Depois de sair do Botafogo no meio do Brasileirão, parecia com o destino certo. O meia tinha um acordo com o e diferentes veículos portugueses davam o negócio como fechado. Causava estranheza, porém, que o clube não tivesse oficializado o acordo com o japonês. Tinha motivos: o Portimonense não conseguiu inscrever Honda no , mesmo que o veterano chegasse sem qualquer vínculo com o Botafogo, após rescisão. Assim, mesmo circulando na internet fotografias do medalhão com a camisa alvinegra, apertando a mão do presidente, não será desta vez que ele entrará em campo pela equipe.

Honda deixou a desejar no Botafogo, ainda que a bagunça do clube seja mais problema que a falta de futebol do jogador. Ainda assim, o meia seguia com e aproveitou a liberdade buscar um novo destino, já que sua contratação aparentemente não dependeria da abertura da janela de transferências. Levou um tempo, mas nesta semana a chegada do japonês no Portimonense parecia alinhada. Jogaria no 15° colocado do Campeonato Português, a dois pontos da zona de rebaixamento. Contudo, cinco dias depois, tudo ruiu.

O Portimonense não conseguiu regularizar a inscrição de Keisuke Honda no Campeonato Português. Por não ser uma transferência direta de outro clube, a contratação em teoria não dependeria da janela. A liga também possui um período para inscrever jogadores desempregados, até o fim de fevereiro. Porém, para que pudesse ser encaixado nessa exceção, Honda precisaria estar sem clube ao menos desde outubro. Como saiu do Botafogo em dezembro, a inscrição só seria possível até 1° de fevereiro. O Portimonense ainda tentou alguma brecha, mas não teve jeito.

Segundo o jornal O Jogo, a diretoria do Portimonense deixou nas mãos de Honda decidir sobre seu futuro. O contrato assinado há cinco dias continua válido. O japonês poderá rescindi-lo, tentar ir para outra agremiação por empréstimo ou então seguir apenas treinando para a próxima temporada. A intenção do presidente é mantê-lo. O japonês estava trabalhando nas dependências da agremiação, recuperando-se de uma lesão sofrida ainda no Botafogo.

Uma dos objetivos expressos por Honda é disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio com a seleção japonesa. Caso o torneio aconteça mesmo em 2021, o veterano precisará correr contra o tempo em busca de uma nova equipe. A própria J-League é uma possibilidade para o japonês ficar em evidencia, com o início da liga marcado para o fim de fevereiro. Resta saber qual seu desejo, entre as portas abertas em Portugal e a ambição de ser um atleta olímpico.