Premier League

O time da virada: Liverpool sai atrás, mas vence o Crystal Palace com direto a gol histórico de Salah

Em nova virada na Premier League, o Liverpool derrotou o Crystal Palace no dia do 200º gol de Mohamed Salah pelo clube

O Liverpool continua determinado a brigar pelo título da Premier League 2023/24, não importa o roteiro de seus jogos. Neste sábado (9), os Reds saíram atrás no placar mais uma vez, mas contaram com a expulsão de Jordan Ayew já na metade final do segundo tempo para vencerem o Crystal Palace de virada por 2 a 1, pela 16ª rodada, em Selhurst Park.

Depois de uma primeira etapa pouco movimentada, Jean-Philippe Mateta inaugurou o marcador para os donos da casa cobrando pênalti, mas Mohamed Salah deixou tudo igual no minuto seguinte à expulsão de Ayew ao marcar pela 200ª vez com a camisa do Liverpool e pela 150ª em compromissos pela Premier League. Nos acréscimos, Harvey Elliot sacramentou a quarta vitória de virada da equipe de Jürgen Klopp nesta edição do Campeonato Inglês.

O resultado colocou o Liverpool na liderança momentânea da competição, com 37 pontos após 16 partidas. O Arsenal tem 36 pontos e iniciou a rodada na primeira colocação, mas terá pela frente um difícil confronto com o Aston Villa fora de casa ainda neste sábado e cairá para o segundo lugar se não vencer. O Crystal Palace, por sua vez, chegou ao quinto jogo consecutivo sem triunfar e atualmente ocupa a 14ª posição, com 16 pontos.

Alisson salva o Liverpool no primeiro tempo

As diferentes propostas das equipes ficaram nítidas desde o apito inicial no Selhurst Park. De um lado, o Crystal Palace abdicava de ter a bola e esperava um vacilo adversário para contra-atacar em velocidade, mas só conseguiu fazer isso uma vez até o intervalo. Do outro, o Liverpool era quem propunha jogo e tinha do domínio quase completo da partida com uma posse de bola de mais de 75%, mas encontrou muita dificuldade contra o bloco baixo da defesa dos Eagles e não conseguiu criar chances claras. Sendo assim, o primeiro tempo foi pouco movimentado.

Foram seis finalizações dos Reds nos 45 minutos iniciais, mas nenhuma acertou o gol de Sam Johnstone. A chegada mais perigosa (ou menos inofensiva) foi logo aos dois minutos, em chute um tanto quanto torto de Konstantinos Tsimikas de fora da área para fora.

Já o Crystal Palace finalizou somente uma vez, mas criou a melhor oportunidade da primeira etapa. Aos 26 minutos, o time comandado por Roy Hodgson conseguiu escapar da pressão alta do ataque do Liverpool e avançou em velocidade pela direita com Jordan Ayew, que cruzou rasteiro para dentro da área. Jefferson Lerma apareceu sozinho na segunda trave, bateu de primeira e só não abriu o placar porque Alisson fez uma defesa incrível. A bola ainda tocou na trave antes que Alexander-Arnold pudesse afastar.

Pouco depois, o árbitro Andy Madley ainda assinalou um pênalti de Van Dijk em Odsonne Édouard, mas voltou atrás na decisão após ser chamado pelo VAR e perceber a falta de Will Hughes em Wataru Endo na origem do lance.

Mateta deixa o Crystal Palace na frente, mas Salah e Elliot viram o jogo

As propostas dos times continuaram as mesmas após o intervalo, mas o segundo tempo foi bem mais movimentado que o primeiro. Aos nove minutos, Andy Madley recebeu novo chamado do VAR e marcou pênalti do jovem zagueiro Jarell Quansah em Ayew. Jean-Philippe Mateta, que havia entrado minutos antes no lugar do lesionado Édouard, foi quem cobrou a penalidade e abriu o placar, batendo no canto esquerdo de Alisson, que pulou para o outro lado.

Parecia que o Crystal Palace conseguiria uma vitória improvável e estragaria os planos do Liverpool de assumir a liderança e botar pressão no Arsenal, mas tudo mudou aos 30 minutos, quando Jordan Ayew fez uma falta boba em Harvey Elliot ao tentar roubar a bola no meio-campo e recebeu o segundo cartão amarelo. Roy Hodgson não teve nem tempo de organizar sua equipe com um jogador a menos para manter a vantagem, já que Mohamed Salah empatou no minuto seguinte. Após cruzamento de Cody Gakpo pela direita, a defesa dos Eagles não conseguiu afastar, e Curtis Jones tocou para o atacante egípcio finalizar de primeira e contar com um desvio no meio do caminho para superar Sam Johnstone.

Com um a menos, o Crystal Palace não conseguiu segurar o ataque do Liverpool como vinha fazendo até então. O time de Jürgen Klopp aproveitou e insistiu até o fim na busca pela vitória, sendo recompensado nos acréscimos. Assim que o cronômetro atingiu os 45 minutos, Harvey Elliot recebeu de Salah pela direita, carregou até a entrada da área e chutou colocado no canto esquerdo do goleiro Remi Matthews, que havia acabado de entrar em campo, para garantir a vitória aos visitantes.

Nos minutos finais, Luis Díaz ainda quase ampliou para o Liverpool, mas seu gol foi anulado por impedimento. No último lance, Alisson ainda salvou os Reds mais uma vez ao defender a cabeçada do zagueiro Joachim Andersen depois de uma bola levantada na área em cobrança de falta.

Foto de Felipe Novis

Felipe NovisRedator

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo