InglaterraPremier League

Wigan repete travessura e bate o Arsenal em Londres

Pela segunda rodada consecutiva, o Wigan aprontou para cima de mais um gigante no Campeonato Inglês. Depois de desbancar o Manchester United, os Latics foram até o Emirates Stadium e derrubaram também o Arsenal. Em primeiro tempo eletrizante, os visitantes precisaram de apenas dois minutos para construir a vitória por 2 a 1, enquanto o goleiro Al Habsi tinha atuação inspirada para evitar a reação dos londrinos.

O resultado deixa o Wigan a cinco pontos de distância da zona de rebaixamento, com quatro vitórias nos últimos cinco jogos na Premier League. Já o Arsenal, ainda assim, segue sem ser incomodado na terceira posição, também com cinco pontos a mais que o Tottenham, time logo abaixo na tabela.

O domínio inicial da partida foi do Arsenal, que criou duas boas oportunidades de gol, mas não aproveitou. Melhor para o Wigan, que abriu o placar em um contragolpe, logo aos seis minutos. Franco Di Santo dividiu a bola com Wojciech Szczesny e ficou com a sobra para inaugurar o marcador. E o segundo tento viria instantes depois. Após grande jogada de Victor Moses pela esquerda, Jordi Gómez pegou o rebote do goleiro e ampliou.

Depois do momento de inspiração dos Latics, os Gunners retomaram o controle do jogo para si e insistiam no empate. Aos 15, Yossi Benayoun cabeceou em direção ao ângulo e Ali Al Habsi realizou um verdadeiro milagre para espalmar. Cinco minutos depois, o goleiro nada poderia fazer quando Tomas Rosicky cruzou e Thomas Vermaelen subiu sozinho para diminuir a diferença. Até o intervalo, o Arsenal manteve o bombardeio, mas não conseguiu passar por Al Habsi, que ainda faria mais uma grande defesa, em tentativa de Robin van Persie.

A vontade dos londrinos foi mantida durante o segundo tempo, ainda que os defensores do Wigan conseguissem proteger bem a própria área. Já do outro lado, os visitantes exploravam bastante os contra-ataques e tiveram mais dois bons lances protagonizados por Moses, parando em ambas as ocasiões nas mãos de Szczesny.

A posse de bola foi total do Arsenal nos minutos finais. Contudo, o ímpeto da equipe diminuiu com o passar do tempo, encontrando ainda menos espaços no campo ofensivo. Arsène Wenger ainda tentou dar um gás maior ao seu ataque a partir dos 30 minutos, tirando Johan Djourou para a entrada de Alex Oxlade-Chamberlain. A insistência nas bolas cruzadas para área, porém, não surtiu efeitos práticos.

Confira os jogos da 34ª rodada da Premier League:

Sábado, 14/abr
Norwich x Manchester City
Sunderland x Wolverhampton
Swansea x Blackburn
West Bromwich x Queens Park Rangers

Domingo, 15/abr
Manchester United x Aston Villa

Segunda, 16/abr
Arsenal 1×2 Wigan

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo