Champions LeagueLeste Europeu

O improvável aconteceu

Era muito improvável que dois times russos se classificassem para as oitavas de final da Liga dos Campeões. Eu, com meu pessimismo, achava que os dois ficariam fora. Bastava ao Porto uma vitória simples, em casa, sobre o Zenit, enquanto o CSKA precisava vencer a Internazionale na Itália e ainda torcer por um empate entre Lille e Trabzonspor. Deu tudo certo.

O Zenit de Luciano Spalletti, melhor time russo da atualidade, montou uma retranca em Portugal e garantiu o 0 a 0. O treinador italiano praticamente abdicou do ataque e montou uma bela retranca. A defesa tinha Malafeev, Anyukov, Lombaerts, Hubocan e Criscito; o meio ficou sempre bem fechado, mas contou com jogadores que sabem marcar e sair jogando, casos de Denisov, Shirokov, Fayzulin e o veterano Semak; mais à frente, Lazovic e Danny corriam para todos os lados. Foi extremamente eficiente na sua proposta de jogo e avançou no Grupo G, atrás do APOEL.

Sobre Danny, ele tem sido fundamental para o Zenit nesta temporada. O meia tem enfrentado muitos problemas com lesões, e quando ele fica ausente a equipe sente demais. O camisa 10 é tranquilamente o melhor jogador do clube de São Petersburgo, o mais habilidoso e o principal responsável por tirar o time da defesa.

Já a situação do CSKA era bem mais complicada. Afinal de contas, não dependia apenas de si e contavam, mais uma vez, com desfalques importantíssimos – Honda e Tosic, para citar apenas dois, mas que eram os responsáveis pela armação e saída de bola pelos lados.

Ao menos, para o jogo contra a Inter, teve o retorno de Doumbia, que fez muita falta na derrota por 2 a 0 para o Lille, em casa, na rodada passada. Na ocasião, sem atacantes no elenco, o técnico Leonid Slutsky teve que deixar o 4-4-2 de lado e jogar no 4-2-3-1, com Vagner Love à frente, Dzagoev pelo centro e Cauna e Oliseh abertos – os dois últimos foram mal demais, e na verdade são bem fracos mesmo.

Com o marfinense entre os titulares, o CSKA pôde contar com mais um gol seu – o quinto nesta fase de grupos -, abrir Dzagoev e conquistar um triunfo importantíssimo sobre os reservas da Inter. Outro detalho tático importante foi a saída de Aldonin do time e a entrada do lituano Semberas. Na prática, um volante por outro volante, mas o segundo com poder de marcação bem maior, o que faz com que Mamaev possa sair mais para o jogo. Como o Lille jogou a vaga fora ao ficar no 0 a 0 com o Trabzonspor, assim como os turcos que também tinham chance, os russos agradeceram e se classificaram no Grupo B.

Olhando para as oitavas de final, agora, as chances de Zenit e CSKA são reduzidas. Os dois clubes avançaram na segunda posição de suas chaves e não são favoritos contra a maioria. Os moscovitas podem pegar Bayern, Benfica, Real Madrid, Chelsea, Arsenal, APOEL ou Barcelona, enquanto a equipe de São Petersburgo troca apenas o APOEL pela Inter. Ou seja, o CSKA ainda sonha em enfrentar os cipriotas, enquanto o Zenit nem isso pode.

De qualquer modo, os triunfos dos dois clubes russos foram fundamentais para a Rússia no ranking de coeficientes da Uefa, o qual determina o número de classificados por país para as competições europeias. Aualmente na sétima posição, sofria alguma ameaça da oitava colocada, Ucrânia, mas ainda está distante das duas acima – Portugal e França. Ao menos pode sonhar em recuperar a vaga perdida na LC.

CURTAS

– O Shakhtar Donetsk encerrou sua participação na fase de grupos da Liga dos Campeões com uma vitória por 2 a 0 sobre o APOEL, no Chipre. Não foi nem para a Liga Europa.

– Esta está sendo uma temporada de ressaca para o Shakhtar, que não apresenta aquele grande futebol da temporada passada. Tanto que na Ucrânia está atrás do Dynamo Kiev também e com o Metalist na cola.

– De qualquer modo, Mircea Lucescu – especulado recentemente no Paris Saint-Germain – tem crédito de sobra.

– Sobre o sorteio da Eurocopa de 2012, a Rússia caiu em um grupop extremamente acessível para ela.

– Polônia, por jogar em casa e ter um passado de rivalidade histórica com os russos, será um adversário duríssimo. A Grécia já mostrou nas eliminatórias que é forte, enquanto a República Tcheca tem jogadores talentosos, mas um time apenas mediano.

– Acho que a Rússia passa, e a segunda vaga fica entre Grécia e Polônia.

– Sobre Vagner Love: como já informei há algumas semanas, o atacante brasileiro foi liberado pelo presidente do CSKA, Evgeni Giner, a procurar um novo clube.

– No entanto, ele não será emprestado ou negociado por pouco. O CSKA espera receber pelo menos 10 milhões de euros pelas trancinhas de Love.

– Há alguns meses, o Sporting apareceu com força como um dos interessados, mas nada mais foi dito sobre isso. A imprensa brasileira especula Grêmio e Flamengo.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo