His Way: The Brian Clough Story

Sendo o futebol um dos poucos setores em que o Brasil é líder mundial, acabamos, muito por culpa da imprensa, dando quase ou nenhuma atenção a grandes nomes do ´´´´beautiful game´´´´ que nasceram em outros países. Exemplos estão aí, aos borbotões. Mathias Sindelaar. ´´´´Quem?´´´´ (O maior jogador austríaco da história e provavelmente o mais técnico da década de 30). Wilf Mannion ´´´´Hã?´´´´ (para muitos o maior jogador inglês da história). A lista não termina. Dezenas de personalidades fabulosas são completamente desconhecidas no Brasil ´porque somos os melhores do mundo, e então, não precisamos prestar atenção aos outros´. É uma pena. Deixamos de conhecer histórias sensacionais.

Como a de Brian Clough. ´´´´Não entendi?´´´´. Brian Clough foi, muito provavelmente, o técnico mais famoso da história do futebol inglês. Não só porque é o único treinador a ser campeão inglês por dois clubes pequenos e diferentes, além de vencer a Copa dos Campeões com um Nottingham Forest duas vezes seguidas. Clough foi uma personalidade única. Aprendeu a manipular a mídia ainda nos anos 60, quando a TV era novidade; colecionou inimigos como pedrinhas, tamanho era o veneno de sua língua. E formou jogadores em uma quantidade industrial, durante as décadas de 60, 70, 80 e 90.

Quando Clough morreu, em 2004, a Inglaterra parou para reverenciá-lo. E um jornalista muito próximo dele, Patrick Murphy, resolveu escrever a narrativa completa da vida de um personagem ativo durante 40 anos de futebol no país. A proximidade do autor com o biografado deixa uma suspeita de que há uma certa parcimônia em descrever a personalidade irascível – e às vezes, insuportável – de Clough. Contudo, graças à sua proximidade com ´´´´Cloughie´´´´, Murphy tira um retrato que ninguém mais conseguiria tirar.

Clough não foi só técnico. Foi o jogador profissional que chegou mais jovem aos 250 gols na Inglaterra (com 27 anos). Lamentavelmente, com a mesma idade, sofreria uma contusão nos ligamentos do joelho que encerrariam sua carreira. Em dois clubes (Middlesbrough e Sunderland), Clough fez 251 gols em 274 partidas. Murphy retrata muito bem como a sua aposentadoria súbita teria forte influência na formação do técnico: disciplinador ao extremo, pregador ferrenho do ´fair play´, e genial para tirar o melhor de cada atleta.

O autor também narra como a parceria de Clough com outro técnico – Peter Taylor – foi fundamental na carreira de ambos, até se separarem no início dos anos 80, já no Forest. A dupla já tinha, nesse ponto, dirigido quatro clubes juntos: Hartlepool, Derby County, Brighton Hove & Albion e Nottingham Forest. Exceção feita ao Brighton (onde Clough ficou menos de 30 dias), os dois venceram dois títulos ingleses e duas Copas dos Campeões com jogadores basicamente garimpados pelos dois nas divisões inferiores. E não foi pouca gente. Archie Gemmill, Alan Durban, John Robertson, John McGovern. Viv Anderson, Martin O´Neill, Trevor Francis, Gary Birtles, Peter Shilton, Roy Keane, Teddy Sheringham (só para citar os que chegaram à seleção de seus países), entre muitos, muitos outros.

Murphy também conta como Clough fracassou terrivelmente em uma passagem de 43 dias no Leeds United, graças ao modo cavalar como tratou os jogadores – então, atuais campeões ingleses, como deixou de ser técnico da Inglaterra (sua grande frustração) porque era incontrolável demais para ser nomeado pela FA, e como sucumbiu ao jogo muito físico do início dos anos 90, com o advento da Premiership. Clough era o técnico do Forest na fatídica semifinal de FA Cup de 1989, contra o Liverpool, onde morreram 90 pessoas, em Hillsborough; foi suspenso porque cobriu um torcedor na porrada depois deste invadir o campo; e inundou a antologia futebolística inglesa com frases como: ´´´´Peter (Shilton, goleiro da Inglaterra com mais partidas pela Seleção): lembre-se que eu salvei sua carreira. Quando eu contratei você do Mansfield, sua platéia eram três velhos e um cachorro. Agora é Wembley´´´´, ou então: ´´´´as pessoas bebem para comemorar; eu bebo muito porque tenho muito a comemorar´´´´. Este era Cloughie. Absolutamente imperdíveis. O livro e o personagem.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo