Itália

“Me arrependo de ter vendido Shevchenko”, diz Galliani

Sete anos depois de uma das transferências mais badaladas do futebol europeu, o dirigente do Milan, Adriano Galliani, se declarou arrependido em ter aceitado a oferta do Chelsea por Shevchenko.

A venda do ucraniano por €46 milhões de euros, em 2006, foi o fim de uma era gloriosa de Sheva no San Siro. Com 127 gols em 226 jogos, o atacante ganhou elogios de Galliani, que abriu uma possibilidade de recorde por parte do ex-jogador na Serie A.

De acordo com o dirigente, que repercutia a estatística de Totti, que chegou ao seu gol 225 pela Serie A e ultrapassou Nordahl, que jogou pelo Milan na década de 1960, Shevchenko poderia ter igualado o feito se tivesse continuado a vestir a camisa dos rossoneri.

“Totti é monstruoso. Ele igualou os números de Nordahl, que era nosso atleta e agora só restou Silvio Piola à sua frente. Tenho de elogiá-lo, mas por outro lado, sempre me arrependerei de ter deixado meu amigo Andriy sair, pois ele certamente teria superado essa façanha”, comentou Galliani.

Shevchenko se aposentou em 2012, após a Eurocopa na Polônia/Ucrânia e defendeu o Milan entre 1999 e 2006, e depois em 2008/09, tentando se recuperar de uma passagem péssima pelo Chelsea. Começou e encerrou sua carreira no Dynamo Kiev.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo