Clough: boleiro de alma Punk

Se não é o retrato definitivo do legendário Brian Clough, muito longe disso, o parágrafo acima, extraído da música “Clougy is a bootboy” da banda de punk rock Toy Dolls mostra uma das facetas mais adoradas de um jogador cuja fama atravessou as quatro linhas do campo e ganhou o imaginário popular inglês.

O autêntico e intempestivo Clough foi uma das mais vencedoras personalidades do esporte bretão, se tornando tema de músicas, filmes e livros. Era um jogador promissor, um matador nato com uma média de gols excepcional. Mas o lance que definiu sua sorte foi uma contusão que o afastou dos gramados para o resto de sua vida. No último dia 20, se completaram três anos de sua morte.

Matador

Clough nasceu em 21 de Março de 1935 em Middlesbrough, Inglaterra. Não era o lugar mais lindo do mundo, “mas para ele era o paraíso”, dizia. Questão de ponto de vista. Para os times de futebol que enfrentavam o time local, a cidade era o inferno: defendendo a camisa do Middlesbrough entre os 16 e 25 anos, Brian anotou 197 gols em 212 jogos, atingindo a excelente marca de 0,92 tentos por jogo.

Nesse período, defendeu a camisa da seleção principal em duas oportunidades, passando em branco em ambas as partidas. De qualquer forma, as destacadas atuações pelo seu clube lhe valeram um contrato com o Sunderland, time que defendeu entre 1961 e 1964, anotando 61 gols em 54 jogos.

No natal de 1962, Clough queria dar mais gols de presente à torcida dos Gatos Negros. Para sua infelicidade, no dia 26, em jogo contra o Bury Football Club, o atacante contundiu gravemente seu joelho após choque com o goleiro rival.

A contusão o afastou do gramado por 2 anos. Em 64, tentou retornar e chegou a jogar 3 partidas, mas as dores acabaram por afastá-lo definitivamente dos gramados.

Sr. Clough

Um ano após sua aposentadoria como jogador, Clough estava de volta como treinador do Hartlepool United. Após rápida passagem, assumiu o Derby County em 67, levando o time a seu primeiro título nacional.

Com o time dos Carneiros alcançou as semifinais da Copa Européia, quando a equipe foi eliminada pela Juventus de Turim em partida polêmica. Brian protestou contra o time italiano, ofendendo seu elenco e questionando a coragem da Itália em sua posição na guerra.

Suas constantes reclamações fizeram vítimas (como o Derby, expulso da Liga Européia) e também a fama do Sr. Clough como um técnico duro, brigando sempre pela justiça.

Depois de 6 anos como técnico do Derby, teve rápida passagem pelo Brighton & Hove Albion, da terceira divisão nacional.

Em 1974 foi apresentado como técnico do Leeds. Sua chegada não poderia ser mais polêmica. “Até onde sei, vocês podem jogar todas medalhas que conquistaram no lixo, porque vocês as ganharam todas trapaceando!”. Esse foi seu discurso de apresentação à equipe campeã do torneio de 73/74.

Seguiu no clube por 44 dias, vencendo apenas uma partida e sendo derrubado pelos insatisfeitos astros do time.

Robin Hood

O ladrão que roubava dos ricos para dar aos pobres era a “personalidade” mais conhecida de Nottingham Forest até a apresentação de Clough como técnico da equipe local em 1975. Em sua segunda temporada completa pelo time, em 76/77, Brian promoveu o clube à primeira divisão e se tornou ídolo local.

Um ano depois ganharia projeção nacional ao levar o título nacional com a vitória por 1 a 0 sobre o “rico” Liverpool. Façanha digna do maior herói de Nottingham!

Clough seguiu no comando do clube por 18 anos, disputando títulos nacionais e internacionais, obtendo grandes conquistas como o campeonato europeu de 79 sobre o sueco Malmö FF e o bicampeonato, derrotando o Hamburgo na final. Em casa, fez do Nottingham um grande campeão nacional, derrotando muitos times grandes e criando rivalidades com os técnicos mais vencedores, como Sir Alex Fergunson.

Certa vez, falou sobre o fracasso do rival em conquistar sua segunda copa européia. “Por todos seus cavalos, cavalarias e campeonatos, ele não tem duas do que eu tenho. E não me refiro às bolas!”.

O irreverente técnico seguiu no comando do Nottingham até a temporada 92/93 quando se aposentou para enfrentar sua dura luta contra o alcoolismo. Faleceu em 20 de setembro de 2004, aos 69 anos, de câncer no estômago.

A lenda

“Quem pensou que o Derby County se tornaria um dos campeões da Liga? Que qualquer técnico retornaria após ser queimado depois de 44 dias em um grande clube e seguiria para se afirmar entre os maiores treinadores de todos os tempos? Que o que foi feito no Derby poderia ser repetido no Forest? que depois de vencer uma Copa Européia, nós poderíamos mantê-la? Que um jogador impulsivo, com opinião própria, sacrificado por lesão no seu auge, alcançaria uma fama mais impressionante como um técnico impulsivo e altamente sucedido?”.

Além de seu perfil vitorioso, foram suas opiniões e frases marcantes que realçaram o carisma de Brian Clough e fizeram dele uma lenda viva do futebol inglês.

“Eu não quero epitáfios de história profunda ou esse tipo de coisa. Eu contribuí, espero que digam isso, e espero que alguém tenha gostado de mim”.

Não sei se Clough gostava ou mesmo conhecia The Toy Dolls. Sei que, jogador ou treinador, era um boleiro de atitude punk rock! O último de uma espécie.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo