Portugal

Goleada sela o primeiro tetracampeonato português da história do Benfica

O Benfica conquistou mais títulos portugueses do que qualquer outro clube do país – 36 -, mas seus dois rivais podiam se gabar de um feito que os Encarnados nunca haviam alcançado: o tetracampeonato. O Sporting conseguiu entre 1950 e 1954. O Porto, duas vezes, de 1994 a 1999, e depois de 2005 a 2009. Podiam se gabar, mas não podem mais. Neste sábado, o Benfica goleou o Vitória de Guimarães por 5 a 0 e conquistou o Campeonato Português pela quarta vez seguida.

LEIA MAIS: O belo gol de falta de Lindelöf resgatou o Benfica após falha de Ederson no clássico

“Ao entrar na história lembro-me também de todos aqueles que passaram pelo clube e nunca conseguiram ser tetracampeões”, afirmou o técnico Rui Vitória, no clube desde 2015 e arquiteto de dois desses títulos. Foi uma campanha irretocável do Benfica: apenas duas derrotas em 33 partidas, para o Marítimo e para o Vitória Setúbal. Nos clássicos, empatou os dois com o Porto e conseguiu uma igualdade e uma vitória diante do Sporting.

O Benfica teve alguns destaques jovens que devem ser assediados com mais intensidade pelos centros ricos do futebol europeu. O lateral direito Nélson Semedo, de 23 anos, entrou em campo 31 vezes durante a campanha e contribuiu com seis assistência. O zagueiro Lindelöf disputou os 90 minutos de todos os jogos – menos um, quando estava com a seleção sueca – e formou uma dupla de respeito com Luisão. O goleiro brasileiro Ederson também foi muito bem e já chama a atenção de clubes como o Manchester City de Pep Guardiola.

O artilheiro da campanha foi o grego Mitroglou, com 15 gols. Jonas foi importante novamente, com 13 tentos, inclusive dois neste sábado. Poderia ser mais se ele não tivesse tido a temporada prejudicada por uma lesão que o fez perder 12 das 13 primeiras rodadas. Afinal, anotou todos esses gols em apenas 19 jogos da liga portuguesa. O meia português Pizzi também merece destaque. Participou de todas as partidas, com nove gols e sete assistências.

Para garantir o título com uma rodada de antecedência, sem esperar o jogo do Porto no domingo, o Benfica precisava apenas vencer o Vitória de Guimarães, em casa. E a facilidade com que construiu a vitória contra o quarto colocado destaca sua superioridade doméstica: o primeiro tempo terminou 4 a 0 para os anfitriões, com dois golaços, o segundo e o quarto. Raul Jiménez dominou um lançamento primoroso de Ederson – sim, o goleiro – chapelou o goleiro e marcou de cabeça. Antes do intervalo, Jonas fez por cobertura.

De pênalti, o atacante brasileiro fechou o placar na etapa final, e o capitão Luisão recebeu a taça para levantá-la e mostrar à torcida. Bem apropriado. No Estádio da Luz desde 2003, o zagueiro português comemora seu sexto título português e o 15º com a camisa dos Encarnados.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo