pela Premier League. Desde então, passou a ser nome constante na escalação do time e, em sua temporada de estréia, já foi eleito o jogador jovem do ano do clube.

Ele e os palavrões

Richards ganhou notoriedade numa partida contra o Aston Villa, pela FA Cup, em que marcou um gol de cabeça aos 49 do segundo tempo. Após o jogo, em entrevista ao vivo para a BBC One, ele definiu seu gol com o termo “fucking hell”. Um dos locutores do canal, preocupado com o que os telespectadores pensariam tentou amenizar: “é a inexperiência do jovem rapaz”.

Mas este não foi o único episódio polêmico do zagueiro diante das câmeras de televisão. Em setembro de 2006, quando o City enfrentava o Reading e vencia por 1 a 0, o jovem atleta reclamou ao ser substituído pelo seu ex-treinador Stuart Pearce e, diante das câmeras, tirou a camisa e começou a “cuspir” palavrões para todos os lados. Seu ex-companheiro de clube, Paul Dickov, precisou conter o jovem jogador e seu temperamento alterado.

As especulações

O camisa 2 do City começou a ser conhecido na Inglaterra não só pelas polêmicas palavras, mas também pelo seu futebol que crescia a cada jogo. Não demorou muito para que as propostas começassem a aparecer e, em julho de 2006, o City recusou uma proposta de € 5 milhões, do Tottenham. Na janela de transferências de janeiro deste ano, falou-se muito numa possível transferência para o Chelsea, num negócio que valeria aproximadamente € 15 milhões, mas nada se concretizou.

A temporada 2007/08 começou e o zagueiro continua no Manchester City, mas agora de contrato renovado até 2011, graças à chegada do ex-primeiro ministro tailandês, Thaksin Shinawatra, novo dono do clube. Quem pensava que o jogador fez mal negócio em não ir para uma equipe de maior expressão se engana. Ele foi coroado pelas boas atuações na defesa do City e eleito o melhor jogador do mês de agosto da Premier League. A fase do time é tão boa que Sven-Goran Eriksson levou o prêmio de melhor treinador do mês passado. Richards já tem tanta influência na equipe que foi o jogador mais jovem a receber a braçadeira de capitão do City, na ausência de Richard Dunne, em jogo contra o Aston Villa, nesta temporada.

No English Team

Pela Inglaterra, Micah Richards teve atuações impecáveis nos dois últimos jogos das elminatórias da Euro 2008, jogando como lateral-direito.Os ingleses venceram Israel e Rússia, ambos pelo placar de 3 a 0 e ele marcou seu primeiro gol pelo país, contra os israelenses. Sua estréia na seleção foi em 2006, diante da Holanda, após 28 jogos como profissional.

Como tinha apenas 17 anos, bateu o recorde de Rio Ferdinand, tornando-se o defensor mais jovem a ser convocado para o English Team. Portanto, Gary Neville que se cuide! O jogador do Manchester United está se recuperando de lesão e ainda pretende voltar à seleção, mas a crescente evolução do zagueiro do City pode forçá-lo a parar antes do que pretendia.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo