EuropaLeste Europeu

A primeira vez é inesquecível

Após quatro vice-campeonatos nos últimos sete anos, finalmente chegou a vez do Tobol Kostanay festejar seu primeiro título no Cazaquistão.

O clube chegou a ter dez pontos de vantagem na liderança, mas caiu de produção nas rodadas finais, e uma derrota por 5 a 2 para o campeão de 2009, o Aktobe, ligou o alerta vermelho no Tobol. Entretanto, o clube conseguiu segurar a vantagem, venceu seus jogos finais e terminou um ponto à frente do rival, com 64 pontos contra 63.

O Tobol, com o título, estará em sua primeira Liga dos Campeões em 2011-12, enquanto Aktobe, Irtysh (terceiro colocado) e Lokomotiv Astana, campeão da Copa do Cazaquistão, estarão na Liga Europa.

O Akzhayik e o Okzhetpes foram rebaixados para a segunda divisão, enquanto Vostok e Kaysar Kyzylorda estarão na elite em 2011.

A artilharia ficou com Ulugbek Bakaev, do Tobol, com 16 gols.

Uma curiosidade: o Irtysh foi o primeiro clube a chegar a 1000 gols marcados na história do campeonato cazaque. O clube participou de todas as 19 temporadas do campeonato desde que o Cazaquistão tornou-se independente da ex-União Soviética. O gol foi marcado por Vitali Goloveshkin, na última partida do torneio, contra o Lokomotiv Astana.

Armênia: Pyunik arranca no fim e conquista o decacampeonato

As coisas pareciam diferentes na Armênia. Apenas pareciam. Após uma acirrada disputa contra o Banants, o Pyunik arrancou para a vitória em seus quatro últimos jogos, incluindo uma fundamental sobre o próprio Banants no dia 31 de outubro, e conquistou o décimo campeonato consecutivo, ficando apenas um ponto à frente do rival (65 a 64).

Na última rodada, no último dia 14 de novembro, o Pyunik visitou o Kilikia, penúltimo colocado, enquanto o Banants, também fora de casa, enfrentou o lanterna e rebaixado Shirak. Ambos venceram seus jogos e o eterno campeão manteve sua taça.

Apesar do vice-campeonato, o Banants teve a maior revelação do torneio, o jovem meia Valter Poghosyan. Aos 18 anos, Poghosyan chamou tanto a atenção que foi convocado para a seleção principal do país no final de setembro.

O Impuls, que terminou o campeonato na quinta posição, pode ser considerado a surpresa do ano. Com uma equipe bastante jovem, com média de idade de apenas 23 anos, o clube, que era cotado para o rebaixamento antes do campeonato, arrancou pontos do Pyunik em três dos quatro confrontos (três empates), e venceu o Ulisses, terceiro colocado, duas vezes. Olho neles para 2011.

Finalmente, a artilharia do campeonato ficou com dois jogadores do Pyunik: o brasileiro naturalizado armênio Marcos Pizzelli e Gevorg Ghazaryan, ambos com 16 gols.

Estônia: Flora de volta ao topo

Poucos no começo da temporada apostariam que algum time conseguiria interromper a hegemonia do Levadia Tallin no campeonato estoniano. Pois o Flora, comandado pelo técnico estreante Martin Reim, conquistou seu primeiro título em sete anos, terminando com 91 pontos em 36 partidas, enquanto o Levadia ficou cinco pontos atrás, na segunda colocação, e o Trans ficou com 76 pontos em terceiro lugar.

Com um time jovem nas mãos – o jogador mais velho do elenco, Karl Palatu, tem 27 anos – Reim organizou um time disciplinado, e com uma motivação que não era vista há muito tempo.

O Flora, como campeão estoniano, estará na Liga dos Campeões em 2011-12, enquanto Levadia, Trans e Nömme Kalju estarão na Liga Europa. O Lootus foi rebaixado para a segunda divisão, enquanto o campeão da segundona, o Ajax Lasnamäe, estará na elite no próximo ano. Já Kuressaare e SK Tamme Auto Kivioli disputam playoffs de acesso e descenso.

A artilharia do torneio ficou com Sander Post, do Flora, com 24 gols, seis deles na goleada de 8×0 sobre o Lootus, em setembro.

Belarus: BATE pentacampeão

A temporada está excelente para o BATE Borisov. Garantido na primeira fase de mata-mata da Liga Europa com duas rodadas de antecipação, o time de Borisov também garantiu o quinto título nacional seguido com uma rodada de antecedência, ao vencer o Belshina por 3 a 1.

A vitória deixou o BATE com 72 pontos, nove acima do Shakhtyor Soligorsk, segundo colocado. O título garantiu ao clube uma vaga na Liga dos Campeões da temporada 2011-12. O Shakhtyor e o Minsk, terceiro colocado, estão garantidos na Liga Europa, enquanto o Partizan Minsk está rebaixado. Torpedo Zhodino e Neman Grodno brigam contra o penúltimo lugar, que obriga o clube que ocupar a posição a disputar um playoff de acesso e descenso contra o vice-campeão da segunda divisão, o SKVICH Minsk. O campeão foi o Gomel, que retorna à primeira divisão.

Ilhas Faroe: HB arranca no fim e conquista o bicampeonato

O HB começou o campeonato tropeçando, num surpreendente empate em 4 a 4 contra o recém-promovido Suduroy. Embora tenha assumido a liderança do torneio nas rodadas seguintes, o clube acabou caindo de produção, e foi ultrapassado pelo NSI, que chegou a abrir sete pontos de vantagem. O fundo do poço foi uma derrota por 4 a 1 para o mesmo Suduroy que havia roubado pontos da equipe na estreia. O fiasco provocou a demissão do islandês Kristjan Gudmundsson do comando técnico, e a contratação do ex-jogador Julian Hansen para seu lugar.

Sob nova direção, o HB engrenou para cinco vitórias e um empate nos seis jogos seguintes, e eventualmente terminou o torneio três pontos à frente do EB/Streymur – 54 a 51.

O HB, como campeão, estará na Liga dos Campeões em 2011-12, enquanto NSI, IF e EB/Streymur, este como vice-campeão nacional e campeão da Copa das Ilhas Faroe, estarão na Liga Europa.

A artilharia do torneio ficou dividida entre Arnbjørn Hansen, do EB/Streymur, e Christian Høgni Jacobsen, do NSI, ambos com 22 gols. Hansen tinha quatro gols de vantagem antes da última rodada, mas Jacobsen explodiu para cinco gols na goleada do NSI por 9 a 1 sobre o Sandoy, enquanto Hansen fez apenas o gol de honra de seu time na derrota por 3 a 1 para o B68.

Letônia: Skonto encerra com estilo fila de seis anos

O último título do Skonto na Letônia havia sido em 2004. Para acabar com a fila, o clube trouxe de volta o técnico que havia comandado a equipe em 14 títulos consecutivos: Aleksandrs Starkovs. E deu muito certo.

Com apenas duas derrotas em 27 partidas, o Skonto dominou completamente o campeonato, terminando seis pontos à frente do vice-campeão, o Ventspils.

A surpresa do torneio foi o Daugava, recém-promovido, e que teve a defesa menos vazada do campeonato, com 16 gols, ao lado do campeão Skonto – que foi derrotado em sua casa pelo Daugava. O clube chegou perto de uma vaga na Liga Europa, mas acabou terminando o campeonato em quarto lugar, com 56 pontos, cinco a menos que o terceiro colocado, o Liepajas Metalurgs.

O Jauniba Riga e o Transit Ventspils foram rebaixados para a segunda divisão, enquanto Gulbene-2005 e Jurmala estarão na elite em 2011.

A artilharia ficou dividida entre Deniss Rakels, do Liepajas e o brasileiro Junior Carvalho, do Skonto, ambos com 18 gols. Rakels é considerado uma grande promessa no país, com apenas 18 anos. Em breve deve aparecer em alguma liga maior.

Ainda na Lituânia, no último dia 17 de novembro o zagueiro Vitalijs Astafjevs, de 39 anos, encerrou sua carreira ao jogar sua 167ª partida pela seleção, na derrota por 1 a 0 para a China. O zagueiro é o jogador europeu com mais partidas por uma seleção nacional, tendo estreado na equipe em 1992, num empate sem gols contra a Dinamarca.

Astafjevs jogava e foi campeão pelo Skonto em 2010, e permanecerá no clube, fazendo parte da comissão técnica.

Lituânia: Ekranas é tricampeão

Nas últimas temporadas, o Ekranas vem dominando o campeonato lituano, e 2010 marcou o tricampeonato da equipe, e o quarto título nas últimas seis temporadas.

Não bastou o título do campeonato, o Ekranas também conquistou a Copa da Lituânia pela primeira vez 2000, e foi a primeira dobradinha do clube na era independente do país. E para melhorar ainda mais, na Lituânia o clube que conquista a dobradinha já garante também a Supercopa da temporada seguinte.

O Ekranas, com o título, estará na próxima Liga dos Campeões, enquanto Suduva e Zalgiris estarão na Liga Europa, assim como o campeão da próxima edição da Copa da Lituânia.

Albânia: campeonato embolado

Apenas um terço da Superliga albanesa foi disputada, mas o campeonato promete bastante equilíbrio até seu final. A liderança no momento é do Flamurtari, com 25 pontos, enquanto o Dinamo Tirana vem em segundo, com 23, e o Skënderbeu Korçë é o terceiro, com 22. A decepção do torneio por enquanto é o Tirana, que é apenas o quinto colocado, dez pontos atrás do líder.

Ainda na Albânia, a seleção nacional festeja neste mês de novembro a melhor posição de sua história no ranking da FIFA: o 58º lugar. Os “Kuq e Zinijtë” (em bom albanês, rubro-negros) conquistaram 39 posições no ranking ao longo de 2010, saindo de um incômodo 97º lugar no começo do ano. A equipe perdeu apenas um de seus últimos jogos, um 2 a 0 para Belarus, fora de casa. Neste período, os albaneses venceram Irlanda do Norte, Montenegro, Andorra e Uzbequistão, todos por 1 a 0, e conseguiram um empate sem gols contra a Macedônia, e outros empates contra Romênia e Bósnia-Herzegovina.

Tudo isso é fruto do bom trabalho do técnico Jozip Kuze, que assumiu a equipe em maio de 2009, no lugar de Arie Haan.

Andorra: campeonato dividido ao meio

A Primera Divisió de Andorra é jogada por oito clubes, e após oito rodadas, o campeonato está dividido em dois blocos. O líder é o UE Sant Juliá, com 20 pontos, seguido por FC Santa Coloma e Lusitanos, ambos com 19, e pelo UE Santa Coloma, com quinze. Aí acontece um abismo, e oito pontos atrás, vem o Inter d'Escaldes, com sete pontos, e empatados com apenas quatro Principat, Encamp e Benfica.

Ao fim das 14 rodadas da primeira fase, os quatro primeiros e os quatro últimos disputam quadrangulares, para definir o campeão e os rebaixados para a segunda divisão.

O Benfica foi o protagonista negativo da maior goleada do torneio. Levou sonoros 12 a 1 do FC Santa Coloma. Esse massacre supera os 10 a 0 que o Inter havia levado do mesmo FCSC.

Azerbaijão: Neftchi lidera

Um campeonato azeri onde nem Baku, nem Inter Baku estão nas cabeças. Por enquanto, após onze rodadas, o torneio é liderado pelo Neftchi Baku, com 30 pontos, três a mais que o Khazar Lenkaran. Na sequência, estão AZAL Baku, com 25 pontos, Inter, com 24, Qarabag, com 21, e Gabala, com 19. O Baku é apenas o sétimo, com 19 pontos.

Geórgia: Olimpi na liderança

Em busca do bicampeonato, o Olimpi Rustavi lidera o campeonato georgiano, com 27 pontos em 14 partidas. O Dinamo Tbilisi vem logo atrás, com 26, enquanto o Zestaponi tem 25 pontos na terceira colocação.

Malta: Valletta na frente

Após sete rodadas disputadas, o Valletta lidera o campeonato maltês, com 17 pontos, seguido pelo Marsaxlokk, com 12, e por Hamrun Spartans, Floriana e Tarxien Rainbows, todos com dez.

Moldávia: Dacia na liderança

O campeonato moldávio chegou à metade, e inacreditavelmente o Sheriff não está na liderança, e todos os times estão com a mesma quantidade de jogos (exceto Academia UTM e FC Tiraspol, ambos com uma partida a menos): 16.

O Dacia Chisinau é o líder invicto com 36 pontos, contra 34 do Olimpia e 33 de Sheriff e Iskra-Stal. O Milsami tem 32 na quinta colocação. Resta saber até quando esse equilíbrio vai durar, e neste dia 20, Sheriff e Dacia se enfrentam, em Tiraspol.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo