InglaterraPremier League

Sandro não tinha licença de trabalho para defender o QPR e fica com futuro em xeque

Sandro está encrencado. O Ministério do Interior do Reino Unido entrou em contato com o Queens Park Rangers, a três rodadas do final da última temporada do Campeonato Inglês, para avisar que o volante estava atuando pelo clube sem a documentação necessária. A informação foi revelada esta semana, pelo jornal The Sun, e confirmada pelo clube nesta terça-feira. Atualmente, em férias no Brasil, está suspenso durante as investigações, que podem durar seis semanas, e seu futuro no clube londrino é incerto.

LEIA MAIS: De 1999 a 2015: veja todos os gols de Gerrard pelo Liverpool

O problema começou ano passado quando Sandro completou uma transferência de € 12,6 milhões do Tottenham para o Queens Park Rangers. Quando mudou de clube, o brasileiro conseguiu uma nova licença de trabalho, mas o clube esqueceu de atualizar o seu visto. Sem o visto regularizado, a licença de trabalho não vale para nada. A responsabilidade de cuidar da documentação deveria ser do próprio jogador, mas os clubes ingleses costumam assumir essa função.

A negligência do QPR já custou a Sandro o final da temporada passada. O clube foi avisado pelo Ministério do Interior antes da antepenúltima rodada da Premier League, contra o Manchester City, e o jogador perdeu as últimas três rodadas, por precaução. Agora, está suspenso até o fim do inquérito, assim como a permissão para o QPR contratar jogadores que não sejam cidadãos da União Europeia. O clube tem até 20 dias úteis para responder, e o Interior mais 20 dias úteis par avaliar a suspensão.

O QPR não quebrou nenhuma regra da Premier League, e Sandro foi inscrito regularmente, então não há motivos para rebaixar (de novo) o clube, tirar pontos dele ou qualquer outra punição esportiva. O brasileiro também não foi deportado do Reino Unido, como publicou o The Sun. “O clube deixa claro que Sandro está atualmente de férias no Brasil, mas não foi deportado, como sugere o artigo”, explicou o QPR em um comunicado.

Sandro tem contrato por mais dois anos. Ganha R$ 1 milhão, aproximadamente £ 200 mil por, um salário muito alto para a segunda divisão inglesa. Seu acordo pode ser cancelado ou anulado, o que o liberaria para acertar com quem quiser, o que também pode ser bom para os londrinos, em busca de economia. Mas melhor ainda seria vendê-lo para alguém e recuperar um pouco do investimento. Caso o contrato seja mantido, assim como a suspensão, Sandro teria que ser emprestado para outro país, mas não parece com muita vontade de deixar a Inglaterra.

O jogador, que atuou 17 vezes no Inglês na última temporada e fez um único gol, tinha direito a receber a licença de trabalho. O mais provável é que o problema surgiu de um erro administrativo grave do QPR, o que explica bastante como um clube com um poder de investimento relativamente alto foi o último colocado da Premier League.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo