Esportivo Guará: o pior da Série C

Os torcedores do Esportivo Guará não devem ter boas lembranças do campeonato da série C deste ano. A equipe acabou em último lugar no torneio que contava com 64 clubes. A campanha foi sofrível, em seis partidas disputadas o time saiu derrotado em todas. Apesar da péssima trajetória os torcedores podem se despedir do ano satisfeitos graças ao desempenho no primeiro semestre.

O clube foi fundado em julho de 2004 fruto da fusão com o Juventus, time amador da cidade, e adotou como cores oficiais o azul, branco e vermelho. O mascote é o tigre tricolor. Nos anos de 2004 e 2005 a equipe obteve boas campanhas na segunda divisão do Brasiliense, porém o acesso não veio. Em 2006 o presidente do clube, José Paulino da Silva (popularmente conhecido como Zé Neto) conseguiu atrair investimentos e a conquista da segundona local.

Caçula atrevido

Em sua primeira disputa no Campeonato Brasiliense o clube foi o vice-campeão. O Candangão (esse é o nome pelo qual os moradores do Distrito Federal chamam a competição local) é disputado por oito equipes em dois turnos e por pontos corridos. O Brasiliense terminou com 31 pontos e faturou a taça enquanto o Esportivo Guará somou 23 pontos um a mais que o Ceilândia. A segunda colocação deu ao clube o direito de jogar a série C do brasileiro e a vaga na Copa do Brasil do próximo ano.

A experiência negativa na série C servirá como preparação para a principal competição de 2008. A tabela da Copa do Brasil ainda não foi divulgada, mas a diretoria já trabalha para atrair receitas. O clube fechou uma parceria com um grupo de empresários paulistas do ramo hoteleiro e as cifras giram na casa dos dois milhões de reais ao ano e será utilizado nas categorias de base e também no time profissional. “Vamos trabalhar forte porque não queremos repetir na Copa do Brasil a atuação ruim que aconteceu na série C. Faltava investimento, agora ele chegou e só depende de nós” declarou Zé Neto ao site Esporte Candango.

Copa do Brasil pode ser uma vitrine

Para os jogadores a Copa do Brasil é uma excelente oportunidade de aparecer e com boas atuações conseguir transferências para clubes da primeira divisão do país. A esperança do CEG para a próxima temporada é o atacante Haroldinho, 18, que veio do Brazlândia onde disputou por empréstimo a segunda divisão regional. Outro reforço para o clube é o atacante Wellington Dias que ganhou projeção nacional durante a Copa do Brasil de 2002 na campanha do Brasiliense.

Em 1997 o zagueiro Lúcio da seleção, e atualmente no Bayern, defendia o clube de Regatas Guará e mesmo após uma derrota por sete a zero para o Internacional ele chamou a atenção dos dirigentes colorados e foi contratado.

A torcida do Esportivo Guará não sonha com a conquista da Copa do Brasil, mas vai exigir dos atletas esforço para evitar qualquer vexame. Já no Candangão a briga vai ser para acabar com a hegemonia do Brasiliense.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo