Portugal

Os onze destaques

A goleada do Porto sobre o Vitória de Guimarães, no último final de semana, que culminou em mais um título dos Dragões, encaminhou o final da temporada 2010/11 do futebol português – que se encerrará neste domingo com a última rodada da Liga Orangina. Uma época vitoriosa aos olhos internacionais, com uma inédita decisão europeia entre clubes lusos, a reconquista de uma das vagas à Liga dos Campeões, e o topo do ranking da UEFA na temporada.

Do ponto de vista interno – pelo menos estatísticamente -, a época não fugiu ao comum, por assim dizer. Nos 240 jogos da Liga, viu-se uma média de 2,43 gols, próxima aos 2,50 de 2009/10 e superior aos 2,30 de 2008/09. No que diz respeito aos castigos (punições via cartão amarelo e expulsões), foram 1.536 ao longo do certame – uma média de 96 por clube (o Beira-Mar foi o de menos punições, com 63, e o Benfica o mais punido, com 119). Menos do que as 1.634 da temporada anterior, em que a Naval foi a equipe menos punida (64) e o Olhanense o “campeão” dos cartões (111 punições).

Mas quem foram os destaques da época recém-findada (ou quase)? Para descobrir, a coluna elegeu o seu “melhor onze” da Liga e contatou alguns jornalistas e comentaristas portugueses para que também elegessem os seus titulares em uma seleção da temporada. Quatro responderam até o fechamento deste texto: os jornalistas Gil Nunes e André Figueiredo, do Academia de Talentos; Bruno Dias, do Record; e Rui Malheiro, autor do site FutebolMundial.pt.to e colaborador de emissoras portuguesas. Confira um breve resumo sobre os mais votados e as escalações de cada um dos selecionadores.

Goleiro: Helton (Porto), 3 votos
Também lembrados: Artur Moraes (Braga) e Rui Patrício (Sporting)
Menções honrosas: Bracalli (Nacional), Diego (Vitória de Setúbal) e Rui Rego (Beira-Mar)

Talvez outros arqueiros tenham sido mais atuantes que Helton, ou proporcionalmente mais importantes. Mas não há como ignorar a grande temporada do brasileiro. Menos vazado dentre os mais atuantes do Campeonato Português (apenas 9 sofridos em 24 jogos que esteve em campo), o goleiro mostrou segurança e confiança acima da média de seu próprio histórico no clube. Capitão, foi o líder não só na defesa, mas no conjunto da obra do time de André Villas Boas.

Lateral direito: Maxi Pereira (Benfica), 3 votos
Também lembrados: João Pereira (Sporting), Sílvio (Braga)
Menção honrosa: Miguel Garcia (Braga)

O regular lateral uruguaio manteve o nível das últimas temporadas e conseguiu se sobressair em meio a um Benfica bem aquém do que se esperava. Consciente na marcação, subia com eficiência e parcimônia, ajudando a tornar o lado direito benfiquista um dos pontos mais seguros da equipe. Está em fim de contrato e ainda não renovou com as Águias, a ponto até de ter chamado a atenção do próprio Porto.

Lateral esquerdo: Fábio Coentrão (Benfica), 3 votos
Também lembrados: Sílvio (Braga) e Álvaro Pereira (Porto)
Menções honrosas: David Addy (Acadêmica) e Ismaily (Olhanense)

Tal qual Maxi, Fábio Coentrão foi uma exceção ao marasmo encarnado em 2010/11. Seu brilho não foi o mesmo da última temporada, mas a manutenção de sua regularidade espanta. Veloz e criativo, fez um lado esquerdo de perigo com Nico Gaitán e constantemente apareceu como opção na linha de fundo, além de ajudar o setor de armação. Álvaro Pereira e Sílvio foram muito bem, mas Coentrão esteve, ainda, um degrau adiante.

Zagueiros: Rolando (Porto), 4 votos, e Felipe Lopes (Nacional), 2 votos
Também lembrados: Jardel (Olhanense/Benfica), David Luiz (Benfica/Chelsea), Luisão (Benfica), Nicolas Otamendi (Porto)
Menções honrosas: Paulão (Braga), Mahamadou N’Diaye (Vitória de Guimarães) e Danielson (Nacional)

Até a temporada passada, Rolando era visto como “sombra” de Bruno Alves. Com a saída do defensor, o luso-cabo-verdiano assumiu o protagonismo na defesa portista e se saiu bem. Bastante regular, liderou a zaga com tranquilidade e soube se adaptar aos parceiros com quem jogou na temporada (Sereno, Otamendi e Maicon). Felipe Lopes, por sua vez, é outro que primou pela regularidade. É o defensor mais bem avaliado no Prêmio Regularidade do jornal A Bola (uma espécie de “Bola de Prata”). Sua eficiência na marcação e no desarme, além do entrosamento com Danielson, fizeram do Nacional a segunda defesa menos vazada do campeonato, ao lado de Benfica e Sporting.

Volante: Fernando (Porto), 3 votos
Também lembrados: Freddy Guarín (Porto)
Menções honrosas: André Santos (Sporting), Ruben Brígido (União de Leiria) e Vandinho (Braga)

A regularidade de Fernando impressiona. Após sofrer uma lesão séria no desenrolar da temporada, viu Guarín entrar muito bem em seu lugar. No entanto, sua eficiência na saída de bola e na marcação fizeram com que Villas Boas decidisse, corretamente, recolocá-lo na equipe, puxando o colombiano para o lugar de Belluschi. Na série de experiências que Mano Menezes fará na seleção brasileira até 2014, o portista merece ser observado.

Meias: João Moutinho (Porto), 5 votos, e Freddy Guarín (Porto), 3 votos
Também lembrados: Djalma (Marítimo), Paulo Sérgio (Olhanense), Belluschi (Porto) e Pablo Aimar (Benfica)
Menções honrosas: Renan (Beira-Mar), Diogo Salomão (Sporting), Nico Gaitán (Benfica), Bruno Gama (Rio Ave), Zeca (Vitória de Setúbal), Dejan Skolnik (Nacional) e Leandro Salino (Braga)

A dupla portista fez por onde para ser a mais recordada. Moutinho, de fato, fez um grande campeonato, superior inclusive aos que já fez pelo Sporting. Mostrou grande qualidade na armação do meio-campo, ainda mais quando Guarín passou a ser titular. O colombiano, por sua vez, foi, talvez, o melhor jogador de Portugal no segundo semestre. Foi decisivo na reta final da temporada, em solo português e europeu. De seus pés, sairam o cruzamento para o gol do título da Liga Europa e muitas outras jogadas atuando próximo aos atacantes. Jogadores como Gaitán, Salino ou Hugo Viana se destacaram, mas longe do que apresentou a dupla dos Dragões.

Atacantes: Hulk (Porto), 5 votos; Radamel Falcão Garcia (Porto), 5 votos; e Silvestre Varela (Porto), 3 votos
Também lembrado: Eduardo Sálvio (Benfica)
Menções honrosas: João Tomás (Rio Ave), James Rodriguez (Porto), Wilson Eduardo (Beira-Mar), Baba Diawara (Marítimo), Pizzi (Paços de Ferreira) e Miguel Fidalgo (Acadêmica)

Com 73 gols em 30 jogos, é difícil não ter o Porto com total supremacia nas três posições de ataque desta seleção. Hulk foi “incrível”. Mesmo sem ser centroavante, foi, disparado, o principal goleador dos dragões na temporada, com 40 tentos, sendo 23 deles no Campeonato Português, e até agora se tenta entender o porquê de não ter sido lembrado por Mano Menezes para os amistosos contra Holanda e Romênia. Falcão começou a época devagar, mas logo desandou a marcar e, mesmo depois de um tempo afastado por lesão, terminou a temporada como vice-artilheiro da Liga e recordista em gols em uma mesma edição de um torneio europeu, ao assinalar 17 tentos na Liga Europa – inclusive o gol do título. Varela, por sua vez, é o bom e velho “come-quieto”. Sem aparecer tanto com gols – ainda que tenha feito 10 na Liga -, mas no apoio à armação e ao ataque, o ponta sempre se manteve no alto nível dos companheiros, sendo mais uma vez um dos mais regulares do time. Destaque, também, aos 16 gols do experiente (mas muito eficiente) João Tomás no campeonato, e às promessas James Rodriguez, Wilson Eduardo e Pizzi.

As seleções

Do colunista: Helton (Porto); Maxi Pereira (Benfica), Rolando (Porto), Felipe Lopes (Nacional) e Sílvio (Braga); Fernando (Porto), Freddy Guarín (Porto) e João Moutinho (Porto); Hulk (Porto), Eduardo Sálvio (Benfica) e Radamel Falcão Garcia (Porto).

Gil Nunes: Artur Moraes (Braga); Maxi Pereira (Benfica), Jardel (Olhanense/Benfica), Felipe Lopes (Nacional) e Álvaro Pereira (Porto); Freddy Guarín (Porto), Djalma (Marítimo), Paulo Sérgio (Olhanense) e João Moutinho (Porto); Hulk (Porto) e Radamel Falcão Garcia (Porto).

André Figueiredo: Helton (Porto); João Pereira (Sporting), Rolando (Porto), David Luiz (Benfica/Chelsea-ING) e Fábio Coentrão (Benfica); Fernando (Porto), João Moutinho (Porto) e Belluschi (Porto); Hulk (Porto), Silvestre Varela (Porto) e Radamel Falcão Garcia (Porto).

Bruno Dias: Rui Patrício (Sporting), Sílvio (Braga), Luisão (Benfica), Rolando (Porto) e Fábio Coentrão (Benfica); Freddy Guarín (Porto), João Moutinho (Porto) e Pablo Aimar (Benfica); Hulk (Porto), Silvestre Varela (Porto) e Radamel Falcão Garcia (Porto).

Rui Malheiro: Hélton (Porto); Maxi Pereira (Benfica), Rolando (Porto), Nícolas Otamendi (Porto) e Fábio Coentrão (Benfica); Fernando (Porto), João Moutinho (Porto) e Belluschi (Porto); Hulk (Porto), Silvestre Varela (Porto) e Radamel Falcão Garcia (Porto).

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo