ÁfricaMundo

Os rebeldes do futebol: Drogba e a guerra na Costa do Marfim

Quem considera o futebol como o “assunto mais importante dentre os sem importância” está longe de entender o potencial transformador do esporte. É bem mais do que um jogo no qual 22 indivíduos correm atrás de uma bola. É um elemento de fascínio das multidões, com enorme capacidade de transformar a sociedade. Pode ser o “ópio do povo” em algumas ocasiões, mas também serve como meio de libertação.

Em 2012, o cineasta francês Gilles Rof produziu um documentário inspirado neste último papel: “Queria fazer a série por causa da raiva que sentia das estrelas do futebol que são conduzidas apenas pelo dinheiro e pela fama. Isso não se encaixa sobre aquilo que sinto e sei sobre futebol”. As histórias de cinco ídolos do esporte que usaram suas influências na tentativa de mudar a realidade social e política de seus países. Os “Rebeldes do Futebol”.

Rof escolheu personagens que foram reconhecidos por seus talentos, mas transcenderam as condições de meros atletas: “A história desse esporte, que não foca em resultados e viradas, é marcada pela rebelião e pelo compromisso político individual. Foram escolhas dramáticas, mas decisivas. Esses rebeldes do futebol recusaram a se conformar e disseram não em nome de suas visões políticas. Eles estavam preparados para defender valores de solidariedade e paz. Mas pagaram um preço, muitas vezes sozinhos”.

Didier Drogba e a guerra civil na Costa do Marfim; Rachid Mekhloufi e independência da Argélia; Predrag Pasic e os conflitos na Iugoslávia; Carlos Caszely e o golpe de estado no Chile; Sócrates, a Democracia Corintiana e as Diretas Já. Cinco histórias apresentadas por outro símbolo de rebeldia, Eric Cantona: “A sociedade está tão doente que a coragem agora parece excepcional. Ser um ídolo não deveria impedi-los de olhar a realidade de frente. Ser um homem é muito mais importante do que ser um campeão”.

Desde a última semana, a rede de televisão Al Jazeera transmite a série, disponibilizando os episódios em seu site oficial. O primeiro deles mostra o papel decisivo de Drogba no fim de uma guerra civil na Costa do Marfim. O conflito se dissolveu diante do sonho de classificar a seleção à Copa do Mundo. E o atacante foi o elo que uniu as diferentes etnias segregadas, com o tratado de paz assinado meses depois da participação do Mundial de 2006.

O episódio, em inglês, não possui tradução ou legendas. No entanto, não é preciso entender as palavras ditas para se arrepiar com as imagens de Drogba chegando à cidade de Bouaké, a segunda maior da Costa do Marfim e base dos rebeldes durante os confrontos – a partir de 15 minutos do vídeo. Um exemplo de como um ídolo do futebol pode mudar os rumos de um país a partir de sua vontade.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo