Itália

Amauri entre dois amores

Amauri diz que seria um prazer representar a seleção italiana. Ao mesmo tempo, admite que sempre teve o sonho de atuar pelo Brasil. Entre declarações contraditórias e especulações da imprensa, o futuro do atacante juventino segue no ar. Em uma análise fria, defender a Itália parece ser a solução mais interessante para o futuro do jogador de Carapicuíba.

Além de ter um estilo de jogo que se adapta melhor ao estilo da Azzurra que ao da Seleção, Amauri não levantaria questionamentos ao ser convocado pela primeira vez por Marcello Lippi. No Brasil, onde muita gente ainda torce o nariz para jogadores que nunca vestiram a camisa de um grande clube local, não faltariam críticas sobre a convocação – mesmo diante do inquestionável argumento de seu bom desempenho na Série A.

Independentemente das dúvidas do público brasileiro, outro obstáculo seria conquistar uma posição de titular, já que neste momento é difícil barrar Robinho ou Luís Fabiano. Na Itália, especialmente porque Toni não teve um grande 2008 pela seleção, seu caminho para um lugar no onze inicial estaria mais aberto. Amauri terá 30 anos na Copa do Mundo de 2010, ou seja, pode ser sua única oportunidade.

Uma estréia abaixo das expectativas pelo Brasil poderia significar o fim prematuro de sua carreira na Seleção, o que dificilmente se repetiria na Itália.

O presidente da federação italiana, Giancarlo Abete, declarou publicamente seu interesse em contar com Amauri na equipe nacional. Ele admitiu que a pressão cresce a cada gol marcado pelo bianconero. O presidente da Juventus, Giovanni Cobolli Gigli, também é favorável à escolha pela Itália. Neste caso, há um motivo por trás – evitar as longas viagens para defender o Brasil.

Até a mãe do jogador deu seu pitaco, apoiando que ele jogue pela Itália, onde recebeu oportunidades e obteve êxito profissional. No Brasil, Amauri fez testes em Palmeiras e Santos, sem sucesso.

Dunga só admitiu a possibilidade de convocar Amauri quando falou à imprensa italiana. Em entrevistas no Brasil, fez pouco caso do atacante e chegou a colocá-lo um patamar abaixo de Afonso Alves, que fracassou quando foi testado.

E por que Amauri ainda não se decidiu pela Itália, então? Para começar, ele ainda não pode falar como cidadão italiano. Antes de obter o passaporte, ele precisa que sua esposa, Cynthia, conclua os trâmites para sua cidadania. Apesar de o processo da mulher estar adiantado, o de Amauri pode levar mais alguns meses – inviabilizando assim a hipótese levantada pelo diário Tuttosport de que ele já enfrentaria o Brasil no amistoso de fevereiro, em Londres.

No que diz respeito à relação com a terra natal, a questão é bastante pessoal. Mas a essa altura do campeonato, caso Amauri tivesse uma opinião mais incisiva sobre sua lealdade ao Brasil, já teria dado declarações nesse sentido e descartado a Itália. Se não o fez, é porque prefere a Azzurra. Melhor assim.

Um time inteiro nas redes

A explicação para a liderança da Internazionale na Série A passa pela diversidade de seus gols. Se no ataque Ibrahimovic precisa resolver praticamente sozinho (ele tem gols 10, e todos os outros atacantes somam 4), os outros setores têm colaborado para os resultados da equipe. Onze jogadores diferentes já balançaram as redes no campeonato.

O lateral-direito Maicon, com 4 gols, é o vice-artilheiro da Inter. O brasileiro já igualou sua melhor temporada, a de 2004/5, no Monaco. Completam a lista Muntari, Cruz e Córdoba, com 2 gols; Samuel, Maxwell, Vieira, Adriano e Obinna, com 1 cada. A equipe nerazzurra ainda é a mais beneficiada por gols contra, com quatro.

Juventus e Lazio, com 10 goleadores diferentes, aparecem a seguir. Os times com menor diversidade de marcadores são Bologna e Reggina, ambos com 5.

Programação

Veja como cada time da Série A se prepara para o reinício do campeonato após as festas de fim de ano, dia 10 de janeiro:

Atalanta: Voltou aos treinos dia 29. Amistoso contra a Pro Sesto dia 4 de janeiro.
Bologna: Volta a treinar dia 2 de janeiro.
Cagliari: Voltou aos treinos dia 29. Folga no domingo, dia 4, e retoma as atividades na segunda, dia 5.
Catania: Voltou aos treinos dia 30. Treina inclusive nos dias 31 de dezembro, pela manhã, e 1º de janeiro, à tarde.
Chievo: Voltou aos treinos dia 27.
Fiorentina: Volta aos treinos dia 1º e viaja para Marbella, na Espanha, onde fica entre os dias 2 e 8.
Genoa: Voltou aos treinos dia 28. Treina normalmente no dia 31.
Inter: Volta aos treinos dia 2.
Juventus: Voltou aos treinos dia 29. Treina dia 31, mas só retorna no dia 3.
Lazio: Volta aos treinos dia 2.
Lecce: Voltou aos treinos dia 29.
Milan: Voltou aos treinos dia 29 e viajou para Dubai, já com Beckham no grupo. Fica até o dia 9 nos Emirados Árabes.
Napoli: Os italianos voltaram dia 28. Os estrangeiros retornam no dia 2.
Palermo: Voltou aos treinos dia 27. Folga nos dias 31 e 1º.
Reggina: Voltou aos treinos dia 30. Folga nos dias 31 e 1º.
Roma: Volta aos treinos dia 3.
Sampdoria: Volta aos treinos dia 1º, à tarde.
Siena: Voltou aos treinos dia 27. Folga nos dias 31 e 1º.
Torino: Volta aos treinos dia 2.
Udinese: Volta aos treinos dia 2 e viaja para Roma, onde treina até o reinício do campeonato.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo