Mbokani: o “novo Drogba”

Imagine a situação. Você chega de um país africano para atuar no maior clube de uma capital européia. Só que é um clube grande e suas chances são poucas. Desanimado, o clube te deixa ir embora e você vai para um rival que não vence o título há 25 anos. Daí, na temporada seguinte, seu novo time lidera toda a temporada e o título pode vir exatamente no confronto com seu ex-clube. Daí, você, titular absoluto de seu novo time, decide a partida com dois gols e tira seu novo clube do jejum.

É mesmo uma história meio da Carochinha, daquelas que parecem de produção “B” americana, mas acredite, é verdadeira. Dieumerci Mboukani, atacante congolês de 22 anos, foi o nome do jogo entre Standard Liége e Anderlecht na semana passada e tirou o time do Sclessin de um longo jejum. Agora, considerado pela imprensa belga como o sucessor de Didier Drogba, atacante marfinense do Chelsea, Mboukani caiu nos olhos dos grandes europeus e em breve pode aparecer com uma camisa mais tradicional.

Rota Congo-Bruxelas

O caso de Mboukani não é uma raridade. A Bélgica foi a metrópole colonial de alguns países africanos, como o Congo Belga – hoje República Democrática do Congo – e Ruanda. Por isso, as ondas de migração congolesas para aBélgica são grandes. Inclusive no futebol.

Dieumerci começou sua carreira no Belor, da própria República do Congo, mas foi no TP Mazembe que chamou a atenção com 11 gols em sua primeira temporada. Fez parte da sua seleção ativamente e acabou cortado às vésperas da Copa Africana de Nações de 2006.

Em janeiro de 2007, Mbokani foi contratado pelo Anderlecht. O clube de Bruxelas precisava de um atacante por causa da má fase de Mbo Mpenza e da contusão de Memé Tchité. Atuando somente nove vezes, é vendido para o Standard por €1milhão. Nesta temporada, Mbokani explodiu. Ele jogou 22 vezes pela Jupiler League, marcando 12 gols (mais seis na Copa da Bélgica).

Vingança

Sua vingança foi em grande estilo. Na 31a rodada, o Standard recebeu o Anderlecht no Sclessin. Se vencesse, conquistaria matematicamente um título que não vinha há 25 anos – mesmo sendo um clube tradicionalíssimo na Bélgica, tendo revelado um dos maiores goleiros da história, Michel Preud’Homme, que, coincidentemente é o treinador hoje.

No clássico, um jogo muito disputado, o empate permanecia até os9min do segundo tempo, um cruzamento de Goreux encontrou Mbokani para abrir o placar, e também o congolês arrematou depois do zagueiro brasileiro Dante escorar de cabeça. Era o título voltando à Bélgica francófona.

A comparação com Drogba é bem válida. Mbokani é um atacante alto (1m85) e forte fisicamente, embora bastante ágil. Chuta bem com o pé esquerdo, mas prefere usar o direito se tiver como optar. Tem bom posicionamento e cabeceia forte. Aparentemente, todos os atributos para se tornar um grande goleador na Europa.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo