Portugal

Braga vence Benfica com golaço de Piazon e é campeão da Taça de Portugal

Atacante brasileiro Lucas Piazon marcou um dos gols da vitória por 2 a 0 sobre o Benfica de Jorge Jesus e conquista um título histórico

O Braga conseguiu terminar a temporada em alta em Portugal. Na final da Taça de Portugal, os arsenalistas conseguiram uma vitória épica em Coimbra por 2 a 0, derrubando o Benfica, um dos maiores clubes do país. Conquistam assim sua terceira Taça de Portugal, a primeira desde 2015/16. Para ser campeão, contou com uma importante participação brasileira: um golaço de Lucas Piazon, ainda no primeiro tempo. Ele acabaria expulso no segundo, mas a vitória seria dos Minhotos.

A fase do Braga não era boa para esta final. O time comandado por Carlos Carvalhal tinha vencido apenas um dos últimos seis jogos oficiais. A tarefa foi facilitada aos 17 minutos, quando o goleiro Helton Leite foi expulso por fazer a falta e acabar com uma oportunidade clara de gol. O Braga passaria a ter um jogador a mais por cerca de 70 minutos.

Jorge Jesus colocou em campo uma linha de três zagueiros, pouco usual para o Benfica ao longo da temporada. Jogou com Otamendi, Vertonghen e Morato. Tudo foi desmontando com a expulsão, já que o treinador teve que tirar Pizzi para recompor o goleiro, com a entrada de Odysseas Vlachodimos.

Com um jogador a mais, o Braga era melhor em campo. Mesmo assim, o gol só saiu no final do jogo. O goleiro Vlachodimos saiu mal, Vertonghen tentou o corte, a bola sobrou para Lucas Piazón. O brasileiro mostrou imensa categoria com um toque de primeira, de pé esquerdo, por cima do goleiro. Um golaço, que ele saiu para comemorar enlouquecido. O Braga estava à frente.

A temporada de Lucas Piazon pelo Braga é ótima. Contratado em janeiro junto ao Chelsea, depois de vários empréstimos feitos pelo Chelsea, com sete clubes em seis países diferentes, ele chegou em definitivo ao Braga. Sem custos, inclusive. Aos 27 anos, tornou-se importante no time. Fez 26 jogos, marcou cinco gols e fez cinco assistências. O gol mais importante, sem dúvida, este na final da Taça de Portugal, porque deixou o clube mais perto do título.

No segundo tempo, a superioridade do Braga foi ainda maior. Foram ao menos três chances para ampliar o marcador, mas desperdiçadas. O Benfica batalhava, não desistia e seguia em busca de um gol salvador para igualar o marcador. Foram 15 minutos iniciais avassaladores, que podiam ter decidido o jogo. Mas não decidiram.

O Benfica conseguiu ameaçar com Darwin e Rafa, mas também não conseguiu marcar. Com esperança, os encarnados tentavam ir ao ataque sem se desproteger na defesa. Uma missão ingrata com um jogador a menos. Até que, aos 40 minutos, o golpe de misericórdia: Ricardo Horta marcou, colocou 2 a 0 no placar e jogou um balde de água fria nas pretensões do clube de Lisboa.

Os ânimos ficaram muito exaltados. Adel Taarabt e Lucas Piazón acabaram expulsos. O título era mesmo do Sporting Braga, um clube que faz uma boa temporada e fecha com um título para emocionar seu torcedor. Terminou a temporada em quarto lugar na tabela e vai para a Liga Europa, uma competição que, para o Braga, é bastante importante.

O Benfica, por sua vez, termina uma temporada que foi ruim, para esquecer. Terceiro lugar na Primeira Liga, longe do campeão Sporting, nunca conseguiu brigar pelo título e precisou se conformar com uma vaga na fase preliminar da Champions League. Fase que, aliás, foi eliminado na atual temporada para o PAOK, então dirigido por Abel Ferreira, atual técnico do Palmeiras. Termina a temporada sem títulos, depois de gastar no mercado de verão, inclusive para levar de volta Jorge Jesus e reforços de nível alto, como Everton Cebolinha, ex-Grêmio. Precisará de mudança para que tenha força na próxima temporada.

Braga comemora o título da Taça de Portugal 2020/21 (Imago / OneFootball)

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo