Portugal

Montero tem começo de Jardel e dá esperança ao Sporting

Assim como o brasileiro Jardel no Porto, o colombiano Fredy Montero marcou gols nos seus três primeiros jogos pelo Sporting. O atacante de 26 anos teve um começo espetacular na Liga Sagres e está ajudando o clube de Lisboa a pelo menos apagar um pouco a vergonha da temporada passada.

O Sporting ficou em sétimo lugar no Campeonato Português e pela primeira vez em 36 anos não se classificou para uma competição europeia. Agora, começou com duas goleadas sobre o Arouca e a Académica e um empate em casa contra o Benfica. A igualdade no clássico nem chega a ser considerada um tropeço, pela diferença entre os times, e o começo do Sporting é promissor.

A equipe tem muitos jogadores jovens – a média de idade do elenco é de 24,1 anos – e nessas primeiras rodadas encontrou em Montero uma referência e um artilheiro. O ex-jogador do Millonarios marcou três vezes contra o Arouca e uma contra Académica e Benfica. Ele não vinha em boa fase antes de ser emprestado para o Sporting. Fez apenas cinco gols em 16 partidas no Campeonato Colombiano e nenhum na fase de grupos da Copa Libertadores, contra Corinthians, São José e Tijuana.

O torcedor lisboeta pode ver semelhanças com a tática do rival Porto, que garimpa jovens colombianos, como Falcao García e Jackson Martínez, compra-os por preços baixos e depois vende por exuberantes lucros. A situação de Montero é um pouco diferente, tanto pela idade – 26 anos – quanto pela forma de contratação – por empréstimo.

Apesar de ter jogado melhor que o Benfica em alguns momentos da partida, o Sporting ainda parece longe de poder desafiar seus dois principais rivais pelo título, mas mostra evolução em relação à temporada passada – embora piorar fosse difícil – e dá os primeiros sinais de recuperação.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo