InglaterraPremier League

Se o mercado não é bom, em campo Arsenal tem um alento

Esqueça as movimentações no mercado. Enquanto o Arsenal não gastou um centavo e trouxe apenas dois reforços até o momento, o Tottenham desembolsou € 121 milhões em sete jogadores. No entanto, os investimentos dos Spurs não surtiram efeito no dérbi de Londres. Os homens de confiança de Arsène Wenger garantiram uma vitória importantíssima no Estádio Emirates, que pode se valorizar ainda mais na reta final da Premier League, quando as vagas na Liga dos Campeões forem definidas.

O triunfo por 1 a 0 premiou o empenho dos Gunners. A equipe pode sentir falta de grandes estrelas e ter poucas opções para rotação, mas é bem encaixada por Wenger. Apostando em seu jogo, o Arsenal não teve o domínio territorial sobre o Tottenham, mas em poucos momentos pareceu ter sua vitória ameaçada. Afinal, os anfitriões tiveram as melhores chances de gol e a vantagem no placar desde os 23 minutos, quando Olivier Giroud balançou as redes.

O gol do francês, um dos reforços recentes mais questionados no Emirates, chega a soar como ironia. O centroavante é um dos destaques no começo de temporada do clube, que começou a se arrumar depois da derrota para o Aston Villa na estreia da Premier League. Consciente de suas limitações, o Arsenal foi extremamente eficiente. Fechou muito bem os espaços na defesa, afastando Roberto Soldado do restante do time. E, mais importante, foi letal nos contra-ataques, especialmente com Theo Walcott e Santi Cazorla.

Enquanto isso, o Tottenham mostrou que é um time em formação, com algumas carências a serem sanadas. A falta de ligação no meio-campo ficou evidente, em uma atuação fraca dos reforços. Moussa Dembélé e Paulinho podem compor uma dupla imponente, mas a pressão imposta pelos volantes parece não funcionar contra uma proteção reforçada à defesa. André Villas-Boas tem alternativas para mudar o esquema tático, ao menos. Além disso, os Spurs estiveram muito expostos nas laterais, um grande pecado ante a velocidade do Arsenal.

O resultado não garante a supremacia do Arsenal sobre o Tottenham na temporada. Afinal, os Spurs têm boa margem para crescer. Falta um encaixe melhor das novas peças, a estreia de alguns novatos e até mesmo a resolução da novela envolvendo Gareth Bale que, até segunda ordem, permanece em White Hart Lane. Pelo que gastou, o time de André Villas-Boas é fortíssimo candidato a voltar ao Top Four.

Do outro lado, o Arsenal atual não deve ir além do que desempenhou hoje. É um time com seus limites, que depende do esforço e da eficiência de seus poucos astros. Não tem um elenco numeroso, o que gera ainda mais preocupação com o decorrer da maratona. Mas que tem tempo de correr atrás do prejuízo, com mais algumas horas restando até o fechamento da janela – observar as ótimas movimentações dos rivais, aliás, deveria ser obrigação no Emirates. No choque do velho e do novo no dérbi, ao menos, os Gunners tiveram um alento. Algo necessário em um ano que promete ser duro.

Formações iniciais

Arsenal x Tottenham

Destaque do jogo

Hugo Lloris. O goleiro do Tottenham salvou sua equipe em diversos momentos da partida e saiu do Emirates como melhor em campo. Foram quatro defesas na partida, duas delas de alto grau de dificuldade. Além disso, o francês salvou o Spurs até saindo da área, desarmando Theo Walcott em um contragolpe dos Gunners.

Momento chave

O gol perdido pelo Tottenham, aos 30 minutos do segundo tempo. Wojciech Szczesny defendeu o chute de Jermain Defoe e, no rebote, Laurent Koscielny bloqueou na pequena área a tentativa de Roberto Soldado. Poderia ter sido o tento de empate.

O gol

23’/2T – GOL DO ARSENAL! Rosicky abre o jogo com Walcott pela direita. O atacante passa por Rose e cruza rasteiro. Giroud se antecipa à marcação de Dawson e desvia para as redes.

Curiosidade

Apenas 16 gols foram anotados nos 10 jogos da terceira rodada da Premier League. Desde 1992/93, quando a competição foi criada, nunca este número foi tão baixo. (via @InfostradaLive)

Ficha técnica
ARSENAL 1×0 TOTTENHAM
Arsenal_escudo Arsenal
Wojciech Szczesny, Carl Jenkinson, Per Mertesacker, Laurent Koscielny e Kieran Gibbs; Jack Wilshere (Mathieu Flamini, 44’/1T) e Aaron Ramsey; Theo Walcott (Bacary Sagna, 46’/2T), Thomas Rosicky (Nacho Monreal, 34’/2T) e Santi Cazorla; Olivier Giroud. Técnico: Arsène Wenger.
 Tottenham_escudo Tottenham
Hugo Lloris, Kyle Walker, Michael Dawson, Jan Vertonghen e Danny Rose; Etienne Capoue (Sandro, 30’/2T), Paulinho e Moussa Dembélé (Jermaine Defoe, 24’/2T); Andros Townsend (Erik Lamela, 30’/2T), Roberto Soldado e Nacer Chadli. Técnico: André Villas-Boas
Local: Estádio Emirates (Londres-ING)
Árbitro: Michael Oliver
Gols: Olivier Giroud, 23’/1T
Cartões amarelos: Mathieu Flamini e Tomas Rosicky (Arsenal), Jermaine Defoe (Tottenham)
 Cartões vermelhos: nenhum

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo