Eliminatórias da EurocopaPortugal

Sempre ele: Cristiano Ronaldo salva Portugal aos 50 do segundo tempo

Portugal não começou muito bem nas Eliminatórias da Euro 2016, mas tratou de dar uma reparada no vexame da rodada inicial. Se a Seleção das Quinas fez feio ao perder em casa para a Albânia, compensou de certa forma ao vencer um de seus jogos mais difíceis. Em Copenhague, os Tugas bateram a Dinamarca por 1 a 0. Outra vez, carregados por Cristiano Ronaldo. Afinal, se no Real Madrid o craque é responsável por bombardeios, na seleção ele costuma ser guerreiro solitário.

EURO: Sérvia x Albânia teve drone político, confusão generalizada e acabou suspenso

Como era de se esperar, os dinamarqueses saíram para o jogo no Estádio Parken. Krohn-Dehli chegou mesmo a carimbar a trave de Rui Patrício, mas ficou no quase. Já do outro lado, Portugal até criava perigo, mas dependia quase sempre de Ronaldo. Das 11 finalizações da equipe, seis vieram do camisa 7. Que, após muito ser atrapalhado pelo goleiro Kasper Schmeichel, só tirou o zero do placar aos 50 minutos do segundo tempo. Após cruzamento de Ricardo Quaresma, o craque subiu mais que Kjaer e aproveitou a indecisão do goleiro para definir a vitória.

Se Cristiano Ronaldo vive fase fantástica com o Real Madrid, com Portugal a importância do craque também está bastante evidente. Desde o ano passado, os Tugas anotaram 33 gols, entre jogos oficiais e amistosos. Desses, 14 foram feitos pelo craque, que teve alguns problemas de lesão em momentos cruciais. Já em partidas oficiais, CR7 anotou nove dos 18 tentos dos portugueses no período. Se o atacante não está bem, como na Copa do Mundo, as esperanças despencam. No ápice, porém, dá para esperar jogos tão espetaculares quanto aquele contra a Suécia pela repescagem. Sorte dos albaneses que ele não estava em campo para evitar o vexame da rodada inicial.


Denmark 0-1 Portugal .Goal Ronaldo. 24.10… por Euro2016

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo