Portugal

Time (quase) fechado

O empate sem gols desta quarta-feira entre Portugal e Polônia foi pouco representativo. Com seu time titular, nos primeiros 45 minutos, os tugas dominaram o jogo e tiveram as principais oportunidades. Na etapa final, quando boa parte dos que iniciaram o jogo foram sendo substituídos, o jogo ganhou um ritmo bem mais lento, com os poloneses mais presentes no campo de ataque, mas travando em boas intervenções de Rui Patrício. No fundo, a partida serviu mais como pretexto para inauguração do belo estádio de Varsóvia do que efetivamente para que Paulo Bento tirasse maiores conclusões de olho na Eurocopa.

Poderia até ter sido diferente, já que a seleção das Quinas só tem mais um amistoso até o torneio (a inexpressiva Macedônia, em maio). Apesar disso, a perda talvez não seja das maiores, tendo em vista que o treinador já tem definida a maior parte da base que levará para o torneio. Salvo alguns poucos nomes ainda em aberto – muito provavelmente, apenas um por posição (talvez dois nas laterais) – o grupo que vem sendo convocado por Paulo Bento desde as eliminatórias é o que deve encarar Alemanha, Holanda e Dinamarca na Euro. Confira abaixo uma perspectiva de como está a briga por vagas na seleção.

Goleiros: Briga? Só pela camisa 1
Favoritos: Rui Patrício (Sporting), Eduardo (Benfica)
Quase lá: Beto (Cluj-ROM)
Correm por fora: Quim (Braga), Hugo Ventura (Olhanense) e Rui Rêgo (Beira-Mar)

No gol, Paulo Bento não tem muitas dúvidas. Rui Patrício e Eduardo disputam a titularidade, com o arqueiro sportinguista à frente por atuar com mais regularidade na temporada (Eduardo é reserva de Artur Moraes no Benfica). Mesmo quando era apenas o goleiro reserva do Porto, Beto já era o terceiro nome do treinador para posição – e justo agora que vem jogando mais, emprestado ao romeno Cluj, dificilmente perde essa vaga. Seu grande concorrente é Quim, que não é chamado desde setembro do ano passado mas vem credenciado pelo grande momento do Braga. A idade já avançada do camisa 1 bracarense tanto pode prejudicá-lo como até ajudá-lo (pode pesar a experiência do goleiro de 36 anos no elenco) nessa disputa. Mas em princípio, é Beto que está na frente para o posto de terceiro goleiro.

Laterais: Atrás dos reservas
Favoritos: João Pereira (Sporting) e Fábio Coentrão (Real Madrid-ESP)
Quase lá: Nelson (Bétis-ESP) e Sílvio (Atlético de Madrid-ESP)
Correm por fora: Eliseu (Málaga-ESP) e Bosingwa (Chelsea-ING)

Mesmo sem muitos recursos técnicos, João Pereira se firmou pela direita como homem de confiança de Paulo Bento – como já o era no Sporting. Na esquerda, Fábio Coentrão é o titular sem contestações. A luta é por um lugar no banco. Contra a Polônia, a aposta foi no lateral direito Nelson, que vem de boas atuações pelo Bétis. Em outras convocações, investiu em Eliseu, Sílvio e Duda. Destes, a carta mais fora do baralho é Duda, que nunca rendeu bem como lateral esquerdo e nem tem atuado mais na posição. Por sua vez, Sílvio tem a seu favor a polivalência (joga nas duas laterais). Ao lado de Nelson, o ex-Braga é hoje quem está melhor “na fita”. Por fim, Bosingwa tem condições técnicas de disputar a Euro. Foi descartado por Paulo Bento, de quem reclamou ano passado, mas nunca se sabe

Zagueiros: Resta um
Favoritos: Pepe (Real Madrid-ESP), Bruno Alves (Zenit-RUS) e Rolando (Porto)
Quase lá: Ricardo Costa (Valencia-ESP)
Correm por fora: Sereno (Köln-ALE) e Ricardo Carvalho (Real Madrid-ESP)

Pelo desenho atual das coisas, não há dúvidas: Pepe e Bruno Alves serão a dupla de zaga portuguesa na Euro, com Rolando sendo a primeira opção do setor. A dúvida hoje está em quem será esse provável “quarto elemento” – partindo da ideia de que Paulo Bento levará dois jogadores para cada posição. Pelas convocações recentes, o experiente Ricardo Costa é o nome mais forte a essa vaga, até pela concorrência não ser das mais destacadas. No entanto, até o “apito final”, é melhor não descartar um retorno de Ricardo Carvalho. Tal qual em relação a Bosingwa, o treinador está irredutível e não perdoou o defensor ter deixado a concentração da equipe antes do confronto contra o Chipre. Mas pela qualidade técnica de Carvalho, não seria nada ruim para a seleção que os dois lados se entendessem.

Volantes: Há chance para Hugo Viana?
Favoritos: Raul Meireles (Chelsea-ING) e Miguel Veloso (Genoa-ITA)
Quase lá: Manuel Fernandes (Besiktas-TUR)
Correm por fora: Hugo Viana (Braga) e André Santos (Sporting)

Raul Meireles e Miguel Veloso são hoje inquestionáveis e os prováveis titulares na volância portuguesa durante a Euro. Mas ainda há uma (talvez duas?) vagas em aberto. Hoje, o nome mais forte dos que correm por fora é o de Manuel Fernandes, que vem em ótimo momento no Besiktas. No entanto, uma convocação de Hugo Viana, pela bola que o volante vem jogando (é um dos líderes do Braga, agora de nove vitórias consecutivas na Liga Portuguesa), não seria mau negócio. Assim como Meireles, Hugo Viana tem condições de atuar atrás do meio-campo e mais próximo do ataque. Além disso, poderia auxiliar João Moutinho em ditar o ritmo do jogo. O bracarense, porém, dependerá dos rumos do Braga na temporada e da incerteza quanto ao número de atacantes (cinco ou seis) que irão ao torneio.

Meias: Porta fechada
Favoritos: João Moutinho (Porto) e Ruben Micael (Atlético de Madrid-ESP)
Quase lá: Carlos Martins (Granada-ESP)
Correm por fora: Paulo Machado (Toulouse-FRA) e Castro (Sporting de Gijón-ESP)

Tal qual na disputa pelo gol, o meio-campo é o setor que parece mais definido. João Moutinho vem para ser titular, enquanto Ruben Micael tende a ser seu reserva — tal qual ocorria no Porto. Por sua vez, Carlos Martins tem grande favoritismo para ocupar uma terceira vaga da posição para a Euro. Embora emprestado a um clube menor e hoje sem espaço no Benfica, o meia é bastante esforçado e fez partidas muito boas pela seleção, em especial na goleada por 4 a 0 sobre a Espanha, quando foi um dos melhores (quiçá o melhor) em campo. Só perdeu espaço para Paulo Machado no amistoso contra a Polônia por conta de uma lesão. O meia do Toulouse, aliás, corre por fora mas mantém as esperanças. Convocado algumas vezes por Paulo Bento, pode ser uma surpresa na lista final, no lugar de um volante ou de um atacante.

Atacantes: Cinco ou seis?
Favoritos: Cristiano Ronaldo (Real Madrid-ESP), Nani (Manchester United-ING), Hugo Almeida (Werder Bremen-ALE) e Helder Postiga (Zaragoza-ESP)
Quase lá: Silvestre Varela (Porto)
Correm por fora: Ricardo Quaresma (Besiktas-TUR), Nelson Oliveira (Benfica) e Danny (Zenit-RUS)

A grande dúvida para o ataque português na Euro é: quantos jogadores serão chamados? Quatro nomes hoje parecem certos — sendo dois deles, inquestionáveis (Cristiano Ronaldo e Nani). Resta então uma ou até duas vagas para a posição. Paulo Bento tem a possibilidade de ir ao torneio com um reserva para cada titular do ataque e, assim, levar seis nomes. Desta forma, com dois centroavantes “favoritos”, restariam duas vagas aos “extremos”. Como a lesão de Danny praticamente inviabilizou sua participação na Euro, o caminho estaria livre para Ricardo Quaresma e Silvestre Varela. Porém, caso opte em ter “só” cinco atacantes no grupo, a maior regularidade de Varela nos jogos pela seleção pode pesar. Chamado pela primeira vez, Nelson Oliveira tem chances bem remotas, já que nem titular ainda é.

Os que serão os 23 escolhidos (na visão do colunista)

Goleiros: Rui Patrício, Eduardo e Beto
Laterais: João Pereira, Nelson, Fábio Coentrão e Sílvio
Zagueiros: Pepe, Bruno Alves, Rolando e Ricardo Costa
Volantes: Raul Meireles, Miguel Veloso e Manuel Fernandes
Meias: João Moutinho, Carlos Martins e Ruben Micael
Atacantes: Cristiano Ronaldo, Nani, Hugo Almeida, Helder Postiga, Ricardo Quaresma e Silvestre Varela

Obs.: Não são necessariamente os que este escriba levaria a Euro, mas o que acredita que Paulo Bento convocará.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo