Portugal

Pré-contrato ‘ilegal’ e desilusões: o goleiro que sonhou com o Benfica, mas nunca chegou lá

Em saga inacreditável, georgiano Makaridze revelou história de frustração por diversas oportunidades perdidas de defender o clube de Lisboa

Em novembro de 2017, o ex-goleiro brasileiro Júlio César deixou o Benfica após quase três anos defendendo as cores das Águias. No seu lugar, o Ederson, que hoje defende as coisas do Manchester City e da Seleção Brasileira, assumiu o posto de goleiro titular.

Ao mesmo tempo que os goleiros brasileiros passavam o bastão um para o outro em um dos principais clubes de Portugal, um nome surgia como protagonista de uma história que terminou com um fim melancólico.

Atual goleiro do Marítimo, Giorgi Makaridze, de 34 anos, ironicamente acabou se tornando um atleta conhecido por ser “anti-Benfica”. Contudo, o sonho do atleta era justamente o contrário.  Obstinado a conseguir alcançar esse objetivo, Makaridze diz ter assinado uma espécie pré-contrato com o time de Lisboa.

A primeira promessa: Benfica, aí vou eu

Na temporada 2016-17, o Moreirense surpreendeu e interrompeu uma sequência de três títulos do Benfica na Taça da Liga de Portugal. O título pôs holofote em algumas das principais estrelas daquele time campeão. Entre eles, o goleiro Giorgi Makaridze, de 34 anos.

No fim daquela temporada, o goleiro foi ao Estádio da Luz e conversou com Luís Filipe Vieira, que presidia o Benfica, e recebeu a notícia que Júlio César, titular da equipe, deixaria o clube. Assim, Ederson assumiria o posto de titular e Makaridze ocuparia a vaga de arqueiro reserva no plantel.

Segundo publicação em suas redes sociais, o goleiro relatou que chegou a “receber valores” do Benfica – sem especificar quanto – por um pré-contrato que classificou como ilegal, além da garantia que seria transferido para o time de Lisboa.

— Fui ao Estádio da Luz com o antigo presidente e negociamos. Disse-me que o Júlio César ia sair no próximo ano e eu ia ficar como suplente. Então acreditei, até recebi… — disse o goleiro.

A segunda promessa: o Braga, a lesão e mais uma desilusão

Na mesma época, ainda na pré-temporada, o Braga procurou o goleiro, que fez de tudo um pouco para melar a negociação, certo que assinaria com o Benfica em um futuro próximo. A partir daí, a história tomou rumos inimagináveis.

— Fiz mal, mas eu sabia da grandeza do Benfica e preferia estar no Benfica e lutar para ser titular do que jogar em Braga. Porque o que eu vi em Portugal nunca vi nenhum lado… Joguei em França e Espanha, mas não há nenhuma equipa como o Benfica! Fora de campo, o Benfica é o maior clube — disse o goleiro, em publicação nas suas redes sociais.

A recusa nas negociações com o Braga para priorizar o Benfica não deixou a diretoria do Moreirense feliz e o goleiro chegou a ser afastado do elenco principal. Meses depois, outra promessa apareceu: ir para o Rio Ave e, após um ano, a tão sonhada transferência para o Benfica. Outra vez não cumprida.

Já no Rio Ave, o goleiro sofreu uma lesão nas costas que o fez perder boa parte da temporada, e viu o seu sonho de jogar em Lisboa ainda mais longe. Na temporada seguinte, outra mudança: Makaridze decidiu ir ao Vitória de Setúbal.

Por lá, voltou a jogar e ganhar destaque na campanha que garantiu a permanência do time na elite do futebol português.

A terceira promessa: alta pedida do Vitória de Setúbal afastou Makaridze do Benfica

Em 2020, mais uma vez o goleiro sonhava em ver o seu nome em uma camisa vermelha e branca. Depois da boa temporada no Vitória de Setúbal, chegou a hora de assinar com o Benfica. Certo? Errado.

Desta vez, as negociações entre as duas equipes não avançaram, já que o Setubal, em nome do presidente Paulo Gomes, sabendo do interesse do jogador em atuar pelo Benfica, aumentou a pedida, fazendo com o que o time de Lisboa desistisse da negociação.

Um golpe tanto para o goleiro, que sonhava com a transferência a três anos, mas também para o Benfica, que não conseguiu contratar o goleiro. A história foi contada pelo próprio jogador em suas redes sociais.

— Já estava tudo certo e o diretor do Setúbal (que roubou muito no Vitória e, na minha opinião, a culpa de o clube estar f… agora é dele) estragou tudo. Pediu o dinheiro ao Benfica e começou a negociar com o Sporting, o Benfica que sempre ajudou o Vitória — contou o goleiro.

 

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Giorgi Makaridze (@giorgi_makara)

‘Prefiro não perder contra o Benfica e depois perder os outros jogos': a infeliz frase que mudou o jogo

Portimonense e Vitória de Setúbal haviam acabado de empatar por 0 a 0 pelo Campeonato Português de 2019-20 quando Giorgi Makaridze, em entrevista após o jogo, resolveu falar da expectativa de enfrentar o time que sonhava defender.

Durante sua fala, Makaridze soltou a frase que mudou para sempre a sua relação com a torcida do Benfica.

— Vou tentar tudo para não perder contra o Benfica. Prefiro não perder contra o Benfica e depois perder os outros jogos — disse o goleiro a época.

A frase, é claro, pegou mal entre os adeptos benfiquenses, e o seu clube, que precisou soltar uma nota falando repudiando as palavras do jogador. Naquele momento, Makaridze viiu então o seu sonho de jogar pelo Benfica enterrado de uma vez por todas.

Foto de Márcio Júnior

Márcio JúniorRedator de esportes

Baiano formado pela Faculdade Regional da Bahia. Cobriu de carnaval a Copa do Mundo na TVE Bahia, onde venceu o prêmio de reportagem do mês. Passou pela ALBA, Rádio Educadora, Superesportes e Quinto Quarto antes de se tornar repórter na Trivela.
Botão Voltar ao topo