Mundial de Clubes

AS Pirae fez o que pode, mas o Al Jazira goleou sem problemas na abertura do Mundial

Classificado como campeão do país, Al Jazira mostrou que o Pirae, do Taiti, está muito distante do nível profissional

Como era esperado, o Al Jazira venceu com tranquilidade o AS Pirae, do Taiti, representante da Oceania no Mundial de Clubes. A goleada por 4 a 1 veio sem que o time dos Emirados Árabes precisasse forçar muito. Apesar de um jogo bastante esforçado dos taitianos, a equipe, amadora, perdeu até de pouco e avança para enfrentar o Al Hilal, campeão asiático, por uma vaga na semifinal contra o Chelsea.

VEJA MAIS: Mapa interativo: Os participantes do Mundial de Clubes (e da “Copa Intercontinental”) na história

O Pirae foi escolhido como representante da OFC apenas porque o Auckland declinou de participar. Como era de se esperar, o time sofreu diante de um adversário muito mais forte, organizado e especialmente profissional. O time até teve alguns destaques, como o zagueiro Alvin Tehau, o capitão, e o meia Louis Tehotu Gitton, que tentou o chute a gol cinco vezes – só acertou um deles.

Não dá para dizer que o jogo foi difícil para o Al Jazira, que nem precisou fazer muita coisa em campo, em partida bastante burocrática. O Pirae, por sua vez, se esforçou bastante para mostrar alguma coisa. Conseguiu um golzinho, que foi contra. Os emiratenses nem usaram força máxima em termos de escalação ou de esforço.

Logo a cinco minutos, já marcou 1 a 0 com Zayed Al Ameri.  Aos 25 minutos, Ahmed Al Attas ampliou o placar para 2 a 0. Chegou até a marcar o terceiro gol cm Al Ameri, mas o tento foi anulado pelo VAR. Aos 40 minutos, Milos Kosanovic marcou o terceiro. O jogo, então, estava decidido. Quase o placar já fica em 4 a 0 ainda no primeiro tempo, com um gol anulado aos 47 minutos, pouco antes do intervalo.

No segundo, como era esperado, vieram as alterações do técnico Marcel Keizer, com três delas feitas já no intervalo. O AS Pirae até conseguiu um gol aos três minutos da etapa final, com um gol contra de Mohammed Rabii. O gol até animou os taitianos, mas não mudou muita coisa na partida.

Aos 18 minutos, Abdoulay Diaby marcou o quarto gol em assistência do brasileiro Victor Sá e fechou o placar: 4 a 1. Daí em diante, o Al Jazira só poupou esforços e administrou a partida o quanto podia.

A perspectiva, porém, não é das melhores. O Al Jazira precisará jogar muito mais para enfrentar o Al Hilal, o campeão da Liga dos Campeões da Ásia. Com jogadores mais experientes e de mais qualidade, o Al Hilal é amplo favorito, até porque os emirateneses sequer jogaram a última edição da competição continental asiática. O confronto será no próximo domingo, dia 6.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo