Portugal

Contratação recorde do Benfica, Darwin Núñez é um centroavante que merece ser acompanhado de perto

Até o momento, o Benfica acertou a contratação de oito reforços para a próxima temporada. E a aposta mais cara dos encarnados foi anunciada neste final de semana: o centroavante Darwin Núñez, de apenas 21 anos. A chegada do uruguaio reforça a desistência dos benfiquistas em relação a Edinson Cavani, buscando justamente aquele que é visto como sucessor do veterano na Celeste. E mesmo com uma trajetória bastante limitada, com a maioria das aparições feitas pela segunda divisão do Campeonato Espanhol, o novo camisa 9 dos lisboetas se coloca como um atacante de enorme futuro.

Darwin Núñez foi descoberto por José Perdomo, antigo ídolo do Peñarol que fez parte da última conquista da Libertadores pelos aurinegros. Nascido na cidade fronteiriça de Artigas e criado em uma família humilde, filho de um pedreiro e de uma catadora de lixo reciclável, o adolescente acabou levado aos carboneros quando tinha 15 anos. Seu irmão mais velho já atuava na base do Peñarol e o auxiliou na adaptação a Montevidéu, embora tenha abandonado a carreira para ajudar a família em Artigas. Dois anos depois, Darwin ganhava as primeiras oportunidades na equipe principal, ainda que uma séria lesão ligamentar tenha o atrapalhado.

Recuperado, Darwin Núñez precisou passar por outra operação no joelho pouco depois e nem teve muito tempo para mostrar serviço com a equipe adulta do Peñarol. As aparições foram um tanto quanto raras entre 2018 e 2019, com quatro gols anotados em 15 partidas, a maior parte deles no Torneio Intermédio. Porém, o pouco demonstrado com os carboneros e também os serviços prestados na seleção sub-20 do Uruguai fizeram o Almería pagar €7 milhões pela contratação na temporada passada. Parecia um dinheiro exagerado, mas que acabou se multiplicando em pouquíssimo tempo.

Durante sua curta passagem pelo Almería, Darwin Núñez logo deixou sua marca. O centroavante acumulou 16 gols e duas assistências em 30 partidas na segundona espanhola. Não conseguiu levar o clube andaluz ao acesso, mas liderou a campanha rumo aos playoffs. Neste ínterim, também ganhou as primeiras convocações à seleção principal do Uruguai, com direito a gol na estreia contra o Peru – mesmo saindo do banco durante os 15 minutos finais. Assim, valorizou-se bastante e levou o Benfica a pagar €24 milhões pelo contrato de cinco anos. Em negociações que se arrastaram, o Almería ainda levará 20% do valor de uma transferência futura.

Darwin Núñez foi um pedido de Jorge Jesus à diretoria do Benfica. Apesar da presença de Carlos Vinícius, grata surpresa em sua primeira temporada no Estádio da Luz ao se sagrar artilheiro do Campeonato Português, o treinador queria mais opções além do brasileiro para o comando do ataque. Napoli, Valencia, Wolfsburg e RB Leipzig eram outros clubes interessados no uruguaio, que terá uma cláusula de rescisão avaliada em €150 milhões.

Com boa estatura e também mobilidade, Darwin Núñez pode atuar como ponta, embora sua posição principal seja no comando de ataque, aproveitando a precisão nas finalizações. Tem potência para puxar os contragolpes, assim como boa estatura para tomar conta do espaço aéreo. Além disso, o jovem se destaca pelos dribles e também pela capacidade de criação. Pode desempenhar o papel de um centroavante mais clássico, mas com predicados para oferecer além ao time – tal qual o próprio Cavani. E com enorme margem de progressão.

Obviamente, o Benfica precisará de certa calma para trabalhar com Darwin Núñez, até pela adaptação do uruguaio ao Campeonato Português. Contudo, por ter crescido na fronteira com o Brasil, mesmo a língua não tende a ser um empecilho. Se existe a possibilidade de negociar Carlos Vinícius, a vinda de Darwin Núñez diminui as margens às dúvidas. O uruguaio pode se combinar com o artilheiro, da mesma maneira como seria um excelente parceiro ao novato Luca Waldschmidt, dentro do esquema de Jorge Jesus com dois atacantes. As cifras são altas, quebrando o recorde de contratação dos benfiquistas e o de venda da segundona espanhola, mas a progressão do camisa 9 empolga.

E o mais legal foi notar a animação de Darwin Núñez neste início pelo Benfica. O centroavante chorou em sua apresentação, demonstrando certo apreço pelo clube. Mais do que isso, pediu para estrear logo no final de semana e não demorou a mostrar seus serviços: foram dois gols num jogo-treino contra o time B, antes de participar por 15 minutos de um amistoso contra o Rennes. O uruguaio não tem o impacto ou o renome de Cavani. Em compensação, está bastante disposto a escrever sua própria história pelos encarnados.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo