A comoção diante do incêndio ocorrido na Catedral de Notre-Dame é enorme. E, depois dos lamentos pelo desastre, começam a surgir os primeiros sinais de solidariedade. As mobilizações para a reconstrução do monumento já se iniciaram, com a participação de personagens ligados ao futebol. O Paris Saint-Germain, que declarara seu pesar logo nesta segunda-feira, publicou uma nota prometendo se engajar no processo de longo prazo ao redor da restauração. Enquanto isso, o dono do Rennes ofereceu dinheiro. O magnata garante que desembolsará €100 milhões para as obras.

O PSG foi menos megalomaníaco em seu anúncio. Não divulgou valores, mas afirmou que mobilizará seus patrocinadores e também seus torcedores ao redor da causa. O principal representante de Paris no futebol pretende, desta maneira, reforçar os seus laços com a cidade e com a comunidade. Os parisienses ainda fizeram questão de elogiar o corpo de bombeiros, pelo imenso esforço empreendido para conter o incêndio.

“O Paris Saint-Germain e a grande família do clube apoiarão a reconstrução de Notre-Dame a longo prazo. O PSG compartilha a imensa emoção de todos os parisienses, dos franceses e daqueles ao redor do mundo que estão chocados com essa catástrofe. Desde já, o clube pretende coordenar uma mobilização que envolva todas as forças do clube, seus principais parceiros e a grande comunidade de seus torcedores. O objetivo será impulsionar ou participar de iniciativas, incluindo a captação de recursos à reconstrução do edifício nos próximos anos. Ao mesmo tempo, queremos expressar nossa admiração e solidariedade aos bombeiros de Paris, cujo empenho e bravura ajudaram a conter as chamas e limitar a extensão dos danos. O clube também apoiará os bombeiros de Paris”, escreveu o PSG.

Paralelamente, surge a imagem de François-Henri Pinault. O empresário possui uma fortuna avaliada em US$30 bilhões. Dono da Kering, que comercializa diversas marcas de luxo, ele também administra o Rennes desde 1998, responsável pela ascensão do clube nestas últimas duas décadas. Através de nota oficial, o magnata apontou que pretende doar €100 milhões ao poder público, para que se realize a necessária restauração da Catedral de Notre-Dame.

“Esta tragédia atinge todos os franceses, assim como aqueles que estão apegados aos valores espirituais. Diante da tragédia, todo mundo quer reviver esta joia de nosso patrimônio o mais rápido possível. Meu pai e eu decidimos oferecer os fundos de nosso grupo, para participar dos esforços que serão necessários para a reconstrução de Notre-Dame”, afirmou Pinault, cujo pai é o terceiro homem mais rico da França. Em suas redes sociais, o Rennes também se posicionou sobre o episódio, relembrando o incêndio no Parlamento da Bretanha e oferecendo seus pensamentos a Notre-Dame.