InglaterraPremier League

Tottenham não brilhou, mas mostrou que não é mais só Bale

O desafio não era dos maiores, é verdade. O Crystal Palace só conquistou o acesso à Premier League nos playoffs e, desde já, é candidato forte ao rebaixamento. Porém, os primeiros sinais de uma nova etapa no Tottenham foram dados. A equipe jogou ao gosto de André Villas-Boas, pressionando e aproveitando os lados do campo. Sobretudo, mostrou que, mesmo sendo o melhor jogador do elenco, Gareth Bale pode – e deve – ser menos preponderante do que na temporada passada.

A vitória por 1 a 0 até ficou barata por tudo o que os Spurs criaram em Selhurst Park. Foram 18 finalizações da equipe, arriscando bastante de fora da área. Além do gol de Roberto Soldado, marcado de pênalti, os londrinos carimbaram o travessão uma vez. O melhor significado disso tudo, no entanto, vem na participação dos homens de frente nessa construção.

Nove jogadores arriscaram a gol na partida. Soldado, Gylfi Sigurdsson e Nacer Chadli foram os líderes, com quatro chutes cada. Já seis atletas participaram com passes para essas finalizações, outra vez com destaque para Soldado, que somou quatro. Ao contrário do que acontecia em 2012/13, quando Bale monopolizava as chances, o resto do time participou. E Soldado foi justamente o destaque, mostrando que pode resolver o problema no comando de ataque, com Emmanuel Adebayor abaixo das expectativas no último ano.

Dentre os novatos, Paulinho foi quem teve a estreia mais discreta. Jogando ao lado de Moussa Dembélé no 4-2-3-1 desenhado por Villas-Boas, o brasileiro ficou mais preso que o belga na marcação e, por isso mesmo, pouco apareceu por suas famosas subidas ao ataque – só deu um chute, de fora da área, longe do gol. Ao menos seus números na marcação e na distribuição foram bons. O camisa 8 foi o terceiro com mais passes, 53, e teve aproveitamento de 91%. Além disso, efetuou quatro desarmes (líder do time no quesito), três interceptações e bloqueou um chute.

Passes distribuídos por Paulinho contra o Palace
Passes distribuídos por Paulinho contra o Palace

Todavia, o triunfo também não foi feito só de calmaria para o Tottenham. O time teve seus momentos de baixa na partida, especialmente no fim do segundo tempo. A correria do Crystal Palace até assustava, mas a defesa conseguiu manter a segurança durante boa parte do tempo. Somente nos últimos minutos é que o bombardeio foi mais intenso, com Hugo Lloris fazendo os milagres.

Falta o encaixe com tantas peças novas e o entrosamento deve vir com o tempo. O primeiro passo na Premier League, porém, já foi dado e os Spurs largam na frente do Arsenal, o rival costumeiro nos últimos anos pela quarta vaga na Liga dos Campeões. O maior alento, no entanto, é ver que o time começa a apresentar alternativas ofensivas além de Bale. Se quiserem reforçar ainda mais esse coletivo, lucrar € 100 milhões com a venda do galês não parece uma ideia tão ruim assim. Ainda restam duas semanas para a decisão ser tomada.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo