Mundial de Clubes

Irregular na Premier League, desfalcado e com um Guardiola irritado: como o City chega para o Mundial de Clubes

Atual campeão da Champions e tricampeão inglês, Manchester City atravessa momento turbulento às vésperas de estreia no Mundial

Campeão de tudo em 2022/23, quem diria que o todo poderoso Manchester City estaria passando por maus bocados nas vésperas da disputa do Mundial de Clubes. No último domingo (16), os Citizens levaram o empate do Crystal Palace no apagar das luzes e embarcaram rumo a Arábia Saudita com a frustração de mais um tropeço na Premier League. O clube atravessa momento para lá de conturbado, e isso preocupa Pep Guardiola e companhia, que iniciam a disputa pelo inédito título mundial nesta terça-feira (19).

O Manchester City encara o Urawa Reds a partir das 15h (horário de Brasília), no Estádio King Abdullah Sports City, localizado na cidade de Jeddah. Caso elimine a equipe japonesa, os ingleses enfrentarão na final o vencedor de Fluminense x Al Ahly, que medem forças nesta segunda-feira (18) no mesmo palco.

Manchester City vive fase turbulenta e incomum

O mês de novembro não foi nada bom para o Manchester City que, desde o movimentado empate em 4 a 4 contra o Chelsea no dia 12, conquistou apenas sete de 18 pontos disputados na Premier League. Com isso, se afastou da liderança e caiu para o quarto lugar. Neste ínterim, os Citizens passaram três jogos consecutivos em casa (Liverpool, Tottenham e Crystal Palace) pela competição nacional sem vencer, fato até então inédito para o clube desde a chegada de Guardiola.

Pior sequência do que a citada, só uma de 2015/16, quando o City acumulou quatro derrotas, um empate e uma vitória em seis compromissos pela Premier League. Na atual edição da competição, a equipe de Manchester soma 34 pontos, com 10 triunfos, quatro empates e três reveses.

Super Odds na Dafabet »

Certamente a partida que mais chamou atenção (negativa) do City nestas últimas semanas foi a derrota por 1 a 0 diante do Aston Villa. Completamente dominado pelo time de Unai Emery no Villa Park, o atual tricampeão inglês escapou de um placar mais elástico em virtude do caminhão de gols perdidos pelo adversário. Em contrapartida, o ponto positivo da equipe de Guardiola é o desempenho na Champions League, torneio no qual os Citizens ostentam 100% de aproveitamento, liderança no Grupo G e vaga nas oitavas de final garantida.

Jogos do Manchester City desde o 4 a 4 contra o Chelsea

  • 12/11 – Chelsea 4×4 Manchester City – Premier League
  • 25/11 – Chelsea 1×1 Liverpool – Premier League
  • 28/11 – Manchester City 3×2 RB Leipzig – Champions League
  • 3/12 – Manchester City 3×3 Tottenham – Premier League
  • 6/12 – Aston Villa 1×0 Manchester City – Premier League
  • 10/12 – Luton Town 1×2 Manchester City – Premier League
  • 13/12 – Estrela Vermelha 2×3 Manchester City – Champions League
  • 16/12 – Manchester City 2×2 Crystal Palace – Premier League

Lesões ajudam a explicar má fase do City

Outra questão de enorme preocupação para o City é o acúmulo frequente de desfalques na atual temporada. Lesionado há meses, De Bruyne ainda não atuou em 2023/24. Stones, Grealish, Kovacic e Aké também perderam partidas por problemas físicos, assim como Erling Haaland, artilheiro e referência do ataque do time.

Para a disputa do Mundial, Guardiola certamente terá problemas. De Bruyne e Haaland, dois dos principais jogadores do plantel, dificilmente ficarão à disposição do treinador, apesar de estarem presentes na Arábia Saudita junto do elenco.

O que Guardiola acha disso tudo?

Após o empate contra o Crystal Palace, Guardiola concedeu entrevista coletiva e demonstrou insatisfação com a atuação de sua equipe, que chegou a abrir 2 a 0 no Etihad Stadium diante dos Eagles.

– No final, tem que ser paciente e não conceder transições, como nós fizemos em sete ou oito anos em jogos assim. Nós não fomos cuidadosos e não merecemos vencer. Não foi azar, foi merecido. Nós perdemos dois pontos. Você dá esse pênalti, você merece (…) Não somos capazes de vencer jogos. Aconteceu aqui contra o Liverpool, aconteceu aqui contra o Spurs (Tottenham) e não podemos somar pontos. Não podemos fazer mais nada -, disse o técnico espanhol, antes de projetar a disputa do Mundial de Clubes:

– Seria melhor um voo de seis ou sete horas com o resultado (positivo), com certeza. Só três dias para se recuperar, três para uma potencial final, tem a semifinal, é claro. Mas é o que é. Agora estamos em baixa e vamos nos levantar imediatamente e o mais rápido possível para competir lá.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo