Mundial de Clubes

Al Ahly supera desfalques e o Monterrey e enfrentará o Palmeiras por vaga na final

Desfalcado por jogadores convocados à seleção egípcia e por desfalques, o Al Ahly segurou os mexicanos, venceu por 1 a 0 e passou às semifinais

O Al Ahly deu mais uma demonstração da sua grandeza neste sábado ao superar mais de uma dezena de desfalques e vencer o Monterrey por 1 a 0, pelas quartas de final do Mundial de Clubes, marcando um compromisso com o Palmeiras na próxima terça-feira, às 13h30 (Brasília) por uma vaga na grande decisão.

A missão do Al Ahly sempre foi difícil desde o início. A negligência da Fifa de marcar o Mundial de Clubes para o mesmo período da Copa Africana de Nações tirou sete jogadores importantes que estão com o Egito para a final contra Senegal no próximo domingo. Houve mais quatro desfalques por lesão, incluindo o atacante sul-africano Percy Tau.

Dessa maneira, os africanos se colocaram em uma posição mais recuada. A posse de bola ficou com o Monterrey durante quase dois terços do jogo, mas a organização defensiva permitiu poucas chances de gol aos mexicanos. A saída de bola foi bem executada, assim como a proposta de manter o adversário alerta com constantes contra-ataques. No geral, foi o time mais confortável em campo e mereceu passar à próxima fase.

Funes Mari teve uma finalização perigosa desviada para fora no começo da partida e outra saiu raspando a trave, aos 19 minutos. O goleiro Ali Lofti fez sua única defesa antes do intervalo em uma batida de fora da área de Sebastián Vegas, e Arturo González assustou, também de média distância, com um chute de canhota para fora. E no fim a chance mais clara foi do Al Ahly. El Shahat recebeu sozinho pela direita da área, demorou para concluir e tentou driblar Andrada. Bateu mesmo sem ângulo, mas a defesa mexicana cortou quase em cima da linha.

O gol saiu aos oito minutos do segundo tempo. Após ótima tabela com Ahmed Radwan, Ali Maâloul cruzou para boca do gol. Andrada interceptou, mas Mohamed Hany encheu o pé para furar todos os bloqueios que havia pela frente. Meza exigiu grande defesa de Lofti logo na sequência. A vantagem aos egípcios apenas acentuou a dinâmica do jogo, mas, apesar de ter finalizado 20 vezes, o Monterrey exigiu apenas duas defesas de Lofti e criou poucas chances perigosas.

No fim, o Al Ahly quase conseguiu marcar o segundo. Taher Mohamed perseguiu um lançamento em contra-ataque até a ponta direita, de onde cruzou rasteiro à pequena trave. Walid Soliman se jogou para desviar rasteiro, mas mandou para fora. Não fez falta. Uma das maiores e mais apaixonadas torcidas do mundo estará na semifinal do Mundial de Clubes.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo