Evans: herdeiro de Ferdinand e Vidic

Quando no já distante 13 de setembro de 2008 o Manchester United teve o zagueiro Vidic expulso no último minuto da derrota para o Liverpool, muitos torcedores e comentaristas apressaram-se em dizer que os Red Devils não tinham substitutos à altura do sérvio e de seu companheiro de zaga, Rio Ferdinand. A crítica, um tanto motivada pelos resultados ruins do United naquele momento (empate com o Newcastle, derrota para o Zenit St. Petersburg e a queda contra os Reds), fez com que muita gente se perguntasse se a equipe inglesa tinha errado a mão ao não trazer nenhum novo defensor ao Old Trafford.

A resposta não tardou. Já na partida seguinte, um importante duelo contra o Villareal na primeira rodada da Champions League, o treinador Alex Ferguson mostrou exatamente a resposta para a suposta carência do elenco mancuniano. Mandou a campo o jovem Jonny Evans, 20 anos à época, como titular. O jogo terminou empatado em 0 a 0, mas a atuação do zagueiro norte-irlandês foi digna de bons comentários.

Do Greenisland à seleção

Jonathan Grant Evans, ou simplesmente Jonny Evans, nasceu no dia 2 de janeiro de 1988 na cidade de Belfast, capital da Irlanda do Norte. Ele começou sua carreira no Greenisland FC, da própria Belfast, onde, em 2004, foi observado pelos olheiros do Manchester United e contratado logo em seguida junto de seu irmão, Corry Evans, para integrar as categorias de base dos Red Devils.

Na sua chegada à Inglaterra, Jonny alternou atuações pela equipe de juniores, pelo time de reservas do United e alguns amistosos com o elenco principal ao longo do ano de 2005, sendo emprestado na metade de 2006 para o Royal Antwerp, da Bélgica, com o intuito de ganhar experiência. Lá, se estabeleceu logo entre os titulares, tendo desempenhos acima da média que chamaram a atenção do técnico da seleção norte-irlandesa na época, Lawrie Sanchez. Evans foi convocado em setembro de 2006 para a seleção, fazendo sua estreia pela equipe nacional aos 19 anos, antes mesmo de ter completado 15 partidas de futebol profissional em sua carreira. O debute foi feito em alto nível na espetacular vitória por 3 a 2 contra a Espanha em jogo válido pelas eliminatórias da Euro 2008. A partir dali Evans virou nome constante nas convocações da equipe nacional e titular absoluto da zaga norte-irlandesa.

Depois de passar apenas seis meses com o Antwerp, tempo em que fez 14 partidas pela equipe titular e marcou um gol, Evans foi repassado em janeiro de 2007, também por empréstimo, para disputar a Football Championship (2ª divisão inglesa) pelo Sunderland, da Inglaterra. O impacto da nova contratação foi instantâneo e não é exagero dizer que Evans sobrou no campeonato. Seu futebol seguro, de bom posicionamento e alta velocidade caiu como uma luva na equipe inglesa, ajudando o Sunderland a chegar ao título do campeonato e fazendo-o ser eleito a revelação do torneio.

Escândalo e um novo empréstimo

Integrado a princípio à equipe principal do Manchester no início da temporada 2007/08, Evans começou uma dura batalha para conseguir espaço no elenco mancuniano, já que Vidic, Ferdinand e até mesmo o jovem talento Gerard Piqué viviam momentos muito bons. Apesar da concorrência, Jonny chegou a jogar algumas partidas importantes do United, atuando por minutos em duelos contra Coventry, pela League Cup, e Dynamo Kiev e Roma pela Champions’ League.

Mesmo sendo segundo reserva, as perspectivas pareciam boas para o norte-irlandês. No entanto, uma, à primeira vista inocente, festa de Natal dos jogadores do Manchester United, no final de 2007, acabou colocando Evans em sérios apuros. Após a comemoração, que teve a presença de figurões do clube como Cristiano Ronaldo, Giggs e outros, Evans acabou sendo acusado de ter estuprado uma garota durante os festejos. O incidente fez com que a imagem do jovem zagueiro ficasse um tanto quanto arranhada, uma vez que a polêmica seguiu até fevereiro de 2008, quando enfim foi declarado inocente.

Em parte por causa do assédio da imprensa no caso e pelo bom número de reservas para o setor, Alex Ferguson decidiu que Evans seria melhor aproveitado se ganhasse mais experiência em outro clube. Assim, em janeiro de 2008, Jonny voltou a ser emprestado para o Sunderland, onde logo se restabeleceu entre os titulares. Atuou a bom termo até o final da temporada, mas sem o destaque de outrora, uma vez que o alto nível da Premier League impedia melhores resultados para os Black Cats.

Enfim no Manchester

Diferentemente dos outros anos, a temporada 2008/09 começou com bons prognósticos para Evans no Manchester United. Logo no início da janela de transferências, Gerard Piqué, reserva imediato para a zaga e maior concorrente de Jonny, foi negociado com o Barcelona. Estava aberto o caminho para o norte-irlandês mostrar o que sabia.

Depois da estreia contra o Villarreal, Evans fez uma série de jogos como titular dos Red Devils, com destaque para os confrontos contra o Chelsea, Celtic, Aalborg, duas aparições como substituto na conquista do Mundial de Clubes da Fifa e a final da League Cup contra o Tottenham. Em todas as partidas, tanto contra clubes grandes, quanto contra os de menor porte, ficou nítida, além da já reconhecida habilidade em sua função, a segurança e a maturidade de Evans. São características essenciais para um bom zagueiro e que não passaram despercebidas pelo grande Alex Ferguson. Após uma vitória por 1 a 0 sobre o Middlesbrough, Ferguson não deixou passar a chance de elogiar o seu jovem zagueiro, titular durante os 90 minutos daquele confronto. “Evans substituiu Rio Ferdinand e mostrou uma maturidade muito além dos anos que têm”, afirmou.

O elogio foi bem recebido, mas o mais importante é que o “sucesso” parece não subir à cabeça do rapaz. Humilde e consciente, Evans sabe qual é o seu papel no atual elenco do United: “Não existem dois zagueiros no mundo inteiro que sejam melhores do que os dois [Ferdinand e Vidic] que temos aqui”, afirmou em entrevista ao site oficial do Manchester United.

É pouco provável que no curto prazo Evans assuma a titularidade do Manchester United. No entanto, pelo que mostrou até os seus 21 anos de idade, o jovem norte-irlandês tem tudo para herdar o legado de uma das melhores, senão a melhor, dupla de zagueiros do futebol mundial. Habilidade, segurança e cabeça para isso ele já mostrou que tem.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo