ÁfricaMundo

Fifa promete solução rápida em caso manipulação na África do Sul

O caso de manipulação de resultados envolvendo a seleção sul-africana às vésperas da Copa do Mundo de 2010 deverá ser concluído em breve. Ao menos esta é a promessa da Fifa, que tratou de se aproximar da denúncia e manifestou seu apoio ao inquérito judicial independente que cuida da denúncia.

Nesta sexta-feira, membros da entidade internacional se reuniram com autoridades sul-africanas e dirigentes da Associação de Futebol da África do Sul (SAFA). Entre os presentes estava Kristen Nematandani, presidente da federação, que havia sido afastado inicialmente, mas voltou ao cargo.

“Esse caso aberto há muito tempo está prejudicando o futebol sul-africano. É vital que ele seja resolvido o quanto antes, com os culpados punidos, de acordo com nossa política de tolerância zero. A conclusão judicial se concentrará nos assuntos relacionados ao caso de irregularidades nos amistosos da África do Sul”, assinou o secretário-geral Jérôme Valcke, em comunicado emitido pela Fifa.

Já Michael García, chefe do braço jurídico do Comitê de Ética da Fifa, tratou a punição como um exemplo: “É fundamental que esse caso seja resolvido para atingir outros que possam acontecer no futuro. Estou muito satisfeito com o compromisso do governo sul-africano e também com a federação para assegurar que este assunto será encerrado como grande prioridade. A Fifa dará qualquer auxilio nos níveis investigatório e disciplinar”.

O escândalo envolve quatro partidas preparatórias dos Bafana Bafana: contra Colômbia, Bulgária, Guatemala e Tailândia. As acusações foram levantadas pela imprensa local em julho de 2011 e passou a ser combatido pela Fifa depois da prisão de Wilson Raj Perumal, preso por encabeçar um esquema de manipulação de resultados na Finlândia.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo