Itália

Prestes a completar 40 anos, Rodrigo Palacio é levado por Inzaghi ao Brescia, em busca do acesso à Serie A

Após o fim de seu contrato com o Bologna, Palacio aceitou o desafio na segundona pelo Brescia

Rodrigo Palacio possui um papel muito importante na história do Boca Juniors, mas não indica que voltará à Bombonera para pendurar as chuteiras. O argentino completou 12 temporadas vivendo na Itália e perambulou por vários clubes tradicionais da Bota. O atacante chegou através do Genoa, teve bons momentos na Internazionale e defendeu o Bologna nos últimos tempos. Já nesta nova temporada, aos 39 anos, Palacio terá sua primeira experiência na Serie B. O veterano tentará levar o Brescia de volta à elite do Campeonato Italiano, sob as ordens de Pippo Inzaghi, dois anos após o último rebaixamento.

Contratado pelo Boca Juniors junto ao Banfield, Palacio ajudou a simbolizar a era vitoriosa do clube no início do século. Viveu seu ápice na equipe campeã da Libertadores de 2007, como um bom coadjuvante a Juan Román Riquelme, e ainda somou três títulos no Campeonato Argentino. Reserva na Copa do Mundo de 2006 e na Copa América de 2007, Palacio chegou à Europa em 2009, com 27 anos. No fim das contas, construiu uma carreira no Calcio bem mais longa do que muitos imaginavam por sua idade.

Palacio teve bons momentos no Genoa, seu primeiro clube na Itália. Foram três temporadas como referência ofensiva dos Grifone, chegando a brigar pela artilharia com seus 19 gols em 2011/12. Fez o suficiente para se credenciar à Internazionale, mesmo com 30 anos de idade. Em tempos de transição nos nerazzurri, Palacio conviveu com as vacas magras. De qualquer maneira, não deixou de honrar sua oportunidade e atuou em bom nível no San Siro. Foram mais três temporadas como titular dos nerazzurri, antes de perder espaço nos dois últimos anos. Atingiu a marca respeitável de 58 gols e 31 assistências em 169 partidas. Como atleta interista, pôde ser vice-campeão do mundo com a seleção em 2014, usado com frequência a partir do banco.

Já em 2017/18, Palacio baixou um degrau na Serie A e assinou com o Bologna. Cumpriria mais quatro anos de contrato com os rossoblù, permanecendo como uma figura frequente no time. Não reproduziu os números dos melhores momentos de sua carreira, mas seguiu contribuindo ao setor ofensivo com gols e assistências. Na última campanha dos bolonheses no Campeonato Italiano, o veterano marcou cinco tentos e deu seis passes para gol. E se o mercado na elite parecia restrito a essa altura, o argentino continuará vivendo na Itália, agora na missão de recolocar o Brescia na primeira prateleira novamente.

Por estar sem contrato, Rodrigo Palacio foi contratado pelo Brescia sem custos. Acrescenta experiência a um elenco que, a partir dessa temporada, será treinado por Pippo Inzaghi. E o medalhão poderá se tornar uma peça importante no esquema ofensivo que seu treinador tende a priorizar. O argentino, inclusive, teria sido um pedido direto do ex-atacante – que o comandou no Bologna. Junta-se a uma equipe com condições de lutar pelo acesso, na qual o goleiro Jesse Joronen e o zagueiro Jhon Chancellor são outras figuras de relevo.

Palacio completará 40 anos durante a temporada. Por sua idade, é bem difícil imaginar que o atacante um dia voltará ao Boca Juniors, mesmo com toda a sua identificação e com sua história. Alguns torcedores até pediam que o veterano retornasse à Bombonera neste momento, considerando que ainda poderia dar sua contribuição no Campeonato Argentino, mas ele optou por seguir sua vida na Itália. Poderá ampliar seus números no país, mesmo num nível mais baixo. E tentará ser, em outro contexto, o ídolo veterano que o Brescia já teve em Roberto Baggio duas décadas atrás. Um novo acesso já garantiria Palacio na história dos biancoazzurri.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo