Portugal

Depois de uma década estacionado na terceirona, União de Leiria leva 22 mil ao delírio com o aguardado acesso

Depois de declarar insolvência e recomeçar no nível amador, a União de Leiria finalmente encerrou a passagem de 11 anos pela terceira divisão

A União de Leiria teve ótima visibilidade no Campeonato Português entre as décadas de 1990 e 2000. Os unionistas disputaram 18 edições da primeira divisão, alcançaram copas europeias e jogaram até uma final da Taça de Portugal. O fundo do poço veio em 2012, com as dívidas que levaram à insolvência e ao ressurgimento nas divisões de acesso. E o final de semana marcaria um passo essencial na empreitada da UDL em busca de sua volta à elite. Depois de 11 anos na terceirona, o time conquistou o acesso à segunda divisão da liga nacional, numa festa belíssima que contou com a participação de 22 mil torcedores nas arquibancadas.

Fundada em 1966, a União de Leiria teve aparições esporádicas na primeira divisão de Portugal até se firmar na elite a partir de 1994. Foi um período de quase duas décadas praticamente ininterrupto na primeira prateleira do futebol nacional, com dois rebaixamentos em 1997e 2008 logo emendados por acessos imediatos. José Mourinho, Jorge Jesus e Manuel José estiveram entre os treinadores unionistas do auge. Já a lista de talentos que vestiram a camisa do clube teve bons jogadores brasileiros, como Helton, Fernando Prass e Derlei. A relevância da Equipa do Lis no Campeonato Português era clara.

Todavia, o início da década de 2010 marcava um período já duro para a União de Leiria. O clube chegou a perder pontos no chamado Apito Dourado, enquanto tinha uma relação turbulenta com a prefeitura sobre a utilização do Estádio Doutor Magalhães Pessoa, um dos elefantes brancos da Euro 2004. Com dívidas na casa das dezenas de milhões de euros, o clube se afundou e atravessou um drama em 2011/12, diante da rescisão em massa de atletas que estavam com os salários atrasados. Os unionistas chegaram a escalar só oito jogadores num duelo com o Feirense pelo Campeonato Português e enfrentaram o Benfica na Luz cheio de juniores. Como consequência, o processo de insolvência se tornou inescapável.

Apesar da constituição de uma nova estrutura administrativa e da chegada de novos investidores, a União de Leiria demorou a conquistar o acesso. O clube disputa a terceira divisão do Campeonato Português desde 2012/13 e patinava por lá. Foram algumas vezes em que a equipe vislumbrou a promoção e não a concretizou. O maior “quase” havia acontecido na temporada passada, quando o time ficou a dois pontos do acesso direto e, depois, ainda perdeu a final dos playoffs que também valia uma vaga na segundona. A espera finalmente terminou neste final de semana.

A União de Leiria terminou na segunda colocação de seu grupo regional na terceira divisão e se classificou aos quadrangulares finais. Somente o campeão de cada quadrangular sobe diretamente. A confirmação do acesso aconteceu neste sábado, com uma rodada de antecipação. A UDL derrotou o Braga B por 1 a 0 e abriu uma vantagem de cinco pontos na dianteira de sua chave. O gol decisivo, de Leandro Antunes, saiu aos 44 do segundo tempo. Foi o que permitiu a festa no Estádio Doutor Magalhães Pessoa, praticamente lotado, com seus 22 mil presentes. Era uma festa merecida depois de tamanha peregrinação. Com isso, os unionistas deixam o nível semiamador e reintegram uma liga profissional na segundona.

E o detalhe é que outro clube de peso, ainda mais tradicional, também pode subir na terceirona do Campeonato Português. O Belenenses, o original, se reergue nas divisões de acesso após a cisão interna com a administração da SAD. A equipe não fez uma campanha tão boa na fase de classificação, mas lidera o seu quadrangular com 10 pontos, uma vantagem de dois pontos sobre o Vilaverdense. Os Azuis dependem apenas de si no duelo com o Sanjoanense, no próximo final de semana. O Belenenses reiniciou sua trajetória nas divisões distritais e conquistou quatro acessos consecutivos nos últimos anos, até subir da quarta para a terceira em 2021/22. Ao lado da União de Leiria, é uma camisa histórica que merece a ascensão.

 

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo