Luxemburgo: Persistência

Sabe aquela seleção que sempre tenta, mas nunca consegue uma vitória, nem sequer um mísero empate? Pois essa é a história de Luxemburgo, que ficou 55 jogos perdendo jogo atrás de jogo. Nem empate vinha para eles.

Eis que, quase no término das eliminatórias da Euro-2008, o meia Alphonse Leweck conseguiu algo improvável: fez um gol que valeu uma vitória para Luxemburgo. A partida foi contra o Belarus de Aleksandr Hleb e foi disputado em Minsk, capital do time visitante.

O jogo acabou 1 a 0 para os D'Roud Leiwen (Leões Vermelhos, apelido da seleção luxemburguesa), mas valeu por uma goleada, tão raros são os motivos de festa para a seleção deste minúsculo grão-ducado que fica entre França, Alemanha e Bélgica.

As constantes derrotas não abalam o amor pelo futebol: os fãs luxemburgueses, moradores do país que perdeu 258 dos 306 jogos que disputou na história, ainda gostam – e muito – de futebol, a ponto de esporte ser o mais praticado no país, mesmo com todos os fracassos de sua seleção.

A época de ouro de Luxemburgo

O país, que foi um dos fundadores da Fifa e é o que disputou mais edições das eliminatórias para a Copa (18), tem como maior feito ter chegado às quartas-de-final do Campeonato Europeu de Seleções (atual Eurocopa) em 1964. Era a primeira vez que Luxemburgo participava do torneio. Logo de cara, enfrentou a Holanda, que mesmo que ainda não fosse aquela Laranja Mecânica que encantou o mundo em 1974, era uma seleção a ser respeitada.

O primeiro jogo foi em Amsterdã. Após um primeiro tempo movimentado com um gol de cada lado, Luxemburgo se segurou para levar o empate para a segunda partida, que também seria realizado na Holanda. Na volta, os azarões venceram por 2 a 1 em Roterdã (com os dois gols luxemburgueses de Dimmer), causando assim a maior surpresa das oitavas-de-final.

Nas quartas-de-final, Luxemburgo enfrentaria a Dinamarca, que, também disputava pela primeira vez a competição. O primeiro jogo foi disputado em Luxemburgo: no final, empate por 3 a 3. Na volta, em Copenhaguen, Luxemburgo segurou o empate por 2 a 2, o que forçou um terceiro jogo, no campo neutro de Amsterdã.

Nesta última partida, Luxemburgo caiu: derrota por 1 a 0. Quem foi para a Espanha disputar a fase final do Campeonato Europeu de Seleções foi a Dinamarca. Apesar da decepção, essa campanha ainda é o maior feito da história do futebol do país, que, por alguns meses, foi um pequeno gigante na Europa.

Seleção em evolução

Para tentar voltar a causar algumas surpresas, a seleção tem montado uma base sólida. Boa parte do time atua em equipes do próprio país, como Jeunesse d´Esch e o Dudelange, atual tetracampeão nacional.

Os destaques são o experiente zagueiro e capitão Jeff Strasser, que joga no francês Metz e é um dos mais populares jogadores luxemburgueses, o zagueiro/lateral Mario Mutsch, que atua no suíço Aarau, o atacante Da Mota, que joga no Etzella Ettelbruck, e o jovem meia Gilles Bettmer, que defende o Freiburg, da Alemanha.

Já na parte de revelações, estão aparecendo diversas promessas, como o lateral Clayton de Sousa, que joga no Jeunesse d´Esch e o atacante Naby Twimumu, nascido no Congo, mas que atua desde criança em times belgas.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo