Champions LeagueSem categoria

Barcelona se classifica e Milan reclama de árbitro

Longe de apresentar o poderio defensivo visto no jogo de ida, o Milan não conseguiu barrar o Barcelona nas quartas de final da Liga dos Campeões. Com dois gols de Messi, em pênaltis contestados pelos rossoneri, e outro de Iniesta, os blaugranas dominaram a partida e alcançaram vitória por 3 a 1 no Camp Nou, suficiente para avançar às semifinais da LC pelo quinto ano consecutivo. Agora os catalães aguardam o vencedor do confronto entre Chelsea e Benfica, que jogam nesta quarta.

Pep Guardiola foi para a partida apostando em uma formação com três zagueiros e quatro homens ocupando o meio de campo. As únicas mudanças em relação ao jogo de ida aconteceram no ataque, onde entraram Cesc Fàbregas e Isaac Cuenca. Já Massimiliano Allegri manteve a postura vista nos rossoneri durante a primeira partida, com uma linha defensiva coesa e três volantes na proteção.

O Milan teve duas boas chegadas logo no início, mas a defesa do Barcelona conseguiu neutralizar ambos os lances. Em seguida, Lionel Messi começou a se apresentar para o jogo. Puxou jogada em velocidade e arriscou da entrada da área, para fácil defesa de Christian Abbiati. Já aos sete minutos, o camisa 10 recebeu passe açucarado de Cesc Fàbregas e, na pequena área, arrematou para fora.

Não demorou para que os blaugranas abrissem o placar, aproveitando uma sucessão de erros dos italianos. Primeiro, Philipp Mexès perdeu a bola para Messi, que avançou sozinho em direção à área e tocou para Xavi. Os rossoneri conseguiram roubar a bola, mas perderam novamente e Luca Antonini cometeu pênalti em Messi. Na cobrança do argentino, Abbiati até acertou o canto, mas só foi buscar a bola no fundo das redes.

Ao contrário do que acontecera no jogo de ida, a defesa rossonera parecia bem mais vulnerável à troca de passes do Barcelona. No entanto, apesar da maior posse de bola, os culés demoravam a concluir as jogadas. Aos 24 minutos, Messi voltou a ter espaço na entrada da área, mas mandou a bola nas mãos de Abbiati. No minuto seguinte, Daniel Alves fez fila pela direita e o goleiro italiano saiu nos pés do lateral para salvar.

Diante da passividade do Barça, o Milan aproveitou a eficiência de seu ataque para igualar o marcador aos 32. Robinho fez boa jogada pela direita e passou para Ibrahimovic. O sueco deu passe milimétrico nas costas da zaga blaugrana, encontrando livre Antonio Nocerino, que tocou na saída de Víctor Valdés. Xavi responderia três minutos depois, em batida de longe que Abbiati se esticou para espalmar.

Já aos 39, o Barcelona retomaria a vantagem, com mais um pênalti. Alessandro Nesta puxou Sergio Busquets após cobrança de escanteio e o árbitro apitou o lance controverso. Messi decidiu trocar o lado na cobrança e venceu mais uma vez Abbiati. Com o tento, Messi tornou-se o maior artilheiro em uma única edição da LC, com 14 gols. Antes do intervalo, o Abbiati salvaria mais um lance, em chute despretensioso de Messi que quase morreu no canto da meta.

Na volta para o segundo tempo, o Barcelona teve seu primeiro lance de perigo aos três minutos, com Xavi cobrando falta a centímetros da trave. Já o terceiro gol da equipe veio aos oito minutos. Messi arrancou pelo meio e finalizou da meia-lua. A bola desviou em Mexès, mas acabou sobrando para Iniesta tocar para o gol e correr para o abraço.

Os rossoneri tiveram bom lance aos 15 minutos, em bola que Piqué chutou em cima de Robinho e, na cara do gol, o brasileiro finalizou nas pernas de Valdés. O lance, porém, não foi validado, com o árbitro marcando toque de mão do atacante. Já Thiago Alcântara, que substituiu Xavi, perdeu lance claro de gol, chutando para fora, frente a frente com Abbiati.

Massimiliano Allegri tentou renovar as forças de seu ataque aos 24 minutos, colocando Alexandre Pato no lugar de Kevin Prince Boateng. A alteração, entretanto, teve pouco efeito diante do controle dos catalães na partida. E, enquanto o Barça administrava o resultado, o Milan ainda perdeu Pato, que deixou o campo apenas 14 minutos após ter entrado, sentindo nova lesão.

Somente a partir dos 40 minutos é que o Barcelona intensificaria um pouco mais suas ações no ataque. Depois de Abbiati limpar três cruzamentos em sequência vindos da direita, Adriano teve boas condições de marcar. No mano a mano com o goleiro, o lateral errou o alvo. Já nos acréscimos, Messi cobrou falta por cima do travessão, fechando a partida. O próximo compromisso do Barça na Champions, contra Chelsea ou Benfica, acontece no dia 18 de abril.

Ficha técnica

Barcelona 3×1 Milan

Local: Camp Nou, em Barcelona (ESP)
Data: 3/abr, terça-feira
Árbitro: Björn Kuipers (HOL)
Gols: Lionel Messi, aos 11’/1T; Antonio Nocerino, aos 32’/1T; Lionel Messi, aos 40’/1T; Andrés Iniesta, aos 8’/2T.
Cartões Amarelos: Javier Mascherano e Isaac Cuenca (Barcelona); Alessandro Nesta, Luca Antonini, Clarence Seedorf, Philipp Mexès, Antonio Nocerino e Robinho (Milan)

Barcelona
Víctor Valdés, Javier Mascherano, Gerard Piqué (Adriano, aos 29’/2T) e Carles Puyol; Daniel Alves, Sergio Busquets, Xavi (Thiago Alcântara, aos 17’/2T) e Andrés Iniesta; Cesc Fàbregas (Seydou Keita, aos 31’/2T), Lionel Messi e Isaac Cuenca. Técnico: Pep Guardiola

Milan
Christian Abbiati, Antonio Abate, Alessandro Nesta, Philipp Mexès e Luca Antonini; Massimo Ambrosini, Clarence Seedorf (Alberto Aquilani, aos 15’/2T) e Antonio Nocerino; Kevin Prince Boateng (Alexandre Pato, aos 24’1T, e Maxi López, aos 38’/2T), Robinho e Zlatan Ibrahimovic. Técnico: Massimiliano Allegri.

 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo